Crazy Lixx: hard rock revisitado, mas original e atual

Resenha - New Religion - Crazy Lixx

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Felipe Kahan Bonato
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A banda sueca CRAZY LIXX, apesar de ser nova (de 2002), retoma o melhor do hard rock da década de 80. “New Religion” é seu segundo álbum e reforça o motivo de serem apontados como uma das bandas da chamada "The New Wave of Swedish Sleaze", com a clara influência de bandas como SKID ROW e WARRANT.
5000 acessosHeavy Metal: estressante, perturbador e faz mal ao coração5000 acessosPink Floyd: o maior concerto de rock já produzido

Em seu segundo álbum, mesmo com a entrada de Andy Dawson nas guitarras no lugar de Vic Zino (que excursionaria com o HARDCORE SUPERSTAR, outra banda sueca da “New Wave”), o mesmo hard rock agressivo, acelerado e envolvente permanece, como em “The Witching Hour” e “Lock Up Your Daughter”. Refrãos pegajosos com boas bases e solados também invadem a audição, como em “Rock And Hard Place” e “21 ‘till I Die”.

“My Medicine” é cheia de swing e de backings, tendo aquela cara típica do hard europeu moderno. Até mesmo as faixas mais lentas têm seus ápices e são muito bonitas, como “Blame It on Love”, “Children of The Cross” e “What of Our Love”. A animada e divertida “She’s mine” é outra que merece destaque, por ser bem diferente das demais, com instrumentos de sopros, piano, e, como sempre, com excelentes guitarras e refrão. A sensação de se já conhecer as músicas é inerente com tantas faixas ótimas e com tantas boas influências na sonoridade.

Em “New Religion”, o CRAZY LIXX argumenta a favor do hard rock, mostrando que o estilo talvez nunca devesse ter se enfraquecido. O grupo, com ótimos instrumentistas principalmente nas guitarras e nos vocais, mostra que é possível revisitar aquelas bandas que fizeram sucesso no passado, imprimindo originalidade e contemporaneidade. Com dois álbuns muito bons, pode-se dizer que a Suécia está muito bem servida e que o CRAZY LIXX tem uma grande carreira pela frente... e não só na Europa.

Integrantes:
Danny Rexon – Vocal e guitarra
Andy Dawson – Guitarra
Luke Rivano – Baixo
Joey Cirera – Bateria

Faixas:
1. Rock and a Hard Place
2. My Medicine
3. 21 'Til I Die
4. Blame It on Love
5. Road to Babylon
6. Children of the Cross
7. The Witching Hour
8. Lock Up Your Daughter
9. She's Mine
10. What of Our Love
11. Desert Bloom
12. Voodoo Woman

Gravadora: Frontiers Records

Site oficial: crazylixx.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de New Religion - Crazy Lixx

1406 acessosCrazy Lixx: o que o Def Leppard deveria estar fazendo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Crazy Lixx"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Crazy Lixx"

Heavy MetalHeavy Metal
Estressante, perturbador e faz mal ao coração

Pink FloydPink Floyd
O maior concerto de rock já produzido

A década perdida?A década perdida?
Rock Brasileiro da Década de 70

5000 acessosVelocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multado5000 acessosMetromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock5000 acessosSlash: Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?5000 acessosOzzy Osbourne: fotos de situações curiosas do Principe das Trevas5000 acessosDuff McKagan: ensinando quem não pode beber a beber5000 acessosRolling Stone: artistas que tiveram problemas com a voz

Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online