Matérias Mais Lidas

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemRegis Tadeu expõe como Spotify e YouTube fazem falcatrua para fraudar views

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemTommy Lee posta nude novamente, porém, em versão meio "Romero Britto"

imagemMegadeth divulga "Soldier On!", mais uma faixa do próximo disco; ouça aqui

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem


Stamp

W.E.T.: Robert Säll, Erik Martensson e Jeff Scott Soto

Resenha - W.E.T. - W.E.T.

Por Ben Ami Scopinho
Em 18/12/09

Nota: 9

Ultimamente estão aparecendo inúmeros projetos que reúnem alguns dos mais respeitáveis artistas do cenário mundial. Pois bem, desta feita, a idéia partiu da própria Frontier Records, que conseguiu gerar grande expectativa ao anunciar a união de Robert Säll (teclados), Erik Martensson (guitarra e baixo) e Jeff Scott Soto (voz), respectivamente conhecidos por serem integrantes das bandas Work Of Art, Eclipse e Talisman.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E foram as iniciais destes grupos acima citados que deram origem à sigla W.E.T., cuja tradução também significa ‘molhado’, termo aproveitado para reproduzir perfeitamente a bonita ilustração da capa de seu primeiro álbum auto-intitulado. Contando com o baterista Robban Back, o repertório é uma mescla bem dosada da proposta das bandas originais destes músicos, além de Journey, Whitesnake, Van Halen, Boston e muito mais.

Mas o caro leitor que não tire a precipitada conclusão de que este disco seja uma mera fábrica de clichês. Longe disso! As influências existem, mas o desempenho de cada um destes músicos é tão entusiasmado que consegue até mesmo revigorar o estilo com naturalidade, tornando toda e qualquer composição em um AOR com pitadas de Hard Rock encorpado, bastante atualizado e de incrível fluidez, com grande capacidade de envolver o ouvinte. Não há como deixar de cantar e assobiar suas gostosas melodias durante horas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Apontar destaques em um repertório deste porte? Fica fácil... Praticamente todas as canções são perfeitas, e há muita diversidade por aqui, desde rockaços até as indispensáveis baladas. Entre a magnífica abertura "Invincible" até o fechamento "If I Fall", são raríssimas as ocasiões onde "W.E.T." perde (um pouco) o pique – talvez em "One Day At A Time" – ficando assim a garantia de o ouvinte reviver os dias de glória do gênero, quando este exercia grande impacto sobre o público nas grandes arenas.

Como foi dito no começo deste texto, nos últimos anos estão pipocando vários projetos que reúnem músicos renomados, mas nem todos resultam em trabalhos que realmente convencem. E este não é o caso do W.E.T., que conseguiu produzir uma verdadeira obra-prima do Hard Rock Melódico, coisa que só pode ser proporcionada por veteranos que continuam inspirados, mesmo atuando há décadas por aí. Sem exageros!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Contato:
http://www.myspace.com/wetrocks

W.E.T. - W.E.T.
(2009 / Frontiers Records - nacional)

01. Invincible
02. One Love
03. Brothers In Arms
04. Come Down Like Rain
05. Running From The Heartache
06. I'll Be There
07. Damage Is Done
08. Put Your Money Where Your Mouth Is
09. One Day At A Time
10. Just Go
11. My Everything
12. If I Fall

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.