RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

Norther: Mais melódico, menos rápido e técnico

Resenha - Circle Regenerated - Norther

Por Renato Spacek
Postado em 12 de maio de 2011

Nota: 8

Petri Lindroos fará muita falta? Essa era a pergunta que não calava para todos os fãs do Norther, pois desde sua saída, em 2009, a banda não lançou nada. Aliás, o mais perto disso foi o single "Break Myself Away" do disco que viria a ser lançado pouco tempo depois, Circle Regenerated, mas independente disso, com uma música não podemos ter uma noção direta de uma mudança drástica na banda como ocorreu com o Norther.

O Norther nunca foi um grupo focado em técnica, pois podemos descrever seu som basicamente como 'um Power Metal veloz e simplório com vocais guturais e ênfase nos teclados', mas com a saída de Petri Lindroos, esse conceito precisa ser revisto, devido à mudanças um tanto significativas. A banda não está mais tão rápida, os ritmos diminuíram a velocidade de uma maneira bem notável. Os teclados melódicos deram espaço para teclados mais discretos, em certas horas orquestrados.

Também podemos citar a grande mudança nas guitarras, que passaram de riffs velozes, cavalgados e afabados para riffs melódicos e agudos, com menos peso. Aliás, vale ressaltar que a banda está extremamente mais melódica do que antigamente, isso é bem perceptível desde os riffs até os solos e as harmonias. E em relação à técnica, o Norther nunca focou muito em técnica, mas isso mudou no Circle Regenerated, onde além de muito mais melódica a banda também dá bastante atenção para a técnica. E um ponto que pra mim soou totalmente negativo, foi o acréscimo de vocais limpos que fogem totalmente da proposta e do som da banda.

Podemos dizer que o Norther progrediu e amadureceu um pouco, e que a saída do Petri Lindroos pode deixar opiniões bem divididas sobre isso, pois o músico sempre levou o Norther para um caminho mais Power, simples e veloz, já agora é o oposto, muito mais melódico, menos rápido e técnico. O Norther sofreu uma mudança bem perceptível, mas que no fundo, mantém sua essência de anos atrás.

1. Through It All - 03:46
2. The Hate I Bear - 04:07
3. Truth - 04:04
4. Some Day - 04:49
5. Break Myself Away - 04:06
6. Believe - 04:23
7. Falling - 04:22
8. We Do Not Care - 04:16
9. The Last Time - 04:17
10. Closing In - 05:49

Aleksi Sihvonen - Harsh Vocals
Kristian Ranta - Guitars, Clean Vocals
Daniel Freyberg - Guitars, Backing Vocals
Jukka Koskinen - Bass, Backing Vocals
Tuomas Planman - Keyboards, Programming
Heikki Saari - Drums


Outras resenhas de Circle Regenerated - Norther

Resenha - Circle Regenerated - Norther

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Renato Spacek

Brasiliense e amante do Metal, reside no exterior e tem preferência pelos subgêneros Folk, Power e Groove, mas não se limita a isso, pois também aprecia outros estilos tais como Thrash Metal, Hard Rock, Glam Metal, Death Metal e Black Metal, mas é bem seletivo com os dois últimos. É baixista e conheceu o Rock através do KISS, em 1999, entretanto sua banda preferida é o Dream Theater. Fã de Tolkien, adora os Estados Unidos e a Suécia.
Mais matérias de Renato Spacek.