Jimi Hendrix: uma porção menos digna da discografia?

Resenha - Axis: Bold as Love - Jimi Hendrix

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo de Andrade
Enviar correções  |  Ver Acessos


Se convencionou afirmar que Are You Experienced? é um disco inspirado na sua execução e incendiário em seu espírito. E que Electric Ladyland é um trabalho mais intelectual e o ápice do que se entende por "álbum de estúdio", (elaborado demais a ponto de não poder ser reproduzido ao vivo e de recepção programada para ser ouvido atentamente na frente de um aparelho de som estéreo ou com fones de ouvido). Com isso - e uma parcela substancial do público concorda - Axis: Bold As Love seria a porção menos digna da discografia clássica de Jimi Hendrix. O acusam de ter sido um disco produzido às pressas, para se aproveitar as vendas de natal. Entretanto, essa é uma análise completamente equivocada!

Dia da Consciência Negra: artistas negros que contribuíram para a história do rockHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que poucos sabem é que havia um pacto dentro da Experience, algo que na verdade acabou sendo fundamental em sua ascensão impressionante, meteórica e definitiva: a banda fazia questão de lançar seus dois primeiros discos no mesmo ano. As sessões de gravações do Axis aconteceram entre maio e junho de 1967, no Olympic Studios (Inglaterra), sendo que o grupo voltou a gravar algumas partes e novas faixas no mês de outubro. E se algo foi feito as pressas foi uma segunda mixagem do lado A, pois Jimi esqueceu a fita master dentro de um taxi. Isso o obrigou a realizar sessões noturnas de remixagem junto com Chas Chandler e o engenheiro de som Eddie Kramer, para cumprir os prazos agendados com a gravadora.

Axis: Bold As Love é marcado pelo uso crescente de LSD por parte de Hendrix, em uma quantidade inicial que se revelou produtiva. Com uma sensibilidade aguçada e, após tantos shows, gravações de compactos e o lançamento de um álbum de sucesso, a Experience revelava um entrosamento que resultou numa musicalidade impressionante e ímpar.

Não por acaso, é um álbum conceitual, inspirado num livro que Jimi havia lido sobre aura e a cor resultante das notas musicais (lembrando que o som é algo visível para alguém sob efeito de LSD). A primeira faixa é uma introdução psicodelíssima. Cheia de efeitos e mudanças de velocidades na reprodução do áudio gravado, EXP simula uma transmissão de rádio em que o entrevistado fala sobre OVNIs e seres vindo de outros planetas. O locutor é pego de surpresa pelo que soa com a chegada de uma nave espacial. Uma verdadeira overdose de microfonia e saturação sonora, em que o "disco voador" salta de uma caixa de som a outra. De cara já se nota que Axis é um trabalho muito bem elaborado em estúdio (várias faixas raramente ou talvez nunca tenham sido reproduzidas ao vivo). Nesse sentido, mais caprichado que a estréia e antecipando o seu sucessor.

Outra grande bobagem é acusá-lo de ser pop, na acepção comercial e depreciativa do termo. Na verdade, aí reside o seu mérito! A opção pelo formato pop (o single de 3 minutos) foi experimentada por todos os gigantes do rock e se revela, sempre, na estrutura mais complexa para se produzir algo que transcenda a barreira do tempo sendo realmente significativa musicalmente. Faixas com cinco, oito, dez, quinze minutos garantem tempo o suficiente para qualquer grupo exagerado se esforçar em performances grandiosas no intuito de produzir um clássico cheio de partes complexas e solos extravagantes. Quer oferecer um desafio a esse tipo de banda? Peça para eles serem tão geniais assim em apenas dois minutos e meio. Nesse sentido, Axis é impecável! Duas faixas não chegam a ter dois minutos, e apenas três músicas ultrapassam a marca dos três minutos. A Experience tira o desafio de letra produzindo canções com instrumental elaborado, incrivelmente rico e complexo, que se encaixa num todo harmoniosamente reluzente.

Mitch Mitchell está no seu auge criativo. Noel Redding brilha em uma composição própria onde assume os vocais. Hendrix atinge a genialidade enquanto compositor, alcança seu ápice lírico como letrista (seus momentos poéticos mais inspirados estão indiscutivelmente nesse disco! Se duvidar, leia!) e canta como nunca.

Passagens leves, descontraídas, introspectivas e reflexivas - Up From The Skies, Wait Until Tomorrow, Little Wing, Castles Made of Sand, One Rainy Wish, Bold As Love - são sucessivamente alternadas por momentos de intensidade explosiva e grandiosidade enérgica - Spanish Castle Magic, Ain't No Telling, If 6 Was 9, You Got Me Floatin', She's So Fine, Little Miss Lover -, sem que o revezamento desses segmentos produzam um efeito de quebra na recepção do ouvinte. E essa complicada química na conjuntura das faixas só é possível pelo fato de que cada música - nesse formato enxuto, "pop" - se revela perfeita e acaba em si mesma.

Axis: Bold As Love é o trabalho mais experimental e diversificado, musical e liricamente, na discografia da Experience. Não se encontra à sombra de seu predecessor e sucessor. É, na verdade, uma obra prima tão singular que extrapola a sensibilidade do público mediano.

Texto publicado originalmente no site de (anti)jornalismo (contra)cultural Os Armênios.

http://www.osarmenios.com.br/2010/03/a-lenda-de-jimi-hendrix...

Lançamento:
1º de Dezembro de 1967 (RU)
15 de janeiro de 1968 (EUA)

Faixas:
1 - EXP [1:55]
2 - Up From The Skies [2:55]
3 - Spanish Castle Magic [3:00]
4 - Wait Until Tomorrow [3:00]
5 - Ain't No Telling [1:46]
6 - Little Wing [2:24]
7 - If 6 Was 9 [5:32]
8 - You Got Me Floatin' [2:45]
9 - Castles Made Of Sand [2:46]
10 - She's So Fine [2:37]
11 - One Rainy Wish [3:40]
12 - Little Miss Lover [2:20]
13 - Bold As Love [4:09]




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Jimi Hendrix"


Dia da Consciência Negra: artistas negros que contribuíram para a história do rock

Metallica: quando Kirk Hammett ouviu o Wah Wah pela primeira vezMetallica
Quando Kirk Hammett ouviu o Wah Wah pela primeira vez

Red Hot Chili Peppers: tocando Prince e Hendrix com Eddie Vedder; assista

Finados: mais 17 roqueiros que morreram com 27 anos de idade (vídeo)Finados
Mais 17 roqueiros que morreram com 27 anos de idade (vídeo)

Ted Nugent: se Elvis ou Hendrix fossem caçadores ainda estariam vivosTed Nugent
Se Elvis ou Hendrix fossem caçadores ainda estariam vivos

Pink Floyd: a influência de Jimi Hendrix no MeddlePink Floyd
A influência de Jimi Hendrix no "Meddle"

Jimi Hendrix: áudio oficial de performance do novo box-set

ZZ Top: foto rara mostra Jimi Hendrix e Billy Gibbons em 1968ZZ Top
Foto rara mostra Jimi Hendrix e Billy Gibbons em 1968

Jimi Hendrix: Box-set ao vivo com cinco CDs

Rush: A busca por um timbre é o objetivo de todo guitarristaRush
"A busca por um timbre é o objetivo de todo guitarrista"

O Livro dos Mortos do Rock: vida e morte no Rock And RollO Livro dos Mortos do Rock
Vida e morte no Rock And Roll

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rockUltimate Classic Rock
Os 100 maiores clássicos do rock


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1992

Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Guitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?


Sobre Rodrigo de Andrade

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336