Daath: brutal, melódico, épico, e além

Resenha - Hinderers - Daath

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


O exótico nome "Daath" (pronuncia-se "dóti") é originário do hebreu, tendo como tradução para o português algo próximo de "conhecimento da palavra" e, para eliminar alguma dúvida, a banda não se identifica com nenhuma religião em particular. O conjunto é norte-americano e foi formado em 2003 por alguns amigos que estudavam no prestigiado Berklee College Of Music de Boston, e debutou no ano seguinte com "Futility", cuja boa repercussão no underground de seu país possibilitou que assinassem com a Roadrunner Records.

Bem amparados por uma grande gravadora e com uma produção que conta com Colin Richardson e Andy Sneap, o Daath chega a seu segundo álbum, "The Hinderers". Tendo como conceito todo o misticismo da Cabala, o disco realmente chama a atenção pela versatilidade e técnica, se distinguindo em muito do que está sendo lançado nos EUA em termos de música extrema. Sinceramente, e não menosprezando as atuais bandas deste país, o Daath consegue ser bem mais interessante do que muitos de seus conterrâneos.

publicidade

Com linhas vocais guturais e seções instrumentais com fortes influências do Death e Black Metal, devidamente torcidos e mesclados a elementos sinfônicos e eletrônicos, resultaram em um álbum interessantíssimo. "The Hinderers" é brutal e com ótimas melodias, mas vai além, se insinuando pelos lados épicos da coisa, tendo um ótimo baterista (o ex-Chimaira Kevin Talley) e algumas intervenções de teclados muito bem encaixadas.

publicidade

As melodias e os rosnados de "Subterfuge" já mostram que o ouvinte se encontra diante de algo promissor logo na abertura do álbum. Há muitas faixas para se destacar, e entre elas a pesada "Cosmic Forge" e "Under A Somber Sign", que apresentam teclados e sintetizadores utilizados com criatividade; e ainda as virulentas "Ovum" e " War Born", com ótimos riffs e vocalizações. Também merece citação "Who Will Take The Blame?", bem intrincada, com doses de industrial, além de bateria e vocalizações insanas.

publicidade

Se eu dissesse que há algo de errado com este álbum, com certeza mandaria examinar minha cabeça... "The Hinderers" tem um estilo marcante e mostra que os músicos fundadores Farber, Kameron e Levi realmente prestaram atenção nas aulas do Berklee College. Totalmente indicado aos amantes de música extrema elaboradas de forma alternativa neste novo milênio.

publicidade

Formação:
Sean Farber - voz
Eyal Levi - guitarra
Mike Kameron - teclados e sintetizadores
Emil Werstler - guitarra
Jeremy Creamer - baixo
Kevin Talley - bateria

Daath – The Hinderers
(2007 / Roadrunner Records – importado)

01. Subterfuge
02. From The Blind
03. Cosmic Forge
04. Sightless
05. Under A Somber Sign
06. Ovum
07. Festival Mass Soulform
08. Above Lucium
09. Who Will Take The Blame?
10. War Born (Tri-Adverserenade)
11. Dead On The Dance Floor
12. Blessed Through Misery
13. Hinderers

publicidade

Homepage: www.daathmusic.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fotos de Infância: Ozzy OsbourneFotos de Infância
Ozzy Osbourne

Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin