Helker: deram um passo gigantesco com seu quarto disco de estúdio

Resenha - Somewhere in the Circle - Helker

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Procurando expandir sua carreira, os argentinos do Helker deram um passo gigantesco com esse seu quarto disco de estúdio. Pela primeira vez lançando um disco todo cantado em Inglês (há também uma versão do álbum em Espanhol), os caras conseguiram um contrato com uma grande gravadora do estilo (AFM Records), contrataram um produtor renomado (Matt Sinner), e criaram 11 excelentes faixas, que têm tudo para colocar a banda dentre os grandes destaques da cena metálica atual.

A banda, que está na estrada desde 1998 tem uma sonoridade bem interessante, voltada para o metal tradicional, com doses de power metal e hard rock muito bem encaixadas, tudo repleto de peso e ótimas melodias, com influências que vão de JUDAS PRIEST à RAGE, passando por PRIMAL FEAR e ACCEPT, mas sem soar como uma mera cópia, tendo muita personalidade.

publicidade

O material aqui presente tem como destaques os riffs e solos excelentes e marcantes da dupla Leo e Mariano, que dão uma verdadeira aula de bom gosto e precisão. Mas o que mais chama a atenção mesmo é o vocalista Diego, com uma voz potente e variada, lembrando em vários momentos o mestre Dio, de forma bem natural.

Outro ponto forte do disco é a produção de Matt Sinner, que também ajudou a banda nas composições, e deixou a sonoridade do disco bem atual e cristalina, mas sem abrir mão do peso.

publicidade

Logo na primeira audição do disco, é possível perceber todo o potencial dessa nova empreitada do HELKER, com faixas pesadas e grudentas como "Modern Roman Circus", "Just Be Yourself" e "No Chance to Be Reborn", e na matadora "Beggins For Forgiviness", que conta com as participações mais do que especiais de Tim "Ripper" Owens e Ralf Scheepers.

publicidade

Mas é um disco em que todas as faixas merecem uma audição mais apurada, sendo bem equilibrado e se momentos de queda na qualidade, mesmo na estranha balada "Flying", que foge um pouco do estilo das demais faixas.

A arte gráfica do disco também é belíssima, e chama muito a atenção.

Ou seja, temos aqui um verdadeiro petardo desses "hermanos" que acertaram em cheio nessa nova fase, e têm tudo para atingir seus objetivos no cenário internacional! Altamente recomendado!

publicidade

publicidade

Somewhere in the Circle – Helker
(2013 –AFM - Importado)

Line-Up:
Diego Valdez (Vocal)
Leo Aristu (Guitarra)
Mariano Ríos (Guitarra)
Christian Abarca (Baixo)
Hernán Coronel (Bateria).

1 - Modern Roman Circus
2 - Just Be Yourself
3 - No Change To Be Reborn
4 - Begging For Forgiveness
5 - Wake Up
6 - At The End of The Journey
7 - Ghost From The Past
8 - Still Alive
9 - Flying
10 - Inside of Me
11 - Dreams

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin