Deus Castiga: Um grindcore bem sujo e caótico

Resenha - I'm alive fucking dead - Deus Castiga

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar Correções  

publicidade

8


Sabe daqueles grindcore bem sujos e caóticos? Pois então, apresento a Deus Castiga, outra competente banda brasileira do estilo.

Ozzy Osbourne: "Eu detesto a expressão Heavy Metal!"Roadrunner: os melhores frontmen de todos os tempos

A demo, estranhamente intitulada "I’m alive fucking dead" (ao ler a letra, você entende o sentido), possui 12 músicas (!) calcadas na velocidade extrema. As influências são da velha e da nova escola do grind: Napalm Death, Pig Destroyer, Nasum, Are You God?, e Hutt, entre outras.

Após a boa intro, o massacre de fato começa. E o pessoal da Deus Castiga tem pressa, muita pressa! "Ominous Dark" dá a cara da banda, e o restante das faixas seguem a mesma linha, quase todas sem exceder dois minutos (somente "My Blood is Racing throug My Veins" tem 2’03’’). Resumindo? Músicas brutais, bem estruturadas e sem descanso.

Difícil inclusive destacar alguma, já que todas têm um poderio avassalador. Toneladas de peso em forma de decibéis. Mas com esforço, recomendo "Fortune Cookie Jedi" e seus bons riffs.

Anderson faz um vocal rasgado cujo timbre é bastante semelhante ao de bandas black metal. Mas ele também é dono dos guturais, embora os use em menos quantidade. É incrível, pois você juraria que são dois vocalistas distintos. E claro, os holofotes ficam para o baterista Tiago, um cara que não sabe brincar com as baquetas. "Impressionante" é a primeira palavra que vem à mente ao ouvir seu trabalho na demo. A arte do encarte é simples, mas bonita, em especial a capa, muito bem feita. As cores vivas foram muito bem utilizadas no material.

A gravação está muito boa, embora a bateria meio que se sobressaia um pouco e encubra levemente os outros instrumentos, principalmente nos blast beats, mas as músicas são tão encorpadas que isso não chega a comprometer o material. Agora, apenas uma sugestão para essa promissora banda: apesar de divertido e criativo, o nome "Deus Castiga" pode não trazer muita credibilidade no meio underground, ainda mais com letras sérias (temas apocalípticos e agonizantes) e cantadas em inglês. Não seria melhor mudar o nome? Fica a dúvida.

Mas já se percebe que o grupo vai longe, e facilmente honrará com louvor a cena extrema tupiniquim, e quem sabe, fora daqui também. Talento eles têm. E uma advertência: essa demo vicia.

TRACKLIST
1. Intro
2. Ominous Silence Dark
3. Somethings Never Change
4. Lie in Rest
5. My Blood is Racing through My Veins
6. How You Dare
7. I’m Alive Fucking Dead
8. Scars
9. Dreaming
10. Memoryless
11. Darkest Night

Deus Castiga – I’m alive fucking dead (demo)
DC Records – 2010 – Brasil


Outras resenhas de I'm alive fucking dead - Deus Castiga

Resenha - I'm alive fucking dead - Deus Castiga


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Ozzy Osbourne: Eu detesto a expressão Heavy Metal!Ozzy Osbourne
"Eu detesto a expressão Heavy Metal!"

Roadrunner: os melhores frontmen de todos os temposRoadrunner
Os melhores frontmen de todos os tempos


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin