Matérias Mais Lidas

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemTommy Lee posta nude novamente, porém, em versão meio "Romero Britto"

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemMegadeth divulga "Soldier On!", mais uma faixa do próximo disco; ouça aqui

imagemRegis Tadeu expõe como Spotify e YouTube fazem falcatrua para fraudar views

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem

imagemIggor Cavalera relembra jogo do Palmeiras que viu na torcida do River e quase deu ruim


Dream Theater 2022

F.K.Ü.: uma das melhores bandas de thrash da atualidade

Resenha - 4: Rise of the Mosh Mongers - F.K.Ü.

Por Junior Frascá
Em 04/06/13

Nota: 8

O F.K.Ü. (sigla para a bizarra expressão Freddy Krueger’s Ünderwear), banda sueca formada originalmente em 1987 (em que era praticamente um "S.O.D." cover), mas que se encerrou precocemente, voltando à ativa em 1997, sem dúvida é uma das mais interessantes bandas de thrash metal da atualidade, como fica claro nesse que é apenas o seu quarto disco de estúdio, "Rise of the Mosh Mongers", e que acaba de ser lançado pela Napalm Records.

O som da banda é bem pesado e agressivo, com letras descontraídas que tratam de contos e filmes de horror de forma bem divertida e interessante. E embora demorem para soltar discos inéditos (o último, o excelente "Where Moshers Dwell", é de 2009), sempre trazem ao ouvinte material de muita qualidade.

Nessa nova empreitada, novamente os caras não procuraram trazer inovações ou experimentalismos, mas sim buscaram apenas trazer ao ouvinte o mais puro e brutal thrash metal possível, influenciado por bandas como EXODUS, TESTAMENT, ANTHRAX e o próprio S.O.D.

"Black Hole Hell", "Cannibal Detox" (sátira ao polêmico filme "Cannibal Ferox"), "Esox Lucius", "A Nightmare Made of Thrash" e "Terror Train" são apenas alguns exemplos do poder de destruição desse quarteto, que além de criar passagens instrumentais marcantes e pesadíssimas, consegue deixar o ouvinte de queixo caído com a capacidade de deixarem todas as linhas vocais interessantes e cativantes, o que é um grande diferencial em relação à maioria das bandas do gênero, em especial pela combinação perfeita com os temas líricos tratados.

A escolha da banda em trabalhar com o produtor Lawrence Mackrory também foi muito acertada, pois o cara conseguiu extrair toda a agressividade da banda de forma bem natural, sem exageros, e sem ter que deixar os timbres muito sujos ou com excessos de distorção.

Um discaço, "Rise of the Mosh Mongers" é mais uma prova da qualidade do F.K.Ü., que só precisa se estabilizar para manter lançamentos e tours mais regulares, para se tornar efetivamente uma das melhores bandas de thrash da atualidade.

4: Rise of the Mosh Mongers – F.K.Ü.
(2013 – Napalm Records - Importado)

1. Moshocalypse Now
2. Rise of the Mosh Mongers
3. Black Hole Hell
4. Cannibal Detox
5. The Überslasher Pt. 1
6. Scream Bloody Mosher
7. Esox Lucius
8. The Überslasher Pt. 2
9. At the Mountains of Madness
10. A Nightmare Made Thrash
11. 112 Ocean Avenue
12. The Überslasher Pt. 3
13. Marz Attacks
14. Terror Train
15. The Überslasher Pt. 4
16. They Feed in the Dark
17. Anthem of the Moshoholics

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.