Les Discrets: A natureza, o amor e o medo da morte

Resenha - Septembre et ses dernières pensées - Les Discrets

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por M. Mortifer
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“Septembre et ses dernières pensées” é o álbum de estréia da banda de Pós-Rock/Shoegazing francesa LES DISCRETS. “Septembre et ses dernières pensées” foi gravado no estúdio francês Drudenhaus e produzido por Neb Xort (ANOREXIA NERVOSA, ULTRAVOMIT etc.). As músicas foram compostas entre 2003 e 2009. O álbum foi lançado pela gravadora alemã Prophecy Productions.
5000 acessosSeparadas no nascimento: Pitty e Amy Winehouse5000 acessosMonsters Of Rock 2015: conheça a loira que "deu um show" com o Steel Panther

A música do LES DISCRETS pode ser descrita como uma expressão dos trabalhos artísticos de Fursy Teyssier. Ou seja, originalmente Fursy é um ilustrador e os seus trabalhos evocam contemplação e esoterismo, atmosferas, sentimentos, medos e sensações relacionados à vida e ao mundo. A música do LES DISCRETS expressa tudo isso. As letras têm como tema a natureza, o amor e o medo da morte. Em outros termos, vida, amor e perda.

A faixa introdutória é a instrumental “L’ Envol des Corbeaux”, uma breve e bela música. A segunda faixa é a “L’ Échappée”. Fala sobre a necessidade de refugiar-se em si mesmo para compensar o sentimento de abandono e ausência no convívio das grandes cidades. Destaque para o trabalho da guitarra e bateria.

A terceira faixa é “Les feuilles de l’ Olivier”. Um pouco mais agitada do que a anterior, (o que não significa que podemos classificá-la de “pesada”), também possui um belo arranjo, alternando passagens de distorção e passagens acústicas da guitarra, de peso e velocidade da bateria com a suavidade dos vocais. A letra é uma metáfora sobre a morte, sobre a consciência da inevitabilidade da morte.

A quarta faixa “Song for Mountains”, sem dúvida uma das mais belas do álbum, possui um andamento lento, e lembra o ALCEST. A melodia envolve o ouvinte desde o seu início. A letra descreve um sonho que simboliza a transitoriedade.

Eu destacaria ainda a canção que dá título ao álbum, “Septembre et ses dernières pensées”, com uma introdução falada e sons de corvos. Sem dúvida a música que está mais relacionada imagem temática da banda. Uma canção breve, com arranjos sofisticados que evocam um sentimento de nostalgia no ouvinte.

Como também destacaria “Chanson d’Automne”, sem dúvida a melhor música do álbum. As passagens de guitarra lembram LOVE SPIRALS DOWNWARDS. A letra é uma poesia de Paul Verlaine. Simboliza o desejo, fatalidade e o inconsciente. Sentimentos evocados pela mágica das palavras de sons repetidos e da cadência dos versos.

“Septembre et ses dernières pensées” é um trabalho artisticamente bonito, elegante e melancólico, desde suas canções ao belíssimo trabalho gráfico do álbum.

Ficha técnica:

Tracklist:
01 - L’ Envol des Corbeaux
02 - L’ Échappée
03 - Les feuilles de l’ olivier
04 - Song for Mountains
05 - Sur les Quais
06 - Effet de Nuit (Song composed for Phest)
07 - Septembre et ses dernières Pensées
08 - Chanson d’Automne
09 - Svipdagr & Freyja
10 - Une Matinée d’ Hiver

Membros:
Fursy Teyssier: (Amesoeurs, Phest) – Guitars, Bass, Vocals and composition.
Winterhalter: (Amesoeurs, Alcest) – Drums.
Audrey Hadorn – Vocals and lyrics.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Discrets"

Separadas no nascimentoSeparadas no nascimento
Pitty e Amy Winehouse

MOR 2015MOR 2015
Conheça a loira que "deu um show" com o Steel Panther

VocalistasVocalistas
As vozes mais agudas do Metal segundo o Noisecreep

5000 acessosAerosmith: Tyler tem o maior "instrumento" do Rock?5000 acessosLed Zeppelin: Jason Bonham quase "afinou"5000 acessosFree: a paixão de Dave Murray por Paul Kossoff5000 acessosUltraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones5000 acessosOut: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista5000 acessosCapas de álbuns: agora com gatos em discos clássicos

Sobre M. Mortifer

Possui graduação e Mestrado em Filosofia, atualmente cursa Doutorado e ensinanesta área. É eclético com relação à música, ouve de música erudita a Black Metal. Seus gêneros preferidos são os seguintes: Post-Punk, Dark Wave, Gothic Rock, Neo-Folk/Neo-Classical, Doom Metal, Death Metal, Gothic Metal, Folk Metal, Black Metal, Progressive Metal e Alternative Metal.

Mais matérias de M. Mortifer no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online