Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemIron Maiden apresenta Eddie em versão samurai ao vivo; veja vídeo oficial

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield


Zombie Cookbook: Pesado, veloz, furioso e bem feito

Resenha - Cinetrash - Zombie Cookbook

Por Pierre Cortes
Em 16/02/12

Você já conhece a história do ZOMBIE COOKBOOK? Diz a lenda que um grupo de jovens decide se encontrar em uma casa abandonada, próxima a um pântano, para ensaiar com sua banda. Um assassino adentra a casa e executa todos os presentes, jogando então os corpos no pântano. Anos mais tarde, em um ritual de magia negra, os corpos do pântano retornam como zumbis sedentos por carne humana e muito Metal.

Brincadeiras e lendas à parte, este quarteto de Santa Catarina executa uma mistura de Death/Thrash Metal com pitadas de Grind. Cinetrash, seu primeiro registro, é um EP lançado pela Fudgeworthy Records, gravadora dos Estados Unidos. O grande diferencial é que a obra foi lançada somente em versão vinil e, para melhorar, a bolachinha é colorida.

A capa é assustadora e segue a linha Death/Gore. A julgar por ela, temos a impressão de que iremos nos deparar com um som rápido e tosco. Ledo engano. Rápido sim. Bastante por sinal, mas não há nada de tosco. É pesado, extremo, veloz, furioso, intenso e bem feito.

São cinco faixas ao todo, divididas em dois lados: Cine-Side e Trash-Side. A bateria é rápida e forte e os riffs de guitarra, em geral, nos remetem ao que existe de melhor no Thrash Metal. Os maiores destaques ficam a cargo da ótima "Bouzano the House of Blind Dead", com uma introdução interessante, instrumental potente e vocais que, em determinados trechos, lembram a voz de Chuck Schuldiner do DEATH; "V.O.D.U.N" abre com uma música antiga para, logo depois, retomar com a sonoridade intensa praticada pelo grupo.

ZOMBIE COOKBOOK é uma banda que mostra para o que veio. Fazem bonito, não decepcionam e irão agradar em cheio aos fãs do Metal Extremo. Se por acaso você é um deles, procure adquirir este vinil, urgentemente, direto com a banda através do e-mail [email protected] Item fundamental, necessário e indispensável.

Banda: Zombie Cookbook
País de Origem: Brasil
Título do álbum: Cinetrash
Ano: 2010
Estilo: Death/Thrash Metal
Gravadora: Fudgeworthy Records

Line-up:

Dr. Stink – Vocal
Horace Bones – Guitarra/Vocal
Freudstein – Bateria
Hellsoldier – Baixo

Faixas:

Cine-Side
1. Feastering Humans at Dusk
2. I Sell the Dead
3. Bouzano the House of Blind Dead

Trash-Side
1. Let the Sleeping Corpses Lie
2. V.O.D.U.N

Sites:

http://www.myspace.com/zombiecookbook
http://www.facebook.com/zcbofficial
http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=109316467
http://metalmedia.com.br/zombiecookbook/index.php
http://www.youtube.com/user/ZombieCookbook666


Outras resenhas de Cinetrash - Zombie Cookbook

Resenha - Cinetrash - Zombie Cookbook

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Pierre Cortes

Pierre Cortes, paulistano, bacharelado em Publicidade e em Cinema, amante da fotografia e escrita, apreciador do Heavy Metal e todas as suas subdivisões desde o início dos anos 80, colaborador do Whiplash.Net desde 2011, Twitter - @pierrecortes.

Mais matérias de Pierre Cortes.