Dark Tranquillity: referências a tudo já feito

Resenha - Fiction - Dark Tranquillity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Não são muitas as bandas que se tornam pioneiras em algum estilo musical e lançam álbuns bem-sucedidos por quase duas décadas. O Dark Tranquillity está no seleto rol destes vitoriosos, tanto que "Fiction" é, segundo o próprio grupo, mais uma amostra da busca pelo constante refinamento de seu Death Metal Melódico, com todo o cuidado de se manter próximo de sua proposta.

Mas, considerando a história dos suecos, realmente não há muito que aperfeiçoar ou refinar em seu estilo... Ou se há, não foi desta vez que conseguiram apresentar mudanças drásticas, tanto que o resultado de "Fiction" traz referências de praticamente tudo o que já foi feito em seus álbuns anteriores. E isto não é de forma alguma algo negativo, pois estas novas canções mostram que a banda continua com a inspiração em alta ao elaborar seu híbrido agressivo e melódico, que vêm arrebatando respeito até mesmo entre os que não vêem o gênero com bons olhos.

publicidade

Bastante complexo, os elementos responsáveis pela força deste álbum novamente são o trabalho intrincado das guitarras e, como sempre, a incrível atuação de Mikael Stanne, que inclusive colocou linhas vocais limpas, algo que vinha evitando há vários anos. Embora quase sempre em segundo plano, os teclados e efeitos eletrônicos estão mais evidentes, aumentando ainda mais a sensação de modernidade que a banda já vem transmitindo há tempos.

publicidade

"Fiction" também pode ser considerado como um disco que apresenta idéias (quase) diversificadas para os arranjos e, consequentemente, procura montar uma seqüência dinâmica de canções. Neste esquema, os momentos marcantes ficam por conta das velozes em "The Lesser Faith" e "Terminus (Death Where Is Most Alive)", com teclados muito bem encaixados; a melancólica "Icipher" e as intensas atmosferas de "Inside a Particle Storm". As tais vozes limpas de Stanne aparecem de forma quase gótica em "Misery's Crown" e funcionam ainda melhor em "The Mundane And The Magic", agora também com a presença convincente de Nell Sigland (Theatre Of Tragedy).

publicidade

Considerando que, entre os pioneiros do Death Metal Melódico, o In Flames é uma sombra do que um dia já foi e o At The Gates encerrou suas atividades (até deu origem ao The Haunted, mas este também deu uma boa reorientada em sua música)... Bom, só sobrou o velho Dark Tranquillity a continuar firme e forte em seu estilo, liberando músicas com sutis temperos – nada de se reinventar – que apenas melhoram a apreciação do produto.

publicidade

Indicadíssimo, ainda mais que está sendo liberado oficialmente no Brasil!

Formação:
Mikael Stanne - voz
Niklas Sundin - guitarra
Michael Niklasson - guitarra
Martin Henriksson - baixo
Martin Brandstrom - teclados
Anders Jivarp - bateria

Dark Tranquillity - Fiction
(2007 - Century Media / Hellion Records - nacional)

01. Nothing To No One
02. The Lesser Faith
03. Terminus (Where Death Is Most Alive)
04. Blind At Heart
05. Icipher
06. Inside The Particle Storm
07. Empty Me
08. Misery’s Crown
09. Focus Shift
10. The Mundane And The Magic

publicidade

Homepage: www.darktranquillity.com


Outras resenhas de Fiction - Dark Tranquillity

Resenha - Fiction - Dark Tranquillity




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Dark Tranquillity: banda lança vídeo de "The Dark Unbroken", música do novo álbum

Dark Tranquillity: banda lança "Identical To None", música do próximo álbum

Dark Tranquility: banda divulga a primeira música do próximo álbum de estúdio

Dark Tranquillity: Moment, novo álbum da banda, será lançado em novembro


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Slash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gaySlash
A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay

Metallica: os motivos da saída de Jason NewstedMetallica
Os motivos da saída de Jason Newsted


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin