Birth Control: simbiose entre guitarra e teclado Hammond

Resenha - Hoodoo Man - Birth Control

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Formado em 1968 em Berlin, o Birth Control é uma excelente banda alemã cuja música tinha como principais características a grande simbiose entre a guitarra e o teclado Hammond, somados a um trabalho de bateria e percussão extremamente criativo. Apesar de algumas vezes ser classificado como krautrock, na verdade o som do grupo consistia em um potente e virtuoso hard rock com alguma pitadas de progressivo. Uma exercício rápido para entender a música do grupo seria imaginar a união do Deep Purple com o Uriah Heep daquela época.
5000 acessosBlack Sabbath: mais uma do Tony Iommi pra cima do pobre Bill Ward5000 acessosInspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

O nome da banda surgiu como uma resposta provocativa a uma declaração do Papa Paulo VI, onde o líder da igreja católica se pronunciava contrário ao uso das pílulas anti-concepcionais. Durante toda a sua carreira (o grupo ainda está na ativa) o Birth Control se notabilizou por estampar capas polêmicas em seus discos, sempre explorando a controvérsia gerada pelo sexo e pelos métodos contraconceptivos.

"Hoddoo Man" é o terceiro álbum dos caras, e foi lançado em 1972, na sequência de "Birth Control" (1970) e "Operation" (1971). Para muitos este é o melhor momento dos alemães. Marcando a estréia de Wolfang Neuser nos teclados, que entrou no lugar do membro original Reinhold Sobotta, o Birth Control apresenta nas seis faixas do disco uma qualidade espantosa. "Buy" abre o álbum entregando um grande trabalho instrumental, embalado por uma letra que critica duramente a sociedade de consumo. A cereja do bolo é o solo de Neuser, espetacular. "Suicide" vem a seguir e tem um andamento totalmente jazzy, surpreendendo o ouvinte. "Get Down to Your Fate" deixa claras as influências do Purple no som do Birth Control, com o Hammond de Neuser fazendo o trabalho das guitarras, despejando riffs sensacionais um atrás do outro.

"Gamma Ray", com quase dez minutos de duração, é uma composição repleta de groove, com destaque para a bateria e para os vocais de Bernd Noske, dono de um timbre cativante. Como curiosidade, vale citar que, apesar de sua longa duração, "Gamma Ray" foi lançada como single e virou hit em algumas discotecas européias em meados dos anos setenta. A música que dá nome ao álbum é um hard rock exemplar, e mais uma vez o destaque é o solo de Wolfang Neuser. O disco fecha com "Kaulstoss", faixa instrumental com influências de folk music e passagens inspiradas na música escocesa.

"Hoodoo Man" é um trabalho excepcional, que conquista de imediato qualquer fã de música. Um dos grandes, e esquecidos, álbuns dos anos 1970, com absoluta certeza.

Faixas:
1. Buy!
2. Suicide
3. Get Down to Your Fate
4. Gamma Ray
5. Hoodoo Man
6. Kaulstoss

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

AlemanhaAlemanha
Dez das melhores bandas do país

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Birth Control"

Black SabbathBlack Sabbath
Mais uma do Tony Iommi pra cima do pobre Bill Ward

InspiraçãoInspiração
30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

MetallicaMetallica
Prejudicando as finanças da Igreja Universal

5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosRock Progressivo: Você sabe que está ouvindo demais quando...5000 acessosRolling Stone: revista elege melhores faixas de álbuns ruins3694 acessosVídeo: A mais brutal bateria natalina do ano5000 acessosLed Zeppelin: sexo explícito na entrega de discos de ouro em 19735000 acessosEddie Van Halen: "Eruption foi um acidente"

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online