Rhestus: indispensãvel para fãs da tradição Thrash Metal

Resenha - Games Of Joy... Games Of War! - Rhestus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Ôrra, mas que pancadaria!!! Na ativa desde 1993 e oriundo da cidade catarinense de Rio do Sul, o Rhestus certamente possui uma discografia tímida, mas com uma música forte o suficiente para se estabelecer entre o público amante do Thrash Metal do estado. O independente "Games Of Joy... Games Of War!" é seu segundo álbum de estúdio e marca a mais nova fase da banda, que passou por profundas mudanças nos últimos tempos.

Agora Fantasma (voz e guitarra) e Richard Schmidt (baixo) se deslocaram para a cidade de Indaial e contam com novos e experientes músicos-donos-de-fígados-resistentes, Tiago Sestrem (guitarra) e Marcos Diegel (bateria). E essa etílica parceria mantém irretocável a marca registrada do que se conhece como Rhestus: Thrash Metal visceral e veloz pra cacete, como era praticado lá pelos idos anos 1980.

publicidade

Apesar de toda a agressividade e insanidade propostas, o entrosamento entre seus arranjos é de cair o queixo. Vocalizações rasgadas e perfeitamente compreensíveis, muitos riffs e alternância entre os solos, um contrabaixo incansável e criativo, além de um baterista que, literalmente, 'desce o braço'; e tudo com tamanha definição que somente aumenta o nível de adrenalina que "Games Of Joy... Games Of War!" propicia. A audição se torna um vício!

publicidade

O poder que o Kreator exerce sobre o Rhestus é óbvio, mas os catarinenses não se importam. São talentosos em sua linha musical e injetam tanta variação nas estruturas de suas composições que se torna embaraçoso querer tecer qualquer comentário negativo acerca de suas influências. Os caras passam por cima – atropelam mesmo! – com todo o peso em um repertório muito consistente, bem representado por canções como "Rage Is My Food, Hate Is My Guide!", a faixa-título, "How To Explain?", "Silence… Around Me" e "Fuck Off".

publicidade

O material foi gravado no estúdio RMV de Blumenau (SC), produzido por Deny Bonfante (Perpetual Dreams), mixado e masterizado por Alexei Leão (Stormental, Khrophus, Predator), e não mostra nenhum floreio que ofusque toda a intencional sensação retrô da qual o Rhestus tanto se orgulha. E é ao público que admira o tradicionalismo do Thrash Metal que "Games Of Joy... Games Of War!" se mostra indispensável. Chame seus amigos, abram as cervejas e confiram!

publicidade

Contato:
http://www.rhestus.com.br
http://www.myspace.com/rhestus

Formação:
Alexsander ‘Fantasma’ Leber - voz e guitarra
Tiago A. Sestrem - guitarra
Richard Schmidt - baixo
Marcos Diegel - bateria

Rhestus - Games Of Joy... Games Of War!
(2010 / independente – nacional)

publicidade

01. Rage Is My Food, Hate Is My Guide!
02. Trivial Pieces Of Meat
03. Hate! Is What I Feel
04. Games Of Joy... Games Of War!
05. How To Explain?
06. Silence… Around Me
07. Untiring Torturer
08. Scars
09. Fuck Off!
10. Cowardly Terror




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Catarinense: 10 bandas para se conhecer [Parte 1]Metal Catarinense
10 bandas para se conhecer [Parte 1]


Metromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rockMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Heavy Metal: celebridades que curtem ou já curtiramHeavy Metal
Celebridades que curtem ou já curtiram


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin