RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemRússia pede para que Roger Waters fale com a ONU sobre a situação da Ucrânia

imagemAs 20 melhores músicas do Nightwish, em lista da Metal Hammer

imagemO maior disco de heavy metal da história, na opinião de Doro Pesch

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemTommy Lee posta (mais um) nude em suas redes sociais

imagemBruce Dickinson explica como cuida de sua voz

imagemComo o maior riff da história do Rock foi roubado do Brasil

imagemIron Maiden está atrás de George Michael e Cyndi Lauper em votação do Rock Hall Of Fame

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour


Def Leppard Motley Crue 2

Paul McCartney: O Steve Jobs da música futurista

Resenha - New - Paul McCartney

Por Guilherme Espir
Postado em 28 de dezembro de 2013

O final de ano chegou e o jornalismo musical deu uma leve parada. Não foi realmente proposital, todo ano temos esta diminuída de conteúdo quando atingimos a época de festas, normalmente nesta etapa estamos mais preocupados com os saldos finais, as listas de melhores do ano e os lançamentos do próximo, sejam eles CD's, DVD's ou livros.

Porém é importante ressaltar que isso não desqualifica o lançamento de nenhuma bolacha, muito pelo contrário, cria um vácuo de oportunidade, e se o disco for bom pode preencher todo um contexto numa época surpreendente... Algo que Paul McCartney viu como poucos, mostrando relevância, experiência e qualidade, tudo no mesmo disco, tudo ao som de ''New''.

Esse disco me impressionou de uma maneira muito positiva, vi em ''New'' um músico que apesar de não precisar produzir mais nada relevante, ainda quer se manter no jogo, e com requintes de novidade. O Paul deste disco soa atual ao extremo, e digo mais, ''New'' deve ser o conceito base de como o baixista trabalhará daqui pra frente.

Quando digo conceito não quero que pensem em um trabalho conceitual, digo conceito com a objetividade da palavra em si, uma base, desde sua ''moderna'' capa, para o que Paul enxerga num futuro não muito distante.

Apertando Play temos ''Save Us'' talvez a faixa mais viciante do disco, repare na vitalidade, nos toques eletrônicos, na bela voz de Paul, veja que toda essa cozinha tem uma nova finalidade, algo poderoso, sempre caminhando junto com letras de real significado e melodias excelentes, com uma leve inclinação Pop, mas com algo que a música Pop no geral não possui, qualidade.

Perceba isso com mais um dos hits do disco, desta vez com a pegada revigorante de ''Alligator'', a tranquilidade de ''On My Way To Work'', ou ao som da inventiva ''Queenie Eye''... Paul MacCartney... 71 anos e muita lenha pra queimar em estoque ! Um dos sons mais modernos e completamente desapegados com o passado que escutei recentemente, mais um tiro certeiro no escuro, parece até best Off, ''Early Days'', ''New'', a minha preferida, ''Appreciate''...

Esse é o Paul do futuro senhores, escute ''Everybody Out There'', ou a balada ''Hosanna'' e se prepare para as novas linhas tecnológicas do mestre, a abordagem será a mesma, quem vem com uma química dessa e consegue algo de relevante não pode largar o passo a passo, disco de fluência fácil e significado profundo, temas aparentemente simples com toques quase que surreais, ''I Can Bet'', ''Looking At Her'', ''Road''... Isso que o cidadão já tem mais de setenta! Que disco, Paul McCartney, o Steve Jobs da música futurista.

Line Up :
Paul McCartney (guitarra/baixo/vocal/piano/teclado/percussão/sintetizadores)
Brian Ray (guitarra/vocal)
Paul Wickens (teclado/guitarra/piano/órgão/acordeon)
Richard Pryce (baixo)
Roby Pitman (teclado)
Steve McManus (baixo)
Abel Laboriel Jr. (baixo/vocal)
Ethan Johns (bateria/percussão)
Paul Epworth (bateria)
Rusty Anderson (guitarra/vocal)

Track List :
''Save Us''
''Alligator''
''On My Way To Work''
''Queenie Eye''
''Early Days''
''New''
''Appreciate''
''Everybody Out There''
''Hosanna''
''I Can Bet''
''Looking At Her''
''Road''


Outras resenhas de New - Paul McCartney

Resenha - New - Paul McCartney

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Guilherme Espir

Assíduo fã de Zappa e de muitas fritadeiras setentonas, tenta mesclar a peneiração de raridades dos anos 60 e 70 com as novas tendências sonoras de nosso tempo, porém admitindo que o antigo ainda tem preferência em seus fones ensurdecedores.
Mais matérias de Guilherme Espir.