Birth Control: simbiose entre guitarra e teclado Hammond

Resenha - Hoodoo Man - Birth Control

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Formado em 1968 em Berlin, o Birth Control é uma excelente banda alemã cuja música tinha como principais características a grande simbiose entre a guitarra e o teclado Hammond, somados a um trabalho de bateria e percussão extremamente criativo. Apesar de algumas vezes ser classificado como krautrock, na verdade o som do grupo consistia em um potente e virtuoso hard rock com alguma pitadas de progressivo. Uma exercício rápido para entender a música do grupo seria imaginar a união do Deep Purple com o Uriah Heep daquela época.
5000 acessosOs Trapalhões: uma homenagem ao Heavy Metal em 19855000 acessosKiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da banda

O nome da banda surgiu como uma resposta provocativa a uma declaração do Papa Paulo VI, onde o líder da igreja católica se pronunciava contrário ao uso das pílulas anti-concepcionais. Durante toda a sua carreira (o grupo ainda está na ativa) o Birth Control se notabilizou por estampar capas polêmicas em seus discos, sempre explorando a controvérsia gerada pelo sexo e pelos métodos contraconceptivos.

"Hoddoo Man" é o terceiro álbum dos caras, e foi lançado em 1972, na sequência de "Birth Control" (1970) e "Operation" (1971). Para muitos este é o melhor momento dos alemães. Marcando a estréia de Wolfang Neuser nos teclados, que entrou no lugar do membro original Reinhold Sobotta, o Birth Control apresenta nas seis faixas do disco uma qualidade espantosa. "Buy" abre o álbum entregando um grande trabalho instrumental, embalado por uma letra que critica duramente a sociedade de consumo. A cereja do bolo é o solo de Neuser, espetacular. "Suicide" vem a seguir e tem um andamento totalmente jazzy, surpreendendo o ouvinte. "Get Down to Your Fate" deixa claras as influências do Purple no som do Birth Control, com o Hammond de Neuser fazendo o trabalho das guitarras, despejando riffs sensacionais um atrás do outro.

"Gamma Ray", com quase dez minutos de duração, é uma composição repleta de groove, com destaque para a bateria e para os vocais de Bernd Noske, dono de um timbre cativante. Como curiosidade, vale citar que, apesar de sua longa duração, "Gamma Ray" foi lançada como single e virou hit em algumas discotecas européias em meados dos anos setenta. A música que dá nome ao álbum é um hard rock exemplar, e mais uma vez o destaque é o solo de Wolfang Neuser. O disco fecha com "Kaulstoss", faixa instrumental com influências de folk music e passagens inspiradas na música escocesa.

"Hoodoo Man" é um trabalho excepcional, que conquista de imediato qualquer fã de música. Um dos grandes, e esquecidos, álbuns dos anos 1970, com absoluta certeza.

Faixas:
1. Buy!
2. Suicide
3. Get Down to Your Fate
4. Gamma Ray
5. Hoodoo Man
6. Kaulstoss

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

AlemanhaAlemanha
Dez das melhores bandas do país

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Birth Control"

Os TrapalhõesOs Trapalhões
Uma homenagem ao Heavy Metal em 1985

KissKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Silas MalafaiaSilas Malafaia
Pastor manda um stage-dive no meio da plateia

5000 acessosCuzões em shows: como músicos devem lidar com essa raça maldita5000 acessosDeath On Two Legs: a declaração de ódio de Freddie Mercury5000 acessosMascotes do Metal: os dez maiores segundo The Gauntlet5000 acessosSeparados no nascimento: Nicko McBrain e Dolph Lundgren4024 acessosLamb of God: os álbuns da banda, do pior para o melhor3473 acessosMetallica: A obsessão da banda por prisões

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online