Devilish Impressions: Black e Death beirando o Prog

Resenha - Diabolicanos; Act III: Armageddon - Devilish Impressions

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


Mais um incrível nome vindo da Polônia! Na ativa desde 2000, o Devilish Impressions causou tal impacto entre a crítica européia e os amantes da música extrema ao estrear com o independente "Plurima Mortis Imago" (05), que rapidamente assinou com o selo inglês Conquer Records. Sua primeira iniciativa foi relançar este debut e agora está liberando seu sucessor, "Diabolicanos - Act III: Armageddon", um álbum desafiador que tem tudo para ser um produto de exportação para o restante do globo.

O Devilish Impressions tem como raiz o Black e o Death Metal, mas muitas vezes empurra seus arranjos até praticamente beirar a sinuosidade do progressivo. São várias camadas sonoras sobrepostas, com a força de melodias sombrias dominando boa parte de suas estruturas, e, assim como todo este dinamismo instrumental, o vocalista Quazarre sabe quando ceder e deixar de cantar de forma torturada para dar espaço a linhas vocais mais claras.

publicidade

Tudo se mantém tão instigante que fatalmente o ouvinte permanece na maior expectativa em descobrir o que virá a seguir. E o melhor é que tudo é elaborado com tal controle e planejamento que o resultado final se mantém totalmente vinculado à música extrema, seja pelas letras contestadoras e profanas, pelos riffs matadores e saturados, ou ainda os inúmeros ‘blastbeats’ espalhados pelo repertório.

publicidade

Apesar de as nove canções serem do mais alto nível, é impossível resistir à beleza épica e brutal de "Tales Of Babylon's Whore", onde as guitarras e sintetizadores estão harmoniosamente entrelaçados. Vale mencionar também o curioso título de "Natas Ro Dog On Si Ereth (Of Plagues And Blasphemy)": observem o resultado ao ler as palavras ao contrário...

publicidade

Creio que o Devilish Impressions esteja entre os mais criativos expoentes da música extrema de seu país. A banda é extremamente talentosa ao procurar seu próprio caminho com originalidade, e o headbanger que se considera exigente tem a obrigação de conhecer "Diabolicanos - Act III: Armageddon". Agora é esperar que alguma distribuidora brasileira tome a iniciativa de liberar esta pequena obra-prima em território nacional. A banda é muito boa para somente ao público europeu ter acesso – público privilegiado, diga-se...

publicidade

Formação:
Quazarre - voz e guitarra
Armers - guitarra
Starash - baixo
Turquoissa - teclado
Icanraz - bateria

Devilish Impressions – Diabolicanos - Act III: Armageddon
(2008 / Conquer Records – importado)

01. T.H.O.R.N.S.
02. Rex Inferi
03. The Word Was Made Flesh Turned Into Chaos Again
04. I Am The Son Of God
05. Tales Of Babylon's Whore
06. Diabolicanus
07. Natas Ro Dog On Si Ereht (Of Plagues And Blasphemy)
08. Har-Magedon
09. Mass For The Dead

publicidade

Homepage: www.devilish-impressions.com/




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metallica: a lista de exigências da banda em 1983Metallica
A lista de exigências da banda em 1983

Zakk Wylde: foto do arsenal de guitarras do músicoZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin