The Black Bullets: Banda mostra a sua força e peso

Resenha - Black Bullets - Black Bullets

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Nascimento
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Em seu álbum de estreia, banda do interior do Rio de Janeiro mostra maturidade, boas letras e instrumental virtuose.

David Coverdale e a palavra "Love" - Parte IHeavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capas

Vindo da cidade Valença, no Rio de Janeiro, a banda "The Black Bullets" acaba de lançar o seu primeiro álbum mergulhado no Hard Rock, aquele som mesmo que tomou conta dos anos70 e 80, com guitarras fortes, baixo proeminente, bateria forte e vocais rasgados, assim é o som de "Ouro e Prata", canção escolhida pela banda para abrir o seu autointitulado CD.

Formada em 2007, a banda conquistou a sua cidade natal e agora segue à toda em busca de reconhecimento em todo o estado do Rio de Janeiro e, claro, também pretendem cruzar as fronteiras de seu estado em busca do tão esperado algo mais.

Um dos casos mais escancarados dessa influência é a canção "How Long" que, apesar do título, é cantada em português, assim como todo o disco, e me trouxe imediatamente boas lembranças à cabeça, uma delas, o som feito no primeiro álbum da hoje Cult, finada e saudosa banda curitibana Relespública.

Falando nisso, embora o som da banda seja caracterizado pelo Hard, variantes do Rock podem ser percebidas em outros momentos do álbum. "Inviolável" dá uma passeada no Rockabilly, e te estonteia com o solo de guitarra que rola após o "discurso" que declamado lá pela metade da musica, isso sem falar na "cama" feita pelos outros instrumentos. Outro estilo que também dá as caras no CD da banda é o progressivo, na instrumental "O Espectro Espectador Em Sua Atemporal Reflexão #1", onde o grupo tem o auge de seu momento virtuose, contrastando inclusive com "Última Fé", faixa acústica que fecha o álbum.

Mesmo nas faixas mais tranquilas, casos de "Fortaleza" e "Sem Piedade", a banda mostra a sua força e peso, reiterando que o lance do grupo é mesmo explorar a sua pegada sonora, o que ajuda a moldar e caracterizar o grupo.

O rockão "Pedras e Rancores" é outro som interessante, a letra é relevante e o vocal conquistador, algo importante já que não basta apenas o som da banda ser bom, a voz também precisa soar bem.

No fim temos a certeza do talento da banda, já que o "The Black Blullets" nos entrega um belo disco de estreia, que certamente vai agradar a todos que curtem o Hard Rock e, sobretudo, se interessam também por boas letras, instrumentos bem tocados e belas melodias.

1 - O Ouro e a Prata
2 - How Long
3 - Inviolável
4 - Fortaleza
5 - Sem Piedade
6 - Pedras e Rancores
7 - O espectro Espectador em Sua Atemporal Reflexão #1
8 - Última Fé




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Bullets"


David Coverdale e a palavra Love - Parte IDavid Coverdale e a palavra "Love" - Parte I
David Coverdale e a palavra "Love" - Parte I

Heavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasHeavy Metal
O Diabo e personagens bíblicas nas capas

As regras do Black MetalAs regras do Black Metal
As regras do Black Metal

Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comDave Mustaine: "Kiko é o primeiro que me intimida desde Friedman"Pantera: qual a verdade sobre a imagem do Vulgar Display of Power?Metallica: após 15 anos, vídeo raro de Garage Inc vem à tona

Sobre Anderson Nascimento

Anderson Nascimento é Analista de Sistema e Professor Universitário de profissão, tendo cursado Pós-Graduação em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas na PUC-RJ. Sua grande paixão é a música, começou a colecionar discos ainda na época do vinil, em 1986, com o álbum Abbey Road dos Beatles. Esse foi o primeiro passo para esse hobby que viria a se tornar tão importante em sua vida. Entre as várias atividades no meio musical, Anderson é compositor e integrou a banda de rock Projeto:Paradoxo entre 1996 e 2004. Anderson é um ávido colecionador de discos e também escreveu sobre música em vários veículos de comunicação.

Mais matérias de Anderson Nascimento no Whiplash.Net.