Resenha - Warrior Soul - Doro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


A musa do metal (E VAI A MERDA QUEM FALAR O NOME TARJA TURUNEN!) está de volta. Após o estranho "Fight" (que flertou com uma sonoridade mais moderna) e a mal-sucedida tentativa de recriar seus clássicos em versões orquestradas no CD/DVD "Classic Diamonds", a quarentona Doro Pesch (ainda em forma apesar de algumas rugas - a idade chega) volta com este novo "Warrior Soul". Podemos dizer que Doro estava devendo um bom CD, já que "Fight" tinha poucos momentos de brilho, e este CD vem para compensar esse débito com os fãs, que esperam ansiosos a vinda de Doro ao Brasil para shows.

Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As coisas começam bem com a hard e épica "You're My Family", uma boa faixa, aonde brilham as guitarras e a voz de Doro Pesch. "Haunted Heart" vem em seguida, e remete aos bons tempos do Warlock (sem comparações, a banda era bem superior), assim como a comercial "Strangers Yesterday" e os bons riffs de "Thunderspell".

O grande problema de Doro é que ela parece não ter mais a agressividade de outros tempos em sua voz. "Warrior Soul" ficaria muito melhor com os vocais rasgados que a vocalista fazia em seus CD's anteriores, e "Creep Into My Brain" soa perdida e sem agressividade, com a voz de Doro (muito menos rasgada e tendendo para o canto mais suave) sendo o grande senão. Ainda assim a diva consegue produzir grandes músicas como "My Majesty" (mostrando que o hard rock se encaixa bem em sua voz, e que esse estilo é de longe aonde ela se sai melhor neste CD), na balada "In Liebe Und Freundschaft" (cantada em alemão) e na quase hardcore (?) "Ungerbrochen". O pecado final fica para a cansativa "Shine On", confusa e sem identidade. Essa podia ter ficado de fora... mas não desligue o CD-Player após o final da música... sempre pode haver uma surpresa!

Não estamos ainda diante do CD que vai re-colocar Doro Pesch e banda nos eixos, mas ela mostra um bom trabalho (descontando alguns errinhos aqui e ali), e deixa uma lacuna bem aberta para um estilo mais hard e mais acessível, que combine com a voz mais suave que ela apresentou neste CD. No mais, um bom CD para quem é fã da alemã e que curte um bom rock and roll.

Formação:
Doro Pesch - Vocais
Nick Douglas - Baixo
Joe Taylor - Guitarra
Oliver Pelotal - Teclados
Johnny Dee - Bateria

Laser Company/RockBrigade - 2006 (NACIONAL)

Site Oficial: http://www.doropesch.com


Outras resenhas de Warrior Soul - Doro

Resenha - Warrior Soul - Doro




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Doro Pesch"


Kiss: as dez mais pesadas releituras de músicas da bandaKiss
As dez mais pesadas releituras de músicas da banda

Doro Pesch: musa alemã quer morrer no palcoDoro Pesch
Musa alemã quer morrer no palco


Iron Maiden: Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993Iron Maiden
Steve Harris pensou em acabar com a banda em 1993

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adGoo336