Seita: A mais gringa das brasileiras

Resenha - Asymmetric Warfare - Seita

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pedro Humangous
Enviar Correções  

8


A banda Seita é a mais gringa das brasileiras! Formada por Michel Gambini (vocais e guitarra), Edson Munhoz (guitarra), Diego Gomez (baixo) e Dom Mura (bateria), o quarteto vive há muitos anos em Amsterdã, na Holanda.

E vou dizer uma coisa: esses caras representam muito bem nosso país lá fora! Para quem não lembra, eles lançaram o excelente EP "Imprint Forever", em 2008. Quatro anos depois, liberam seu primeiro full-length chamado "Asymmetric Warfare", seguindo na mesma linha do anterior, porém, muito mais trabalhado tecnicamente e ainda mais agressivo! Sem espaços para brincadeiras, o disco já começa a todo vapor com "The Awakening", pesadíssima! O estilo praticado aqui é basicamente o Thrash Metal, mas com inserções – muito bem vindas – de Death Metal também. Logo nos primeiros minutos de audição, o som do Seita me lembrou algo entre o Obituary e o Musica Diablo. Contudo, ao terminar de ouvir o disco, torna-se impossível não se lembrar do bom e velho Sepultura. As construções dos riffs são bastante similares. A bateria de Dom Mura continua afiada e a mudança de tempos constantemente deixa as músicas mais dinâmicas e mais atrativas. Um ponto forte da banda são as letras e seus refrãos grudentos – no bom sentido. Destaque absoluto para a faixa "Know Your Enemies" – não é à toa que foi escolhida como faixa de divulgação do álbum antes mesmo do lançamento. Procure conhecer e ouvir, pois essa banda merece sua atenção! É pedreira do início ao fim!

publicidade


Outras resenhas de Asymmetric Warfare - Seita

Seita: Intercalando velocidade com seções cadenciadas




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kiss: Perguntas, respostas e curiosidades diversasKiss
Perguntas, respostas e curiosidades diversas

Iron Maiden: os álbuns da banda, do pior para o melhorIron Maiden
Os álbuns da banda, do pior para o melhor


Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna "Rolo Compressor" na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD's, DVD's, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous

Mais matérias de Pedro Humangous no Whiplash.Net.

WhiFin