Resenha - God That Never Was - Dismember

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


O sueco Dismember está "atingindo a maioridade". São 18 anos de existência batalhando em prol da música extrema com tanta garra e honestidade que chegaram ao status de lenda no underground mundial, além de ser uma das mais citadas referências dentro do Death Metal. E para comemorar este aniversário, o conjunto está lançando seu sétimo álbum, "The God That Never Was", que une as características marcantes do estilo à sede por diversificação e novos caminhos, que tantos artistas receiam em trilhar.

E este é um registro vencedor! Além de apresentar todos os elementos clássicos do gênero – vocalizações agressivas, instrumentais rápidos e crus – algo que chama muito a atenção em "The God That Never Was" são as guitarras e seus fascinantes arranjos melódicos, típicos do metal tradicional oitentista, que foram incorporados a algumas das canções e tornaram-nas por demais pegajosas. E, detalhe importante: praticamente não houve detrimento do furor que é a marca registrada tão importante no estilo.

publicidade

Exemplos desta interessante simbiose podem ser conferidos em "Time Heals Nothing", "Where No Ghost Is Holy" e a imbatível instrumental "Phantoms (Of The Oath)", dona de criativas estruturas diversificadas, magníficos solos e até alguns fraseados típicos do Iron Maiden. A verdade é que fica muito difícil dar destaque para apenas algumas canções num disco como este... Há momentos bem cadenciados como "Trail Of The Dead" e "Blood For Paradise", que funcionarão muito bem ao vivo, enquanto a faixa-título, "Shadows Of The Mutilated" e "Into The Temple Of Humiliation" mantém a mais pura tradição do Death Metal brutal.

publicidade

Com pouco mais 35 minutos, possui peso em dose mais do que suficiente para manter a fidelidade dos headbangers mais conservadores e melodias agradáveis para atrair novos admiradores. E tudo isso sem perder a integridade. "The God That Never Was" é mais um belo legado na discografia do Dismember, que está saindo em terras verde-amarelas e é praticamente indispensável aos amantes de Heavy Metal.

publicidade

Formação:
Matti Karki – voz
Martin Persson – guitarra e baixo
David Blomqvist – guitarra e baixo
Fred Estby – bateria

Dismember - The God That Never Was
(2006 – Regain Records / Hellion Records – nacional)

01. The God That Never Was
02. Shadows Of The Mutilated
03. Time Heals Nothing
04. Autopsy
05. Never Forget, Never Forgive
06. Trail Of The Dead
07. Phantoms (Of The Oath)
08. Into The Temple Of Humiliation
09. Blood For Paradise
10. Feel The Darkness
11. Where No Ghost Is Holy

publicidade

Homepage: www.dismember.se




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Darkened: banda de integrantes de conhecidas bandas death lança debut


Metal Hammer: 10 álbuns essenciais do death 'n' roll, segundo William BoydMetal Hammer
10 álbuns essenciais do death 'n' roll, segundo William Boyd


Anette Olzon: Eu fui demitida exatamente como Tarja também foiAnette Olzon
"Eu fui demitida exatamente como Tarja também foi"

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1988


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin