Hydria: habilidade impressionante em trabalho de estréia

Resenha - Mirror Of Tears - Hydria

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Os cariocas do Hydria, apesar de estar há pouco tempo no cenário "heavy metal", já possuem uma história bem recheada para contar. Em pouco menos de 2 anos abriram shows para Within Temptation e Tarja Turunen, e já tocaram em alguns festivais locais de seu estado. Após um longo período de espera a banda lança, no mais puro estilo "Do It Yourself" (o CD foi todo gravado usando o sistema mais caseiro possível) seu primeiro trabalho, "Mirror Of Tears".

Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuDeath On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie Mercury

Admito que essa fórmula de bandas com vocal feminino e abordagem gótica-heavy-prog para mim já deu o que tinha que dar, mas não há como não se surpreender com a habilidade dos cariocas em seu trabalho de estréia: produção redondinha, arte gráfica de primeira, e uma banda muito talentosa, apesar de inexperiente: "Calisto" serve como "intro" para a longa "Mirror Of Tears", um mixto de Nightwish e Dream Theater, com um ótimo trabalho de guitarras e a vocalista Rachel Schuler incorporando o espírito Turunen de ser. "Enjoy Your Greed" e "Sober Dreams" pendem para o lado gótico, com um resultado mais que interessante, enquanto que "The Ghost Raven And The Eagle" enfatizam o lado heavy metal.

Como toda banda estreante, o Hydria ainda pisa em ovos na busca de seu estilo, o que faz com que faixas boas como "Break The Silence", a bonita balada "Angel's Lullaby" e a pesada (ecos de Iron Maiden) "Beautiful Storm" nos tragam aquela sensação de "dejá vu". Mas isso não tira o mérito dos músicos, que precisam agora queimar muito chão na estrada, testarem seu repertório, e assim trazerem a tona seu verdadeiro estilo.

Uma estréia promissora, fincada ainda nas influências da banda, mas com um nível de qualidade bem superior à média. Agora é cair na estrada!

Hydria - Mirror Of Tears
2008 - Independente (NAC)

Formação:
Rachel Schuller - Vocais
Marcelo Oliveira - Guitarras
Luana França - Guitarras
Márcio Klimberg - Teclados
Turu Henrick - Baixo
Fabiano Martins - Bateria/Vocais

Faixas:
Calisto
Mirror Of Tears
Enjoy Your Greed
Sober Dreams
The Ghost Raven And The Eagle
Break The Silence
Forever
Angel's Lullaby
The Nymph
Eternal
Beautiful Storm

http://www.hydria.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Hydria"


Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuPlayback.FM
Saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu

Death On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie MercuryDeath On Two Legs
A declaração de ódio de Freddie Mercury

Separados no nascimento: Paul McCartney e Kiko do ChavesSeparados no nascimento
Paul McCartney e Kiko do Chaves

Sinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?Sinceridade
E se as capas de discos dissessem a verdade?

Cornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesCornos do Rock
A dor e o peso do chifre em três belas canções

Guns N' Roses: a história das tours, de 85 a 2007Guns N' Roses
A história das tours, de 85 a 2007

Metallica: Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era ricoMetallica
Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era rico


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336