Breach The Void: Atmosfera eletrônica, caótica e dramática

Resenha - Monochromatic Era - Breach The Void

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

6


O Breach The Void é a mais nova aposta do selo italiano Coroner Records. Tendo sua origem na Suíça, a banda foi criada pelo baterista Alex Anxionna no início de 2007 e rapidamente liberou a demo "Retribution Engine", que inclusive foi eleita como a 'demo do mês' na revista Rock Hard e recebeu inesperada repercussão em vários países europeus. Mas, apesar do começo promissor, houve alguns ajustes em sua formação e agora chegou a vez da sempre tão aguardada estreia em disco.

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1984Heaven & Hell: mistérios e autocensura na capa de álbum

Ok, a proposta está longe de ser inovadora, mas "The Monochromatic Era" possui tal nível de execução que o coloca acima da média em se tratando de Heavy Metal contemporâneo, mostrando que seu idealizador sabe o que quer ao se cercar de músicos realmente competentes. Combinando agressividade e sensibilidade, melodias e harmonias, ritmos bem complexos, além dos tão utilizados gritos torturados alternando-se com vozes limpas e emocionais - também tem umas linhas semi-robóticas! - tudo está devidamente envolvido por uma atmosfera eletrônica, caótica e dramática.

Neste esquema, "Propagate" é uma abertura de impacto e dá o tom a todo o repertório. E, ainda que "Ruins", "EC-10" e "Spirals" mantenham bom ritmo em função de sua flexibilidade, muito daquele tal impacto inicial começa a se dissipar em função dos tantos refrões ultra-melódicos, ausência de solos e sintetizadores pipocando insistentemente, que acabam por conferir uma incômoda impressão de repetição ao longo da audição.

Ainda que haja espaço de sobra para ampliar sua sonoridade, muita coisa por aqui poderia funcionar melhor se fossem aparados alguns excessos, como o encontrado nas vocalizações limpas. De qualquer forma, "The Monochromatic Era" se mantém como um debut com potencial de sobra para atrair as atenções de quem aprecia o groove de Mnemic, Fear Factory, Soilwork ou Sonic Syndicate. Se o caro leitor se encaixa neste perfil, fica a sugestão em dar uma verificada no Beach The Void.

Contato: www.myspace.com/breachthevoid

Formação:
Marko Romero - voz
Frederic De Cecco - guitarra
Fabian Ferraglia - baixo
Alex Anxionna - bateria e sintetizador

Breach The Void - The Monochromatic Era
(2010 / Coroner Records - nacional)

01. Propagate
02. Subversive Mind
03. Retribution Engine
04. Customized Genotype
05. Falling
06. Digital Structures
07. EC-10
08. Ruins
09. Spirals
10. System Failure




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1984Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1984

Heaven & Hell: mistérios e autocensura na capa de álbumHeaven & Hell
Mistérios e autocensura na capa de álbum


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin