Resenha - God That Never Was - Dismember

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O sueco Dismember está “atingindo a maioridade”. São 18 anos de existência batalhando em prol da música extrema com tanta garra e honestidade que chegaram ao status de lenda no underground mundial, além de ser uma das mais citadas referências dentro do Death Metal. E para comemorar este aniversário, o conjunto está lançando seu sétimo álbum, “The God That Never Was”, que une as características marcantes do estilo à sede por diversificação e novos caminhos, que tantos artistas receiam em trilhar.
5000 acessosBob Daisley: baixista dá detalhes de sua briga com Osbourne5000 acessosMotivação: 10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estima

E este é um registro vencedor! Além de apresentar todos os elementos clássicos do gênero – vocalizações agressivas, instrumentais rápidos e crus – algo que chama muito a atenção em “The God That Never Was” são as guitarras e seus fascinantes arranjos melódicos, típicos do metal tradicional oitentista, que foram incorporados a algumas das canções e tornaram-nas por demais pegajosas. E, detalhe importante: praticamente não houve detrimento do furor que é a marca registrada tão importante no estilo.

Exemplos desta interessante simbiose podem ser conferidos em “Time Heals Nothing”, “Where No Ghost Is Holy” e a imbatível instrumental ”Phantoms (Of The Oath)”, dona de criativas estruturas diversificadas, magníficos solos e até alguns fraseados típicos do Iron Maiden. A verdade é que fica muito difícil dar destaque para apenas algumas canções num disco como este... Há momentos bem cadenciados como “Trail Of The Dead” e “Blood For Paradise”, que funcionarão muito bem ao vivo, enquanto a faixa-título, “Shadows Of The Mutilated” e “Into The Temple Of Humiliation” mantém a mais pura tradição do Death Metal brutal.

Com pouco mais 35 minutos, possui peso em dose mais do que suficiente para manter a fidelidade dos headbangers mais conservadores e melodias agradáveis para atrair novos admiradores. E tudo isso sem perder a integridade. “The God That Never Was” é mais um belo legado na discografia do Dismember, que está saindo em terras verde-amarelas e é praticamente indispensável aos amantes de Heavy Metal.

Formação:
Matti Karki – voz
Martin Persson – guitarra e baixo
David Blomqvist – guitarra e baixo
Fred Estby – bateria

Dismember - The God That Never Was
(2006 – Regain Records / Hellion Records – nacional)

01. The God That Never Was
02. Shadows Of The Mutilated
03. Time Heals Nothing
04. Autopsy
05. Never Forget, Never Forgive
06. Trail Of The Dead
07. Phantoms (Of The Oath)
08. Into The Temple Of Humiliation
09. Blood For Paradise
10. Feel The Darkness
11. Where No Ghost Is Holy

Homepage: www.dismember.se

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dismember"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dismember"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Bob Dasley abre jogo sobre os podres do Madman

MotivaçãoMotivação
10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estima

Green DayGreen Day
10 coisas que você não sabe sobre a banda

5000 acessosVegetarianismo: Nomes do Rock e do Metal que não comem carne5000 acessos"Cê tá de brincadeira, né?": quando grandes nomes vacilam5000 acessosMegadeth: Dave explica por que não tocar "The Conjuring"5000 acessosMarty Friedman: Por que ele largou o Megadeth para tocar J-Pop?5000 acessosIzzy Stradlin: Axl Rose mandou retirar cartaz de fã durante show?5000 acessosThe Voice Brasil: versão roqueira de canção do Michael Jackson

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online