Baranga: rock sujo e malvado, com letras bagaceiras

Resenha - Meu Mal - Baranga

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collector's Room
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Rock and roll sujo e malvado, com letras bagaceiras, repletas de histórias de sexo e bebedeiras. Essa frase resume bem o que é o Baranga, ótima banda paulista que chega a seu terceiro disco, "Meu Mal", lançado originalmente em 2007 mas enviado somente agora para review (então, desculpem o atraso ...).

Musicalmente, as influências do quarteto formado por Xande (vocal, guitarra e slide), Deca (guitarra), Soneca (baixo) e o veterano Paulão (bateria, ex-Centúrias, Harppia e outros) seguem a risca a tradição de grupos como Motorhead e AC/DC, além de brazucas como os pioneiros do Made in Brazil, com riffs contagiantes, tocados com uma energia bruta, que não aceita meio termo.

O álbum já abre com o pé no fundo, com Paulão introduzindo "Filho Bastardo" com uma levada que é puro Cozy Powell. A grudenta "Meu Mal", faixa que dá nome ao disco, vem na sequência e traz uma linha vocal empolgante, daquelas que, quando você percebe, está cantando junto. Ótima pedida para ser trabalhada como faixa de trabalho. "Frango, Farofa e Cachaça" tem uma letra hilária, contando a saga de um qualquer que tropeçou em um despacho em uma encruzilhada. Uma das melhores composições de toda a carreira do grupo, fácil, fácil.

O hard rock pesadíssimo de sempre ganha temperos blues em "A Noite Inteira", um acento rockabilly em "Fuego del Infierno" (toda cantada em espanhol, muchacho!) e bebe na fonte sempre fértil de Chuck Berry e de todo o rock da década de cinquenta em músicas como "Garota Rocker" e "Predador".

A ótima produção de Heros Trench acentuou ainda mais o peso do grupo, deixando o som ainda mais cheio, fazendo os alto-falantes vibrarem sem parar. Completando, a capa, concebida por Juan Guzman, traduz bem a essência do Baranga e o que o ouvinte encontrará nas dez faixas do disco.

"Meu Mal" traz um hard rock com muito peso, que irá fazer sucesso nas festas com os amigos, tomando uma bebida, falando da mulherada e saindo sem rumo por aí.

Recomendadíssimo.

Faixas:
1. Filho Bastardo - 2:31
2. Meu Mal - 3:44
3. Frango, Farofa e Cachaça - 4:18
4. A Noite Inteira - 4:27
5. Fuego del Infierno - 3:45
6. Garota Rocker - 3:13
7. Não Mora Mais Aqui - 3:38
8. Na Contra-Mão - 4:15
9. Predador - 3:36
10. A Vida é Uma Só - 3:48


Outras resenhas de Meu Mal - Baranga

Baranga: "Roqueiro brasileiro tem cara de bandido?"Baranga: tudo o que faz parte do folclore rock


Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Baranga"


Metal SP: documentário sobre Heavy Metal em São PauloMetal SP
Documentário sobre Heavy Metal em São Paulo


Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Gigwise
As capas mais polêmicas dos anos 2000

Church of Satan: A maioria dos músicos de Black Metal são cristãosChurch of Satan
"A maioria dos músicos de Black Metal são cristãos"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336