Dominanz: Um debut que prima pela consistência

Resenha - As I Shine - Dominanz

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Dominanz pode ser considerado o sucessor do Cult Of Deception, que iniciou suas atividades na Noruega de 2006 como um projeto capitaneado pelo vocalista Roy Nordaas (Ofryskje). Mas a coisa passou a se desenvolver mesmo com a entrada do baterista Frode Gaustad (Thy Grief) e do guitarrista Jørn Tunsberg (Hades Almight – e também um conhecido piromaníaco condenado por torrar igrejas em seu país). O resultado foi a mudança para o nome de batismo atual e a estreia com “As I Shine”.
5000 acessosCapas de álbuns: algumas curiosidades e histórias5000 acessosBizarre Magazine: Quão bizarro é... Ronnie James Dio

E, apesar do passado Black Metal de cada um de seus integrantes, a proposta do Dominanz possui uma abordagem bem distinta. A ideia é elaborar Heavy Metal com influências góticas e, principalmente, vários elementos modernóides que o aproxima do industrial; e tudo é tão obscuro que chega a ser intrigante e contraditório um título como “As I Shine”...

Certamente esta é uma proposta que racha muitas opiniões mundo afora, mas a experiência do trio consegue incutir uma variedade vocal e instrumental – as guitarras são muito eficazes! – em uma seleção de boas faixas que primam pelo espesso sentimento de opressão. Ainda que “The End Of All There Is” seja um resumo de praticamente tudo o que o disco oferece, há outros destaques importantes como a inspiradora abertura “Infinity” (e que também conta com eventuais vozes femininas), a incisiva “Agony And Domination” e a mais melódica “Last Day Of Your Life”.

Por aproximação estética, o Dominaz fez de “As I Shine” um híbrido tão lamacento que encontrará seus maiores fãs entre o público que aprecia o trabalho de bandas sci-fi como o The Kovenant, Shade Empire ou o extravagante Deathstars. Pode conferir, pois este é um debut que prima pela consistência de cada uma de suas canções!

Contato:
http://www.dominanz.no/
http://www.myspace.com/dominanzofficial

Formação:
Roy Nordaas - voz, baixo, guitarra e sintetizadores
Jørn Tunsberg - guitarra
Frode Gaustad - bateria

Dominanz - As I Shine
(2011 / Industrial Silence Production - importado)

01. Infinity
02. Agony And Domination
03. As I Shine
04. Eternal Sin
05. Abusos
06. The Philanthropic
07. Last Day Of Your Life
08. Man On Top
09. From Skin to Heart
10. The End Of All There Is

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de As I Shine - Dominanz

379 acessosDominanz: Um trabalho coeso, forte, moderno e maduro

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dominanz"

Capas de álbunsCapas de álbuns
A história das artes de alguns dos maiores clássicos

Bizarre MagazineBizarre Magazine
Quão bizarro é... Ronnie James Dio

SlayerSlayer
Quando o católico pai de Tom Araya descobriu que a banda era satanista

5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa5000 acessosRatos de Porão: O elogio de João Gordo aos garotos do Restart5000 acessosMetal: nomes do gênero que assumiram ser cristãos5000 acessosGame of Thrones: a inspiração do Blind Guardian e Hammerfall5000 acessosAbbath: mais uma sessão de fotos impagáveis, agora na Austrália5000 acessosFaith No More: roupa umbandista para contrariar fãs tradicionais

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online