Biohazard: O legado continua em "Reborn In Defiance"

Resenha - Reborn in Defiance - Biohazard

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Biohazard de volta (no estúdio), com a formação original! Esses novaiorquinos, que marcaram a cena Hardcore e fizeram uma verdadeira escola do gênero, principalmente nos anos noventa, mostram que ainda têm fôlego para descer a lenha. No entanto, é bom relembrar que logo após a gravação de “Reborn in Defiance”, o carismático vocalista/baixista Evan Seinfeld (novamente) abandonou o grupo. Como consolo, o músico deixou sua marca no novo álbum, lançado no Brasil pela Laser Company (www.lasercompanymusicstore.com.br).
5000 acessosRock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 19855000 acessosBayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas

Após a introdução “9:IIIX6.91”, o quarteto inicia a porradaria muito bem com “Vengeance Is Mine”, título forte, digno da música, que mostra os elementos característicos do conjunto: muito peso, bateria alternando-se em veloz e quebrada (Danny Schuler mandando ver), solo simples, mas bem encaixado (Bobby Hambel) e claro, o revezamento de vocal entre Seinfeld e Billy Graziadei, outro figurão da Biohazard, também atuante na guitarra. Apenas aquele canto meio “rapeado” quase não reapareceu.

O disco segue numa variação de ritmos - “Reborn”, por exemplo, sai do inferno, chega ao céu e retorna às chamas – que, no geral, é bem acabada. Até uma veia um pouco melódica (de voz) aparece lá ou cá – é o caso de “Killing Me” (o baixista fez um ótimo trabalho nesta faixa), ou “Vows of Redemption”.

Agora, “olhando de cima”, é notável a mudança de ânimo do pessoal: o que começou muito agressivo cai para algo mais calmo e até depressivo até perto do final do disco. Por esse ponto de vista, faltou “punch” para manter o clima.
O gás até volta com “Skullcrusher” e “Never Give in”, mas novamente perde o pique com a última música – “Season the Sky”. Que pena.

Independentemente de qualquer coisa, merece menção o interessante encarte, com radiografias não muito usuais e criativas. A qualidade do papel, inclusive, deve ser destacada, mesmo sendo algo habitual quando se trata de um produto da Laser Company.

“Reborn in Defiance” não chega aos bem sucedidos “Urban Discipline” (clássico!) ou “State of the World Adress”, mas mostra garra e satisfaz os fãs do grupo. O legado da Biohazard continua!

Biohazard – Reborn in Defiance
Nuclear Blast/Laser Company – 2012 – Estados Unidos

http://www.biohazard.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Reborn in Defiance - Biohazard

1322 acessosBiohazard: Hardcore e Heavy Metal pesado em todas as faixas2267 acessosBiohazard: Não foi o retorno triunfante que fãs esperavam

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Biohazard"

Mad MaxMad Max
Inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outros

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Biohazard"

Rock In RioRock In Rio
Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

VocalistasVocalistas
Três grandes erros na história de três grandes bandas

Classic RockClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

5000 acessosSarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais5000 acessosA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosNick Mason: falando sobre a mensagem subliminar do "The Wall"5000 acessosTamanho não é documento - Um manifesto contra a padronização do cabelo grande5000 acessosDimebag Darrell: "nunca tive paciência para tablaturas"

Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online