RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemThe Cure: 5 bandas que o vocalista Robert Smith já declarou odiar

imagemFãs do Guns N' Roses tretam com Regis Tadeu nas suas redes sociais

imagemBruce Dickinson é confirmado como uma das atrações do Summer Breeze 2023

imagemO clássico do Rainbow que Dio considera na "mesma pegada" que "Smoke on the Water"

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemOs álbuns de outros estilos musicais que Dave Mustaine indica para quem é headbanger

imagemGuns N' Roses compartilha foto incrível de show realizado em São Paulo

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemBarbosa ficou em 2º em concurso de guitarrista mais sexy e perdeu para astro internacional

imagemRafinha Bastos e João Gordo debatem piada sobre Wanessa e discutem papel do humor

imagemO setlist "gordo" e vídeos do último show da turnê de 2022 do Guns N' Roses pelo Brasil

imagemO dia em que Neil Young comprou 20 mil cópias de seu próprio álbum


NFL Steve Harris

Chthonic: Black Metal sinfônico com hype justificado

Resenha - Seediq Bale - Chthonic

Por Ricardo Seelig
Em 16/05/08

publicidade

Nota: 8

Os taiwaneses do Chthonic vem sendo apontados frequentemente como uma das sensações da nova geração do metal extremo. O grupo, formado em 1995, realmente possui atrativos interessantes em sua música, fato que, somado ao apadrinhamento de Ozzy Osbourne (que os colocou para tocar no Ozzfest, transformando-os na primeira banda vinda do oriente a tocar no festival), explica a razão de tanto hype.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A música do Chthonic é um black metal sinfônico, com influências claras dos noruegueses do Dimmu Borgir, explorando sonoridades bastante ricas e repletas de detalhes que, somadas ao uso de instrumentos e melodias típicas de seus país de origem, resultam em uma muralha sonora ímpar.

Liricamente, as letras exploram os mitos, lendas e histórias de Taiwan, um tema misterioso e muito atrativo para nós, ocidentais, que, apesar de vivermos em um mundo onde todo mundo adora dizer que "não possui fronteiras", pouco sabemos da vida e da rica cultura das nações asiáticas, só para ficar em um exemplo.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O pacote étnico fecha com o uso de corpse paint elaborada a partir de símbolos próprios de Taiwan, gerando um visual muito diferente daquele que estamos condicionados a ver no metal extremo, realçando ainda mais o ar misterioso da banda.

Gostei bastante de todas as faixas, que cativam o ouvinte através de arranjos muito bem feitos, mostrando que, além de tudo, a banda tem talento e conhece muito o caminho que está pisando.

"Seediq Bale" é um trabalho diferenciado, de uma banda única. O hype é justificado, ouça sem medo.

Faixas:
1. Progeny Of Rindax Tasing
2. Indigenous Laceration
3. Enthrone
4. Bloddy Gaya Fulfilled
5. The Gods Weep
6. Where The Utux Ancestors Wait
7. Exultant Suicide
8. Banished Into Death
9. Quasi Putrefaction

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Seediq Bale - Chthonic

Resenha - Seediq Bale - ChthoniC

Resenha - Seediq Bale - Chthonic

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kurt Cobain e a banda brasileira que mexeu com ele: "eles foram muito revolucionários"

O trocadilho picante que Ney fazia em "Pro Dia Nascer Feliz" que Cazuza gargalhava


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig.