Pain of Salvation: evoluindo e flertando com o clássico

Resenha - Road Salt One - Pain of Salvation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Kahan Bonato
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


"Road Salt One", décimo-sétimo disco da banda sueca PAIN OF SALVATION, foi idealizado para ser bem instrumental, como "jams" ao vivo, porém gravado em estúdio. Sendo esse o conceito declarado do vocalista Daniel Gildenlöw, o grupo cumpriu sua missão.

Slash: Comentários sobre Guns, pornstars e Michael JacksonSeparados no nascimento: Dave Mustaine e Mika Hakkinen

Em "No Way", abertura do disco, já se percebe os diferentes andamentos que caracterizam o prog do PAIN OF SALVATION, com ora os vocais ditando o ritmo dos instrumentos, mais cadenciados, ora solos com uma pegada de anos 70, lembrando até mesmo o LED ZEPPELIN. Aliás, essa acaba sendo a orientação do disco, que flerta com um rock mais clássico.

"She Likes to Hide" e "Tell Me You Don't Know" investem também no blues, enquanto "Sisters" é mais clássica, quase folk. Outras faixas interessantes são a teatral e insana "Sleeping Under the Stars", a mais agressiva e sinistra "Darkness of Mine", a contrastante e rocker "Linoleum", a alternativa e agitada "Curiosity" e, por fim, a mais longa, complexa e totalmente prog, "Innocence".

Ao longo do disco, vale destacar a performance de Daniel, irretocável, com várias músicas centradas em sua voz, como a grandiosa "Of Dust", provando porque é considerado um bom vocalista.

Novamente, a banda surpreende com sua sonoridade, constantemente inovadora. A mudança de ritmos acaba sendo natural, justificadas pelo desenrolar das múltiplas estórias presentes no disco. No entanto, de tão inovadoras as músicas acabam, por vezes, se desviando do rock, tornando-se excessivas experimentações. Com tudo isso, o resultado não poderia ser diferente: um ótimo disco, que parece mais um filme ao proporcionar uma viagem por suas diferentes atmosferas. Agora é esperar pelo seu sucessor, "Road Salt Two"!

Integrantes:
Daniel Gildenlöw - Vocais, guitarra, baixo e adicionais bateria e teclados
Johan Hallgren - Guitarra e backing vocal
Fredrik Hermansson - Teclados
Léo Margarit - Bateria e backing vocal

Faixas:
1. No Way
2. She Likes to Hide
3. Sisters
4. Of Dust
5. Tell Me You Don't Know
6. Sleeping Under the Stars
7. Darkness of Mine
8. Linoleum
9. Curiosity
10. Where It Hurts
11. Road Salt
12. Innocence

Gravadora: InsideOut

Site oficial: painofsalvation.com


Outras resenhas de Road Salt One - Pain of Salvation

Pain Of Salvation: Um registro imponente e importantePain of Salvation: uma corajosa guinada de Gildenlöw




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Pain Of Salvation"


Pain Of Salvation: Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas AssassinasPain Of Salvation
Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas Assassinas

Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2002Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2002

Prog Metal: os 10 discos essenciais segundo o TeamRockProg Metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock


Slash: Comentários sobre Guns, pornstars e Michael JacksonSlash
Comentários sobre Guns, pornstars e Michael Jackson

Separados no nascimento: Dave Mustaine e Mika HakkinenSeparados no nascimento
Dave Mustaine e Mika Hakkinen

Tony Iommi: John Bonham quebrou a bateria de Bill WardTony Iommi
John Bonham quebrou a bateria de Bill Ward

David Bowie: muito mais assustador que Michael JacksonDavid Bowie
Muito mais assustador que Michael Jackson

Rachel Sheherazade: cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The NoiteRachel Sheherazade
Cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The Noite

Luíza Possi: cantora faz cover de Don't Cry, do Guns N' RosesLuíza Possi
Cantora faz cover de "Don't Cry", do Guns N' Roses

Hardão Setentista: November, legendário power-trio suecoHardão Setentista
November, legendário power-trio sueco


Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato no Whiplash.Net.

adClioIL