RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemMembro do Guns N' Roses vai na Galeria do Rock de SP e compra camiseta oficial

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemA banda que mostrou no Rock in Rio como se faz um show num festival gigantesco

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemO dia que Renato Russo colocou companheiro da Legião em saia justa após piti homérico

imagemA curiosa origem da rivalidade Sepultura x Sarcófago, segundo Jairo Guedz

imagemEpica anuncia EP com convidados inesperados; assista o primeiro clipe aqui

imagemRafael Bittencourt confessa ambições no início do Angra: "Queria derrubar o Metallica!"

imagemPink Floyd: Snowy White ensina como evitar o lado "feroz" de Roger Waters

imagemO motivo que fazia Ozzy Osbourne não se sentir "tão importante" no Black Sabbath

imagemA chave oculta no disco do Led Zeppelin que Raul usou para abrir as portas do conhecimento

imagemCinco perrengues que todo headbanger já passou em algum show de metal

imagemO hino que o Iron Maiden quase não gravou pois o autor achou que era "muito comercial"

imagemOs dois rockstars que influenciaram Casagrande a entrar no mundo das drogas


Stamp

Rosa Tattooada: "XXV" anos de sexo, bebida e muito Rock And Roll

Resenha - XXV - Rosa Tattooada

Por Calvin Pontel
Em 17/10/13

Nota: 10

Faz quase meia década desde a primeira vez que ouvi falar dos Hard Rockers do Rosa Tattooada. Jacques Maciel e sua trupe, que na época comemoravam seus vinte anos de estrada, foram uma grande revelação para um garoto de apenas 13 anos de idade que ainda estava no início de sua formação musical. O Hard Rock para este que vos fala, até então, era território "somente pra gringo" e sua transposição ao português era inadequada e inviável, os poucos que tentavam, fracassavam. Eis que me torno testemunha de uma banda que não só me provaria o contrário, como marcaria meu gosto musical permanentemente. Deep Purple, Guns N Roses, Alice Cooper e Kiss ainda dividiriam palco com estes dinossauros do rock gaúcho até os mesmos chegarem nesse ponto culminante: XXV. Finalmente!

E por favor, não entendam esta resenha como a opinião parcial de um fã da banda, mas como um relato sincero de um adorador do gênero.

Enfim, muita coisa rolou nessa quase meia década. Músicos saíram, músicos entraram. Singles, que aos poucos se tornaram clássicos, foram lançados. "Rock And Roll Até Morrer" e "Hard Rocker Old School" já não são mais surpresa no repertório do atual trio, que desde seu último lançamento (Rendez-Vous, em 2006) desejava presentear seus fãs com mais um registro de inéditas, igualmente destruidor. "XXV", assim nomeado pelo grupo em homenagem aos seus 25 anos de história, é um verdadeiro tapa na orelha (no bom sentido, é claro) de qualquer apreciador do bom e velho Hard Rock. A capa, um coração seco em tons sombrios, de cara já nos passa a ideia de algo visceral e sem firula, como o som ali contido. Mas serei mais específico.

Vamos por partes. Os teclados antes tão evidenciados do antigo tecladista, hoje produtor do grupo, Vini Tonello, cedem espaço para um som mais cru e pesado, porém, sem deixar de lado o tom melodioso característico da voz de seu guitarrista e líder, Jacques Maciel. As linhas de guitarra, nenhum mistério, cheias de efeito e com solos pouco variados, mas precisos e emocionantes. Valdi Dalla Rosa, um backing vocal até o momento discreto, finalmente solta a voz. "Rezar Não Vai Te Livrar Do Fim" tornam-se as palavras declamadas pelo baixista e também faixa de abertura dessa grande novidade.

É ótimo, e também um alívio, saber que o posto deixado por Beat Barea foi muito bem ocupado por seu sucessor, o experiente Dalis Trugillo. O baterista, com sua gravata sem camisa e seu boné estilo militar soube, com muita competência, manter a pegada da banda. O que já havia sido comprovado nos palcos passou, felizmente, para o estúdio. Lembrando sempre da enorme responsabilidade que é substituir um membro original. A tarefa foi cumprida.

A banda, como citado anteriormente, passou por mudanças de formação nestes últimos anos, e para essa ocasião especial, pode contar novamente com um de seus fundadores. Para o deleite de muitos, Paulo Cássio, antigo guitarrista solo durante os anos 90, deu sua contribuição como letrista nas faixas "Carta Marcada" e "Tão Longe". As antigas parcerias, de fato, provaram seu valor.

E falando em letras, as mesmas seguem sendo um caso à parte. Hora falam de sexo selvagem, hora falam sobre um grande amor, hora falam de sexo selvagem com um grande amor. "Onde o desejo encontrava o amor numa fonte sem fim" talvez seja a melhor definição. Tequila, uísque, rum, champanhe e cerveja foram alguns dos destilados (e fermentados) que foram citados ao longo da obra. Uma lista de compras implícita, quem sabe? Não duvidaria.

Enfim, amor, sexo, mulheres, carros e bebidas... Pode existir mais algum tema que o Hard Rock oitentista realmente precise? Até pode, mas o importante é que o "feijão com arroz" seja feito, se é que me entendem. Quer Rock (Rock And Roll Até Morrer)? Um pouco de Blues (Só Um Beijo Da Sua Boca)? Boas baladas (Sonho Bom)? E excelentes parcerias (Chuva De Estrelas, com Nei Van Soria)? Então ouça XXV.

01. Rezar Não Vai Te Livrar Do Fim
02. Hard Rocker, Old School
03. Só Um Beijo Da Sua Boca
04. O Veneno Do Seu Olhar
05. Carta Marcada
06. Sonho Bom
07. Cerveja & Rock And Roll
08. Tão Longe
09. Chuva de Estrelas
10. Rock And Roll Até Morrer
11. Tardes De Outono (Bonus Track)

Guitarra e Voz: Jacques Maciel
Baixo: Valdi Dalla Rosa
Bateria: Dalis Trugillo
Produzido por Vini Tonello

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

NFL Steve Harris

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Hard Rock: 10 Bandas nacionais ativas que todo fã deveria conhecer

The Simpsons: 10 melhores aparições de roqueiros no desenho

Fotos de Infância: Red Hot Chili Peppers


Sobre Calvin Pontel

Calvin Pontel, nascido em março de 95, residente em Porto Alegre - RS, estudante. É criador do Canal do Caveira no YouTube, onde disponibiliza vídeos em Full HD dos melhores shows de Rock e Heavy Metal dentro e fora da capital gaúcha. Vestiu sua primeira camiseta preta aos 8 anos e desde então suas bandas favoritas incluem Metallica, Iron Maiden, Black Sabbath, Kiss, Judas Priest, Megadeth, Sepultura, Guns N Roses, Ozzy Osbourne, Nirvana e por aí vai...

Mais matérias de Calvin Pontel.