Desolate Ways: influência direta do Paradise Lost

Resenha - Tearful - Desolate Ways

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Oras vejam! Em tempos em que muitas bandas vêm dando cada vez mais prioridade às vocalizações femininas aliadas a arranjos escancaradamente voltados ao mainstream, é com grata surpresa que nos deparamos com alguém que adota os caminhos do Gothic/Doom Metal típico da década de 90. O Desolate Ways, quarteto que vem de Torres (RS) e segue na ativa desde 1998, está chegando com "Tearful", um segundo álbum que tem claramente como inspiração o Paradise Lost da era "Draconian Times" (95).
5000 acessosSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido5000 acessosMorreu Dormindo: as últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

Max Lima (voz e guitarra), Elizeu Hainzenreder (guitarra), Rodrigo Fernandes (baixo) e Ricardo Giordano (bateria) mostram 11 canções que unem o Heavy Metal, o Gótico (com seus genes resgatados lá nos anos 80) e o Doom, executadas com grande elegância, vigor emocional e sempre atento aos detalhes de seus arranjos. E todo o harmonioso clima melancólico é realçado graças às bonitas melodias do teclado de Adriano Sperandir, que também cuidou da mixagem do disco.

A voz de Max é uma mescla aproximada de James Hetfield (Metallica) com Nick Holmes (Paradise Lost), agradando e conseguindo grande sinergia com a parte instrumental. No resultado final, fica complicado selecionar algum destaque, tal o nível emotivo de “Tearful”. Talvez “Falling Down”, pela forte presença do Doom, ou a balada sofrida “Forgive Me”. Ou talvez qualquer outra... Esta é uma típica coleção de canções que poderá conquistar admiradores entre os mais variados subgêneros do rock pesado.

A produção ficou excelente e valoriza cada um dos elementos, captando e transmitindo todo o refinamento sombrio e (até mesmo) acessível da proposta do Desolate Ways. Embora totalmente consciente da já citada influência direta do Paradise Lost – já atentaram para a semelhança das ilustrações da capa de "Teaful" com a do clássico "Draconian Times"? – os gaúchos vão, música após música, convencendo cada vez mais e lá pela metade do CD praticamente já não há mais o que ser provado. Um trabalho muito bom, com um carisma que poucos brasileiros já apresentaram neste estilo.

Desolate Ways - Tearful
(2007 / Erpland Records - nacional)

01. Sacred Mortals
02. Cry No More
03. Cold Embrace
04. Drowned In Tears
05. Forgive Me
06. Alone
07. Falling Down
08. Echoes
09. I Try To Forget
10. My Pain
11. Tearful

Homepage: www.desolateways.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Desolate Ways"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Desolate Ways"

SlayerSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Morreu DormindoMorreu Dormindo
As últimas horas de vida de Lemmy Kilmister

VocalistaVocalista
Dez razões pelas quais os demais integrantes o odeiam

5000 acessosSexo e rock n' roll: banda grava e vende pornô para bancar despesas5000 acessosShaman: baixista desabafa sobre cena brasileira5000 acessosNicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester5000 acessosGuitarras: algumas podem mudar a sua vida, outras não5000 acessosDeep Purple: Blackmore atirou macarronada na cara de Gillan em 935000 acessosMotorhead: Nem queda de avião consegue abalar a calma de Lemmy Kilmister

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online