Hypocrisy: uma verdadeira obra de arte da música extrema

Resenha - End of Disclosure - Hypocrisy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


A espera foi grande, pois desde 2009 o HYPOCRISY não lança um novo disco de inéditas. Mas sem dúvida nenhuma a espera foi recompensada, pois esse seu 13º disco de estúdio é um dos melhores trabalhos dos suecos até hoje, em uma verdadeira obra de arte da música extrema.

Megadeth: as 10 maiores tretas de Dave MustaineIron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismo

Como todos sabem, Peter Tägtgren é um músico e produtor diferenciado, que em todos os ramos em que atua nunca decepciona seus fãs. E dessa vez a coisa não é diferente, pois temos em mãos um disco de extrema qualidade e bom gosto, trazendo elementos das mais variadas fases da banda.

Novamente acompanhado do baixista Mikael Hedlung, parceiro de longa data, e do "monstro" Horgh (IMMORTAL) nas baquetas, Peter criou uma obra bem complexa e atrativa, que tem seus momentos mais brutais, como no começo da carreira da banda, mas também apresenta aquela face mais melódica e atmosférica que caracterizou o som da banda após a saída de seu vocalista original, Masse Broberg (mais conhecido como Emperor Magnus Caligula, por sua passagem pelo DARK FUNERAL).

E ao contrário de "A Taste of Extreme Divinity", seu antecessor, "The End of Disclosure" é um disco bem mais intenso e visceral, e menos experimental e extremo.

Na faixa título já temos uma bela mostra de que Peter resolveu voltar com tudo para seu lado mais melódico, com aqueles climas soturnos que só encontramos aqui, remetendo direto ao álbum auto intitulado da banda. Contudo, já na sequência temos a eletrizante "Tales of Thy Spineless", bem mais direta, veloz e agressiva, bem na linha do que a banda havia feito no álbum "Virus", características estas presentes também em outras faixas, como na ótima "When Death Calls".

Mas o disco não fica só nisso, pois temos varias outras influências, como, por exemplo, na excelente "The Eye", que tem uma levada bem "thrasher", que lembra os discos mais atuais do EXODUS (o riff de guitarra e o timbre do baixo são bem evidentes nesse sentido), e tem um dos melhores refrãos do disco. A faixa de encerramento, "The Return", é outra bem diferente, com elementos de doom metal muito legais.

A temática lírica também foi muito bem desenvolvida, transitando entre os famosos temas de ficção científica característicos da banda, e outros mais voltados à realidade, sempre de forma bem agressiva e ácida.

A produção de Peter, como sempre, é precisa e de extrema qualidade, assim como a arte gráfica, uma das mais míticas e interessantes da banda até hoje.

Sem dúvida estamos diante de um dos melhores discos da carreira dessa que é uma das bandas mais importantes da história da música extrema. Mais do que indispensável em sua coleção!

End of Disclosure - Hypocrisy
(2013 -Nuclear Blast - Importado)

Formação:
Peter Tägtgren - vocals, guitar
Mikael Hedlund - bass guitar
Horgh (Reidar Horghagen) - drums

1. End of Disclosure
2. Tales of Thy Spineless
3. The Eye
4. United We Fall
5. 44 Double Zero
6. Hell Is Where I Stay
7. Soldier of Fortune
8. When Death Calls
9. The Return


Outras resenhas de End of Disclosure - Hypocrisy

Hypocrisy: não esperem retorno à agressividade do Death MetalHypocrisy: o monstro incansável nos brinda com um ótimo álbum




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Hypocrisy"


Lindemann: Tägtgren salvou vocalista do Rammstein de surraLindemann
Tägtgren salvou vocalista do Rammstein de surra

Rammstein: ame a si mesma, não importa o que digam, diz TillRammstein
"ame a si mesma, não importa o que digam", diz Till


Megadeth: as 10 maiores tretas de Dave MustaineMegadeth
As 10 maiores tretas de Dave Mustaine

Iron Maiden: Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismoIron Maiden
Nicko McBrain fala sobre conversão ao cristianismo


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClioIL