Angel Butcher: o primeiro testemunho em disco da banda

Resenha - 25 Years Bleeding Years - Angel Butcher

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


As terras de Minas Gerais têm muita história para os interessados no tema, inclusive no Metal, pois é de lá que vieram os primeiros grandes nomes nacionais a terem ampla divulgação fora, contribuindo para o surgimento, crescimento e afirmação da cena Metal Nacional: OVERDOSE/SEPULTURA, SARCÓFAGO, CHACKAL, e outros. Mas houve também aquelas que ficaram relegadas ao underground, e que agora, em plena época que a tecnologia digital vem para dar suporte às bandas de pouca exposição, voltam a ativa. E entre estas, está o veteraníssimo ANGEL BUTCHER.

Edu Falaschi: o fax com convite de seleção para o Iron MaidenSimplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundo

Na ativa desde 1986, esse é , que teve 4 Demos entre 1986 e 1990, e depois de uma parada, retomaram as atividades já nesta década que se encerra, com o Demo CD de 2006, e agora, praticamente 25 anos depois de seu surgimento, chega até nós este CD, que é uma preciosidade, um registro para novos e velhos fãs.

Na banda, um trio Old School convicto, fazendo um Thrashcore bem bruto, esporrento e sem firulas, esbarrando muitas vezes no Death Metal, e que mostra nesse CD que estão mais que dispostos a recuperar o tempo perdido e que não voltaram apenas para aproveitar a onda de 'come backs' que tem assolado o Metal, já que muitos só voltam para fazer shows, sem acrescentar nada de novo em suas respectivas discografias.

A apresentação é idêntica a de um vinil, ou seja, aquela capa de papel bem simples mesmo, preta com o logo da banda e nome do CD, e o encarte possui as informações necessárias e aquelas fotos legais, ambos aspectos típicos do Metal nacional de duas décadas atrás. A produção sonora é um pouco abafada, pois o EP foi gravado em 7 horas apenas, como se estivéssemos ouvindo um disco de vinil, mas é algo com uma grande honestidade, já que não estamos tratando de uma banda nova, mas de uma calejada por longos anos na estrada. E quem lembra da barra pesada que era a década de 80, que testemunhou o sacrifício que era gravar e se manter na ativa, entende claramente...

As cinco primeiras faixas do CD formam o EP que a banda havia previsto inicialmente para lançar este ano, que são 'Total Violence', uma faixa simples, bruta, rápida e curta, com vocais alternando entre a voz agressiva natural e gritos rasgados; 'Butcher's Day' é mais cadenciada no início, e depois ganha um andamento rápido à lá BENEDICTION em seu primeiro disco, que nos incita a bater a cabeça incessantemente; 'Evil Gladiator' possui um andamento mais lento e com levadas de bateria com cheiro de Thrash/Crossover; 'A Crazy Old Fart (In Acid Trip)' é uma faixa com muita influência de Punk Rock oitentista, e soa algo como um MOTORHEAD mais cru e agressivo; 'Song for the Moon', já com guitarras à lá SLAYER, que fecha o EP, é outra onde há alternância entre momentos rápidos e cadentes, com o vocal com rasgados agudos potentes. A sexta faixa 'Control', que é uma jam com Marco Henrique e foi gravado em um ensaio, um autêntico momento Hardcore bem extremo, é a primeira faixa bônus. As outras são de suas Demos ainda em K-7, 'Live Demo,de 1987, 'Pigs in the Power' de 1988, 'Programmed Doubts' e 'A Insect in Society', ambas de 1989, e do já citado Demo CD de 2006, 'The Angels are Back'.

As entre 1987 e 1989 foram tiradas diretamente do K-7 mesmo, logo, isso justifica a gravação tosca, mas valem como documento histórico e ainda empolgam, pois é a mesma fórmula das músicas do EP, e as do Demo CD da volta tem uma gravação razoável. Desta parte, valem destacar 'The Angels Are Back', uma faixa Punk bem despojada, 'Programmed Doubts', que apesar do som abafado, mostra o Thrashcore de raiz típico dos 80, 'Final Breath' (onde vemos uma amostra do porque o batera da banda, Manu 'Joker', esteve no SARCÓFAGO e gravou o 'Rotting'), 'Might' e 'Fuck the System', onde vemos que o ANGEL BUTCHER é, sem sombra de dúvidas, uma banda que merecia um pouco mais de sorte. A mesma sorte que temos em poder ouvir este CD.

Um ótimo CD, honesto e autêntico, logo, vale a conferida e, obviamente, a aquisição.

Formação:
Maurício 'Mau' Desecrator (guitarras e vocais)
Kim Beermosh (baixo, que foi substituído por T.I.T.O. após a gravação)
Wesley Paulista (guitarra, que só gravou o EP)
Manu 'Joker' (bateria e backing vocals)

Tracklist:
01. Total Violence
02. Butcher's Day
03. Evil Gladiator
04. A Crazy Old Fart (in Acid Trip)
05. Song for the Moon
06. Control (bônus)
07. Control (bônus)
08. Chair Mosh (bônus)
09. Final Breath (bônus)
10. The Angels are Back (bônus)
11. Programmed Doubts (bônus)
12. Depressive Maniac (bônus)
13. Final Breath (bônus)
14. Might (bônus)
15. Fuck the System (bônus)
16. Total Violence (bônus)

Contatos:
http://www.myspace.com/angelbutcher
angelbutcher@hotmail.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Angel Butcher"


Edu Falaschi: o fax com convite de seleção para o Iron MaidenEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Simplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundoSimplicidade é para os falsos
O nome de banda mais complicado do mundo

Em vídeo: A diferença entre ser músico e ser rockstarEm vídeo
A diferença entre ser músico e ser rockstar

Semelhança: vocalistas de rock com vozes quase iguaisMegadeth - Perguntas e RespostasJeff Scott Soto: "tinha medo do Kiss quando era criança"Rush: o álbum que deu uma guinada na trajetória da banda

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.