Decomposing: one-man-band é diversão garantida

Resenha - Corpses in the Attic, Toys in a Shallow Grave - Decomposing Serenity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar Correções  

publicidade

8


Primeiramente, faltam palavras para descrever a emoção em ter na coleção material em vinil, no caso, de 7’’, um investimento feito por selos que ainda acreditam no seu inigualável charme. A Black Hole Productions é um desses e novamente está de parabéns pela iniciativa.

Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história

Falando da parte visual, a capa, embora não tenha nada de sanguinário, é morbidamente impactante e causa um desconforto em quem a vê. O restante arte gráfica mantém sua beleza, um incômodo que prolonga sua admiração.

Falar do Goregrind executado por essa one-man-band é diversão garantida. Caos, quanto caos no som criado pela mente insana de Witter Cheng! No lado A, seis composições gravadas em 2011 e, no B, cindo faixas de 1995, da demo "Rectify the Anal Bombshell", nunca lançadas. Ou seja: essa quantidade limitada de quinhentas unidades é ou não um verdadeiro item de colecionador?

E abrindo o material de forma ensurdecedora, "Why did you put Candy in the Cadaver?" (título sensacional!) desce a lenha na porradaria típica do estilo, mas com uns experimentos de guitarras curiosos no meio. Essa experiência se repete na seguinte, "Please Bleed into my Mouth" (outro título doentio), ou seja, Goregrind bruto com barulhos esquisitos, que combinam com a barulheira.

Essa estética sonora segue por todo o lado A e causa uma boa impressão, mesmo com a qualidade da gravação extremamente suja. Dá a impressão inclusive de que o "grupo" beira o Noisecore. Pois bem, quando você está no clima do disquinho, ele subitamente acaba... sem desânimo, temos o lado B!!!

É nele que, curiosamente, a gravação está muito melhor. Os pedais duplos de "Hiding Beneath the Urine Residue" assustam pelo peso e dão origem a uma música instrumental introdutória potentíssima e viciante, levemente menos extremo do que o outro lado do disco.

Depois dela, a faceta mais violenta da Decomposing Serenity reaparece com "Directed Views on Distorted Wounds" e... bom... simplesmente comove. É um Goregrind de gente grande! As outras canções restantes, embora levemente mais trabalhadas do que as registradas em 2011, são paulada pura, ditadas por um peso descomunal da guitarra. Há mais variações rítmicas, mas prezando sempre pela agressividade.

Uma curiosa coincidência: A última música tem o nome de "Black Hole Pulsations". Seria alguma homenagem à gravadora que lançou este petardo? Difícil, já que, como dito, é de 1995, enquanto a Black Hole Productions é de 2002. Mas que o fato é espantoso, isso ninguém nega.

E novamente, quando menos se esperava, o EP termina. Pena que seja tão curto, mas a saída mais óbvia é recomeçar tudo e pirar. Uma pena o material não vir com letras, uma vez que os mencionados títulos, impagáveis, instigam o ouvinte. Recomendado até a última gota de sangue jorrado das tripas.

Decomposing Serenity - Corpses in the Attic, Toys in a Shallow Grave (7’’ EP)
Black Hole Productions – 2012 – Austrália/Estados Unidos (atualmente)

http://www.facebook.com/DecomposingSerenity
[email protected]

Tracklist:
1. Why did you put Candy in the Cadaver?
2. Please Bleed into my Mouth
3. Jenny the Corpse took all the Blanket
4. Your Liver is Prettier than Candy
5. Four Pieces of Britney's Skull
6. No Space in the Fridge for Chloe
7. Hiding Beneath the Urine Residue
8. Directed Views on Distorted Wounds
9. Senseless Pleasure will End
10. Rhythmic Suffering of Lust
11. Black Hole Pulsations



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guitar World: melhores solos de guitarra de todos os temposGuitar World
Melhores solos de guitarra de todos os tempos

Capas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da históriaCapas de álbuns
As mais obscuras e marcantes da história


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin