Reckless Love: Laquê, glitter, brilho e calças coladas

Resenha - Reckless Love (Cool Edition) - Reckless Love

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar Correções  

8


Nos últimos anos, a Suécia tem sido a capital das bandas que praticam a sonoridade típica dos anos 80, reeditando o movimento iniciado nas imediações da Sunset Strip, em Hollywood, de onde saíram os grandes nomes do Glam Rock ou Hair Metal (como é chamado o estilo nos EUA).

Mas não é só de bandas suecas que vive o Glam Rock europeu, afinal outros países tem apresentado representantes desse estilo musical e o RECKLESS LOVE põe a Finlândia na cena, com esse seu primeiro álbum auto-intitulado.

publicidade

O RECKLESS LOVE é a banda do ex-vocalista do grupo sueco CRASHDIET, Olli Herman (na época anunciado como H. Olliver Twist). Ele substituiu o falecido Dave Lepard (vocalista original do CRASHDIET), gravou um álbum que teve boa receptividade ("The Unattractive Revolution") e abandonou o barco logo depois, justificando sua saída pelo fato de querer retornar a sua antiga banda e seguir seu próprio caminho. Por esta razão Olli voltou à Finlândia e ao RECKLESS LOVE, passando a compor as músicas que integram esse primeiro disco da banda, lançado em 2010.

publicidade

Basta ouvir a primeira música do álbum para entender que realmente Olli não poderia mesmo seguir em frente com o CRASHDIET, afinal o som tirado pelo RECKLESS LOVE segue uma linha bem mais limpa e é calcado totalmente no Glam Rock melódico, ao contrário do Sleaze mais sujo e com pegadas Hardcore praticado pelo CRASHDIET.

O RECKLESS LOVE traz de volta o laquê, o glitter, o brilho, as calças coladas, tudo isso combinado com composições de Glam Rock com letras de conteúdo quase adolescente, com temas como mulheres e diversão. Além disso, Olli é o típico loiro que adora fazer caras e bocas, quase um Bret Michaels (POISON) ou um David Lee Roth (VAN HALEN) da nova geração. Ou seja, não podia ser mais anos 80 do que isso.

publicidade

São muitos os destaques, mas é impossível não aumentar o som em músicas como "Badass", "Born To Rock", "Wild Touch" e "Love Machine", essa última totalmente influenciada por DEF LEPPARD. Sem falar ainda de "Beautiful Bomb", música que foi um dos singles do álbum e ganhou clipe.

Tá bom, confesso que para muitos o som do RECKLESS LOVE irá soar datado, mas quem curte esse tipo de música vai se divertir (e bastante, assim como esse que vos escreve). A banda faz bem o que se propõe a fazer, sem vergonha de parecer uma banda festiva sem grandes pretensões de mudar o rumo do Rock ou qualquer coisa do tipo.

publicidade

A edição avaliada é chamada de "Cool Edition", pois traz cinco faixas bônus e capa diferente da original. Vale conferir essa edição "turbinada" principalmente por conta da faixa inédita "Get Electric" e da versão acústica de "Sex", a balada do álbum. Há ainda um cover acústico de "Hysteria", do DEF LEPPARD, e "Back To Paradise" em outras duas versões, uma desplugada e outra um remix totalmente descartável.

publicidade

Indicado para quem curte DANGER DANGER, BON JOVI e POISON do início de carreira e EUROPE.

Importado – Universal Music

Site Oficial: http://www.recklesslove.com

Banda:

Olli Herman - vocal
Pepe - guitarra
Jalle Verne - baixo
Hessu Maxx – bateria

Track List:

01. Feel My Heat
02. One More Time
03. Badass
04. Love Machine
05. Beautiful Bomb
06. Romance
07. Sex
08. Back To Paradise
09. So Yeah!
10. Wild Touch
11. Born To Rock

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Kiss: I Was Made... foi inspiração para Bruce Springsteen?Kiss
"I Was Made..." foi inspiração para Bruce Springsteen?


Iron Maiden: pastor evangélico tem 172 tatuagens da bandaIron Maiden
Pastor evangélico tem 172 tatuagens da banda

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rockUltimate Classic Rock
Os 100 maiores clássicos do rock


Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin