Atsphear: está muito mais aliada à técnica

Resenha - Redshift - Atsphear

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Antecedido pelo single de mesmo nome lançado neste mesmo ano, "Redshift", terceiro álbum destes espanhóis, vem para consolidar a carreira da banda e explorar ainda mais o lado Prog Metal do grupo. A banda, que antes se enveredava para os lados do Melodic Thrash/Death Metal, mantém a pegada pesada, mas agora, está muito mais aliada à técnica.

Fotos de Infância: Jon Bon JoviChester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Após uma introdução viajante e futurista a faixa título já emendada, surge com seus teclados espaciais e riffs influenciados pela música oriental. The Storm, que também foi lançada como single este ano, traz um incrível Prog Metal, com leves pitadas de Power Metal em alguns riffs, cozinha variada, ótimos solos e apenas vocais limpos de Juan Dominguez. Aliás, isso se repetirá muito no álbum.

Unknow Monsters tem seu belo inicio levado pelo baixo de Carlos Delgado e mais teclados, só que dessa vez mais clássicos. A composição é uma das mais Prog do trabalho, mostrando belos arranjos e uma interpretação muito interessante de Juan. A bateria de Abraham Ruiz, apesar de leve nesta faixa, mostra uma boa precisão.

Mas, o bicho pega mesmo em Empire. De forma épica, com quase 10 minutos, a faixa mostra muita versatilidade, inclusive com a volta dos vocais agressivos (que pouco aparecem neste trabalho), levada variada e ótimo trabalho de guitarras tanto nos riffs quanto nos solos, a cargo de Sergio Lara e Manuel Probanza.

A trinca que fecha o disco merece menção, já que a semi acústica Sand, a pesada e retrógada The Build Of The Stage e a balada viajante My Grave são ótimas composições e se destacam em "Redshift". O álbum marca uma nova era no Atsphear, que deixará alguns saudosos furiosos e conquistará novos fãs.

http://www.atsphear.com/


Outras resenhas de Redshift - Atsphear

Atsphear: Uma banda que merece mais atenção




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Atsphear"


Fotos de Infância: Jon Bon JoviFotos de Infância
Jon Bon Jovi

Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChester Bennington
A tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Metal Up Your Ass: Os primórdios do MetallicaMetal Up Your Ass
Os primórdios do Metallica

Megadeth: "Magia negra arruinou minha vida", diz MustaineStairway to Heaven: o maior hit do Led ZeppelinEric Clapton: Apaixonado pela Ferrari, fã de Massa e BarrichelloAngra: "Uma rapazeada bonita, mas nenhum foi bonzinho"

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.