Police: Item essencial em uma boa Discografia Básica

Resenha - Reggata De Blanc - Police

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Elias Rodigues Emídio
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O grupo inglês The Police, concebido como um projeto ambicioso do baterista Stewart Copeland, é sem sombras de dúvidas um dos maiores representantes do que se convencionou chamar de Rock dos anos 80. Além de Copeland o line-up da banda possuía Sting, no baixo e nos vocais principais e o talentoso Andy Summers, na guitarra.
5000 acessosDuff McKagan: "Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"5000 acessosCâncer na língua: Os músicos que sofreram deste mal

“Reggata De Blanc” é o segundo álbum da banda lançado em 1979. Este disco marca uma reviravolta no cenário musical do inicio dos anos 80 ao misturar a energia do Punk Rock a elementos minimalistas do Reggae. O próprio nome do disco é um trocadilho que poderia ser traduzido com “Reggae de branco”.

No álbum nota-se uma clara evolução musical do grupo em relação ao disco de estreia, devido em sua maior parte a modernização dos equipamentos da banda. Merece uma especial atenção o baterista Stewart Copeland que em sua bateria incorporou efeitos eletrônicos próprio do instrumento. Isto o permitiu extrair de seu instrumento um som totalmente inovador para a época.

Este álbum é o grande responsável por fazer a banda cair nos braços do grande público e veio embalado pelos hits “Message In A Bottle” e “Walking On The Moon”.

E por falar em clássicos o disco abre com “Message In A Bottle”, sem dúvidas a maior canção do trio inglês. Em uma de suas composições mais inspiradas, Sting usa a metáfora de um náufrago cercado por um milhão de missivas de outros náufragos em garrafas para discursar sobre a solidão. A canção é embalada por um dos riffs mais memoráveis do Rock tão inesquecível quanto o de “(I Can’t No) Satisfaction” dos Rolling Stones ou “Paranoid” do Black Sabbath.

“Reggata De Blanc” traz um excelente trabalho de Sting no baixo e Copeland na bateria, em um momento mais descontraído com interessantes passagens vocais.

“It’s Alright For You” tem um ritmo dançante típico do Reggae, e novamente temos Summers com um excelente Riff de guitarra. A faixa também conta com um refrão inspirado que certamente permanece muito tempo na cabeça do ouvinte.

Em “Bring On The Night” é a vez de Copeland brilhar no disco, dando uma verdadeira aula em sua em sua bateria ao criar um ritmo bem dançante, reassaltando claras influencias jazzísticas. A faixa ainda possui um excelente trabalho de Sting no vocal (com ótimos backing vocais no refrão) e de Summers na guitarra conferindo certa elegância à música.

Já em “Deathwish” a banda flerta com os climas mais sombrios em todo o disco e mais uma vez a cozinha do Police mostra todo o seu potencial. O entrosamento entre Sting e Copeland é algo fantástico e isso se reflete diretamente ótimas nas canções do The Police.

A próxima canção é nada mais que “Walking On The Moon” outra canção que indelevelmente marcaria a carreira do grupo inglês. Copeland e Sting criam uma batida econômica perfeita para que Andy Summers desfile um de seus melhores riffs de guitarra em sua carreira com o trio inglês.

“On Any Another Day” é a melhor composição de Copeland no Police. Aqui temos a banda criando uma maravilhosa crônica do modo de vida urbana, destaque para a melodia bem elaborada e para os ótimos vocais na canção. Clássica!!!

“The Bed’s Too Big Without You” é uma das tristes composições de Sting, porém combina perfeitamente com a melodia mais alegre da canção trazendo claras influencias do Jazz.

“Contact” é o momento de Sting brilhar no disco com sua linha de baixo arrepiante, demonstrando sua grande capacidade criativa.

A variedade sonora deste disco é algo impressionante e “Does Everyone Stare” é de uma sofisticação impressionante, mostrando mais uma vez a competência da banda como um todo em um momento mais experimental.

Em “No Time This Time” a banda flerta com elementos do rock mais básico, é uma das músicas mais “aceleradas” do disco.

Como já dito anteriormente o Police é uma peça fundamental para se compreender melhor o Rock dos anos 80, e grande parte da influência da banda sobre as demais neste período é devido ao álbum “Reggata De Blanc”, apontado por muitos fãs como o melhor trabalho do trio inglês.

O leitor pode ter certeza que ícones dos idos anos 80/90 como Skank, Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, entres outros ouviram muito este disco e ele ainda continua fazendo escola entre grandes nomes do rock que mesclam sonoridades cruas com ritmos mais dançantes.

Item essencial em uma boa Discografia Básica.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Police"

GuitarrasGuitarras
As mais icônicas do Rock - Parte 1

ProstitutasProstitutas
3 das mais famosas e devassas do cenário Rock

RockstarsRockstars
Veja algumas fotos antes da fama - parte 1

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Police"

Duff McKaganDuff McKagan
"Justin Bieber é um roqueiro de verdade!"

Câncer na línguaCâncer na língua
Outros cinco músicos que sofreram deste mal

ShamanShaman
Fernando Quesada desabafa sobre cena brasileira

5000 acessosDavid Bowie: lendário cantor morre, aos 69 anos de idade5000 acessosAerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro5000 acessosThe Voice: candidato canta Slipknot e passa para a próxima fase5000 acessosTwisted Sister: Dee Snider chama Vince Neil de assassino5000 acessosGhost: Papa Francisco impede apresentação da banda nos EUA5000 acessosMetallica: a dífícil transição para o Black Album

Sobre Elias Rodigues Emídio

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online