Matérias Mais Lidas

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemRegis Tadeu expõe como Spotify e YouTube fazem falcatrua para fraudar views

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemTommy Lee posta nude novamente, porém, em versão meio "Romero Britto"

imagemMegadeth divulga "Soldier On!", mais uma faixa do próximo disco; ouça aqui

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem


Stamp

Dynahead: os caras chegaram ao ápice de sua carreira

Resenha - Chordata I - Dynahead

Por Junior Frascá
Em 28/04/13

Nota: 9

Uma das grandes bandas do atual cenário metálico nacional, os brasilienses do DYNAHEAD sempre buscaram uma sonoridade inovadora e intrincada, fugindo do lugar comum e sem se ater a nenhum estilo pré-fixado, ou criando barreiras para sua criatividade. E se os dois primeiros discos da banda já eram ótimos, agora os caras chegaram ao ápice de sua carreira, com esse fantástico "Chordata I", que acaba de ser lançado no mercado nacional via MS Metal Records.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Com uma produção excelente e moderna, a cargo do vocalista Caio Duarte, o disco é uma verdadeira aula de bom gosto e musicalidade, transitando com facilidade entre momentos bem calmos e ambientais com outros totalmente brutais e pesadíssimos de forma totalmente orgânica, de deixar até o ouvinte mais exigente de queixo caído.

O trabalho vocal de Caio também chega a impressionar, tamanha a facilidade com que transita entre vocalizações limpas e guturais, sempre de forma brilhante, sendo um dos grandes destaques do material, assim como as guitarras de Diogo e Pablo, com ótimos timbres e repletas de groove, criando riffs e solos marcantes em todo o decorrer da bolachinha.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A faixa "Abiogenisis", que abre o disco, já mostra toda a versatilidade da banda, com um começo bem leve e introspectivo, que logo desbanca para uma porradaria de dar inveja às bandas mais extremas do metal. E todas as demais faixas mantém essa toada competentíssima, com arranjos riquíssimos e muito bem estruturados, sem deixar o nível do trabalho baixar.

Há ainda durante toda a audição do disco diversos outros elementos a serem percebidos pelo ouvinte, e influências que vão do death metal ao jazz, passando pela música progressiva, mas sem nenhum momento soar forçado ou fora do contexto.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

E a cada nova audição o ouvinte consegue descobrir novos elementos que tornam sua percepção das músicas ainda mais interessantes, sem que o mesmo se torne cansativo ou enjoativo.

Trata-se, pois, de uma verdadeira obra prima do metal nacional, sendo fortíssimo candidato a melhor disco de 2013, pois mesmo ainda estando no início ano, é notório que estamos diante de uma obra especial, muito acima da média do que o mercado metálico tem produzido atualmente. Altamente recomendado!

Chordata I - Dynahead
(2013 – MS Metal - Nacional)

Formação:

Caio Duarte - Vocais, bateria, teclados
Diego Teixeira - Baixo
Diogo Mafra - Guitarras
Pablo Vilela - Guitarras
Jorge Macarrão - Percussão (convidado)

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

1. Abiogenesis
2. Bred Patterns
3. Collective Skin
4. Dawn Mirrored in Me
5. Echoes of the Waves
6. Foster
7. Growing in Veins
8. Hallowed Engine
9. Inevitable


Outras resenhas de Chordata I - Dynahead

Resenha - Chordata I - Dynahead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metal Brasileiro: 10 bandas recomendáveis fora o Sepultura

Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável

Fotos de Infância: Gene Simmons, do Kiss

Marilyn Manson: ele removeu costelas para praticar autofelação?


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.