Grand Magus: sabiamente equilibrado entre o polido e o sujo

Resenha - Iron Will - Grand Magus

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

10


Por mais resistência que possa haver, é incontestável que, mesmo usando e abusando dos já manjados artifícios de marketing que visam conquistar o público, são raras as bandas veteranas (nem é preciso citar nomes, certo?) que conseguem lançar um novo álbum com a vitalidade apresentada no passado. Isso é algo tão natural quanto o fato de o melhor da música anticomercial sempre ser encontrado no underground mesmo.

Com uma trajetória que começou em 1999, o Grand Magus se tornou rapidamente um conjunto cultuado nos porões europeus. Inicialmente orientado pelo Stoner Metal, o trio sueco começou a investir cada vez mais no Heavy Metal clássico, e "Iron Will", seu quarto registro, parece ser a conclusão deste ciclo.

publicidade

Com muito groove, a característica freqüente por aqui é a intensidade de sentimentos que a audição transmite. O repertório é repleto de hinos e muito diversificado – o rock pesado e clássico é a raiz principal, mas obviamente o Grand Magus se agarra ao Stoner, flerta sutilmente com algo do psicodelismo e abusa das muitas melodias do saudoso NWOBHM – e, o principal, tudo é tão honesto que sua proposta que está longe, muito longe de ser enquadrada como um mero estereótipo.

publicidade

Como se todos os recursos e zelo empregados na construção de riffs, solos e uma seção rítmica que surpreende pela atividade já não fossem suficientes, estes arranjos são coroados pela voz solene de Janne 'JB' Christoffersson (também faz parte do Spiritual Beggars, então nem é preciso mencionar mais nada...), que segue com uma linha que se aproxima do velho e carismático Ronnie James Dio.

publicidade

E que fique claro: mesmo com todas as características do estilo, as canções do Grand Magus também não causam a impressão de serem datadas. A gravação de "Iron Will", além de estar sabiamente equilibrada entre o polido e o sujo, mostra uma vibração moderníssima. Sério candidato a um dos registros mais poderosos e apaixonantes do ano, totalmente indispensável aos que possuem apreço pelo tradicionalismo do Heavy Metal. Confira e dificilmente haverá arrependimentos!

publicidade

Formação:
Janne ''JB'' Christoffersson - voz e guitarra
Fox - baixo
Sebastian - bateria

Grand Magus - Iron Will
(2008 / Candlelight Records - importado)

01. Like The Oar Strikes The Water
02. Fear Is The Key
03. Hovding
04. Iron Will
05. Silver Into Steel
06. The Shadow Knows
07. Self Deceiver
08. Beyond Good And Evil
09. I Am The North

Homepage: www.grandmagus.com

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?

Bruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metalBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do metal


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin