Sabaton: nada de novo no front

Resenha - Attero Dominatus - Sabaton

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

7


Como bem disse o escritor alemão Erich M. Remarque sobre suas aventuras na Primeira Guerra Mundial: "Nada de novo no front"... Esta é a sensação transmitida pelo segundo álbum do sueco Sabaton, "Attero Dominatus", liberado em 2006 e chegando agora ao mercado nacional via Hellion Records. Quem teve a oportunidade de escutar seu trabalho anterior, "Primo Victoria" (05), pôde constatar o quanto esta pequena e brilhante obra de arte se sobressaiu em relação aos outros registros de Power Metal lançados no mesmo ano.

Pois bem, em vista do sucesso que foi este debut, o Sabaton achou por bem transportar todas as idéias que deram certo para "Attero Dominatus". E não somente as idéias, há inclusive muitas reciclagens no formato geral das composições. Ainda que não cause o impacto de outrora, o caráter heróico que as canções emanam permanece em alta, com o vozeirão tão bonito do líder Joakim Broden continuando a ser o ponto de referência do grupo. Os refrões continuam dramáticos e grudam como chiclete, passando tal energia que automaticamente levantamos os punhos durante a audição e, naturalmente, a obsessão pelas letras abordando guerras e mais guerras provavelmente continuará até mesmo quando não houver mais conflitos para se contarem histórias.

publicidade

Mas todos estes fatos aparentemente negativos não significam que "Attero Dominatus" seja ruim. Longe disso. Afinal, se os suecos optaram por seguir os passos de algo que realmente deu certo, então como questionar a qualidade de um sucessor direto? Falta apenas aquele frescor revigorante que "Primo Victoria" possuía de sobra.

De qualquer forma, há bons momentos garantidos como a faixa-título, um ponto de partida realmente bombástico; a correta "Nuclear Attack" e "Rise Of Evil", com uma excelente atmosfera e solo respeitável. Impossível ignorar "Metal Crüe" – sim, o título é este mesmo! – e aqui novamente o Sabaton segue a cartilha de seu antecessor... Alguém aí se lembra de "Metal Machine", o hino que fechava o disco anterior, onde tiveram as manhas de montar uma letra formada por inúmeros títulos de canções clássicas dos anos 80? Pois é... "Metal Crüe" vai pelo mesmo caminho, só que agora a letra é formada com os mais variados nomes de conjuntos veteranos, conseguindo manter uma unidade de forma interessante e encerrando o disco com muito alto-astral.

publicidade

Agora, até onde o Sabaton manterá a inspiração em alta para continuar a fazer adaptações que consigam segurar a atenção do ouvinte? Aí é algo que só os futuros discos poderão responder. Ainda sobre "futuros" discos, a banda liberou ainda este ano "Metalizer" que, na realidade, era para ser seu primeiro álbum, mas nunca encontrou uma gravadora e ficou engavetado desde então. E, para comemorar tal lançamento, tem como brinde um CD-bônus com a demo "Fist For Fight".

publicidade

Formação:
Joakim Broden - voz
Rikard Sunden - guitarra
Oskar Montelius - guitarra
Daniel Myhr - teclados
Pär Sundstrom - baixo
Daniel Mullback - bateria

Sabaton - Attero Dominatus
(2006 / Black Lodge - 2007 / Hellion Records - nacional)

01. Attero Dominatus
02. Nuclear Attack
03. Rise Of Evil
04. In The Name Of God
05. We Burn
06. Angels Calling
07. Back In Control
08. A Light In The Black
09. Metal Crüe

publicidade

Homepage: www.sabaton.net


Outras resenhas de Attero Dominatus - Sabaton

Sabaton: para fãs de power que não procuram originalidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sabaton: banda lança vídeo oficial da música The Attack Of The Dead MenSabaton
Banda lança vídeo oficial da música "The Attack Of The Dead Men"


Sabaton: homenagens heroicas para telúricos mundosSabaton
Homenagens heroicas para telúricos mundos

Inacreditável: O que acontece de mais bizarro em um show de metalInacreditável
O que acontece de mais bizarro em um show de metal


Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaWonder Years
O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin
Por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin