Bleeding Through: o mais agressivo e pesado álbum do grupo

Resenha - Declaration - Bleeding Through

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Heh! Parece que os problemas envolvendo o gerenciamento dos negócios entre o Bleeding Through e a gravadora Trustkill serviram para catalisar o ideal sentimento de raiva para a concepção de "Declaration", o quarto álbum de estúdio dos norte-americanos. Este grupo está na ativa desde 1999 – inclusive já passou pelo Brasil em 2007 – e mostrou há tempos que possui uma energia criativa que consegue distingui-los de muitos dos nomes consagrados do Metalcore.

Na realidade, a afeição que o Bleeding Through sempre demonstrou pela música extrema é que o tornou diferente de tantas bandas do gênero. E, ainda que algumas composições remetam aos trabalhos anteriores, essa tal afeição agora os desviou ainda mais de sua proposta inicial, a ponto de "Declaration" ser o mais agressivo e pesado álbum já liberado pelo grupo.

publicidade

As seções de Black Metal estão mais acentuadas do que nunca, em especial graças aos teclados de Marta, que transpiram uma aura tão macabra que remete muitas vezes ao Dimmu Borgir (quem diria...!), possibilitando que este instrumento tenha uma relevância nunca alcançada até então. O Death Metal também marca uma forte presença nas estruturas de várias composições, seja com riffs ou com a máquina de tocar bateria chamada Derek Youngsma.

publicidade

Tudo está muito entrelaçado, com andamentos quebrados, passagens complexas e as vozes limpas, motivo de ira e piada por parte do público radical, foram devidamente reduzidas por aqui. Faixas como "Declaration (You Can't Destroy What You Can Not Replace)", "Orange County Blonde And Blue" ou "Germany" mostram uma fúria irretocável, enquanto "There Was A Flood" e a atmosférica "Sister Charlatan" são responsáveis por uma inesperada e requintada sutileza por parte do Bleeding Through.

publicidade

Tendo como membro efetivo o guitarrista Dave Nassie (Infectious Grooves, Suicidal Tendencies) e a caprichada produção de Devin Townsend (Strapping Young Lad), "Declaration" mostra músicos inspiradíssimos e conseguindo mostrar que podem ser pesados sem soar como o 'resto do bando'. Completamente recomendado a qualquer um que aprecie ser envolvido pela adrenalina perversa de uma bem dosada mescla de Metalcore, Black e Death Metal. Excelente!

publicidade

Formação:
Brandan Schieppati - voz
Dave Nassie - guitarra
Brian 'Lefty' Leppke - guitarra
Ryan Wombacher - baixo e voz
Marta Peterson - teclados
Derek Youngsma - bateria

Bleeding Through - Declaration
(2008 / Trustkill Records - importado)

01. Finis Fatalis Spei
02. Declaration (You Can't Destroy What You Can Not Replace)
03. Orange County Blonde And Blue
04. Germany
05. There Was A Flood
06. French Inquisition
07. Reborn From Isolation
08. Death Anxiety
09. Beneath The Grey
10. Seller's Market
11. Sister Charlatan

publicidade

Homepage: www.bleedingthrough.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bateristas: Os 30 melhores de todos os temposBateristas
Os 30 melhores de todos os tempos

IGN Music: os álbuns de Metal mais influentes segundo o siteIGN Music
Os álbuns de Metal mais influentes segundo o site


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin