Doro: artista mediana, esforçada, gente boa e gostosa

Resenha - 20 Years: A Warrior Soul - Doro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Ela é uma gata. Suas formas ficam ainda mais sensuais embaladas nas calças de couro que são sua companhia desde sempre, seus olhos azuis exalam sensualidade e seu cabelo loiro a faz parecer uma deusa nórdica. Além disso, Doro Pesch vive cercada por músicos e ícones da música pesada, que, além de qualidade, agregam credibilidade ao seu trabalho.
438 acessosWarlock: Doro se reune a Tommy Bolan para tocar Triumph And Agony5000 acessosIron Maiden: Nado sincronizado ao som de "The Trooper"

O box “20 Years: A Warrior Soul” segue à risca a fórmula que a bela cantora alemã fidelizou em toda a sua carreira: heavy tradicional com algumas pitadas de power metal, contando com a participação especial de nomes consagrados como Lemmy Kilmister, Udo Dirkschneider e Blaze Bayley.

Essa maneira de embalar e vender o seu produto, seguida não apenas por Doro mas por vários outros artistas, me traz à mente o livro “O Mundo Como Idéia”, escrito pelo poeta brasileiro Bruno Tolentino, falecido em 2007. Nele, Bruno defendia a tese de que as virtudes e fraquezas dos personagens de um debate não eram discutidos no mundo real, mas sim transferidos para uma esfera abstrata, que ele batizou com o título de sua obra. Esse lugar, esse mundo metafísico, é onde ocorre o choque entre o velho e o novo, entre os modernos e os reacionários. Do ponto de vista do poeta, os tradicionais, os conservadores, aqueles que já estão estabelecidos, possuem sempre uma natural e intrínseca superioridade moral, fazendo com que toda e qualquer tentativa que soe diferente daquilo a que estamos acostumados venha carregada de uma dose de desconfiança que prejudica a sua avaliação.

Isso ocorre no heavy metal, há tempos e em todo o mundo. Doro Pesch é um exemplo clássico de como a escolha por uma estética mais tradicional na forma de fazer e vender a sua música influencia o modo como ela é avaliada pelos críticos e consumida pelos fãs. Se transferirmos esse raciocínio para o mundo da propaganda, é como se artistas como Doro tivessem o seu lado institucional muito bem trabalhado, com campanhas publicitárias que constantemente lembrassem ao seu público o quanto ela á verdadeira e ama o que faz, prejudicando uma análise imparcial e fria de seu trabalho atual.

Doro Pesch, por mais esforçada, gente boa e gostosa que possa ser, não passa de uma artista mediana, que faz, e sempre fará parte, do segundo escalão da música pesada mundial. Não possui o brilhantismo e o algo mais que poderia tirá-la desse nicho, colocando seu nome lado a lado com ícones metálicos, e essa fraqueza é algo que a própria Doro sabe e conhece muito bem em seu trabalho, tanto que procura compensá-la posando ao lado de artistas que agregam valor e credibilidade a sua arte, como, no caso desse DVD, fez com Lemmy, Udo e Blaze (tudo bem, esse último é questionável …). Podem me apedrejar, mas a lógica mercadológica de Doro é a mesma de grupos como o Manowar, auto-intitulados “reis do metal” mas donos de uma discografia que não sobrevive a uma análise mais profunda de qualquer crítico musical que leve o seu trabalho com seriedade.

Do outro lado da moeda, essa maneira de enxergar a música faz com que artistas que ousam trilhar caminhos inovadores não tenham o seu trabalho devidamente reconhecido pelos fãs ortodoxos do estilo. O preconceito contra a inovação faz com nomes como System Of A Down e Slipknot, só pra ficar entre os mais conhecidos, não sejam considerados “verdadeiros” e dignos de executar uma música tão “especial” quanto o heavy metal, apesar de terem lançado discos excelentes no decorrer de suas carreiras.

Onde eu quero chegar? No seguinte paradoxo: se você for “verdadeiro” e andar com as pessoas certas, a qualidade do seu trabalho fica em segundo plano. Para o metalhead xiita importa mais a máxima “diga com quem andas que te direi quem és” do que uma visão crítica e isenta sobre a arte de seus ídolos, enquanto, do lado oposto, músicos muito mais inovadores e criativos tem o seu trabalho subestimado por uma equivocada e gigantesca dose de preconceito.

Doro é uma gata, e fica ainda mais linda dentro de suas calças de couro. Isso é inegável, assim como não dá pra discutir a excepcional qualidade da embalagem gráfica do box de “20 Years: A Warrior Soul”. A caixinha é daquelas que, ao ser colocada na estante, chama a atenção dos seus amigos, atiçando a curiosidade de todos. Pena que, ao colocar os discos para ouvir, o material soe como mais do mesmo, como um heavy metal que, na maioria dos momentos, soa genérico e apático, trazendo à mente de qualquer consumidor mais atento pensamentos como “já ouvi isso antes”.

Bonita, gostosa e gente boa: essa é Doro Pesch. Mas, indiscutivelmente, esses três atributos ficam em segundo plano na hora de avaliar o seu trabalho, que não passa de mediano. Agora, se você faz parte do universo de headbangers que se enquadra na descrição que eu fiz acima, que, mesmo não sabendo, vê “o mundo como idéia”, vai achar “20 Years: A Warrior Soul” um item indispensável na sua coleção, obrigatório para os “verdadeiros” fãs do heavy metal.

Concluindo, essa resenha pode ser vista por dois pontos de vista: se você é um metalhead conservador vai achar tudo o que escrevi uma grande bobagem sem sentido, vai encher o mural de ofensas e vai perguntar o que um cara como eu faz escrevendo para um site como o Whiplash (ou seja, nada de novo e que já não foi dito antes). Agora, se a sua cabeça é mais do que apenas o suporte para seus longos cabelos, ao menos ele serve para fazer você pensar.

A escolha é sua.

DVD 1
- Warrior Soul - On the Road
01. Intro
02. Earthshaker Rock
03. Doro Rocks Hamburg
04. Haunted Heart
05. From Hamburg to Helmond - The Twilight Zone
06. You’re My Family
07. Hot In Helmond / Metal Mayhem In Madrid
08. True As Steel
09. From Madrid to Barcelona - Metal Man Saves Two Souls
10. Above The Ashes
11. Goodbye Barcelona - Hello Langen
12. Strangers Yesterday
13. Für Immer
14. Langen Farewell
15. Love Me In Black
16. Russia Special Part 1
17. My Majesty
18. Warrior Soul
19. Russia Special Part 2
20. All We Are
21. Outro

- 20 Years Anniversary - The Movie
01. Intro
02. I Rule The Ruins
03. Always Live To Win
04. Metal Racer
05. East Meets West
06. Out Of Control
07. Bad Blood
08. Tausend Mal Gelebt
09. White Wedding
10. Egypt, The Chains Are On
11. A Whiter Shade of Pale
12. Hellbound
13. You’ve Got Another Thing Coming
14. Fall For Me Again
15. Unholy Love
16. Fight For Rock
17. Love Me Forever
18. Für Immer
19. Born to be Wild
20. All We Are

DVD 2
- 20 Years Anniversary -The Concert
01. Intro
02. I Rule The Ruins
03. Always Live To Win
04. Metal Racer
05. Hellbound
06. True As Steel
07. Burning The Witches
08. Hellraiser
09. East Meets West
10. Metal Tango
11. Out Of Control
12. Unholy Love
13. A Whiter Shade Of Pale
14. Whenever I Think Of You
15. Fur Immer
16. Fall For Me Again
17. Tausend Mal Gelebt
18. White Wedding
19. Drum Solo
20. Bad Blood
21. Egypt, The Chains Are On
22. Brutal And Efficient
23. Love Me In Black
24. Earthshaker Rock
25. Love Me Forever
26. Fight
27. Burn It Up
28. You’ve Got Another Thing Coming
29. Alles Ist Gut
30. All Night
31. Fight For Rock
32. Evil
33. Born To Be Wild
34. All We Are

CD bônus
01. Everything’s Lost (Previously Unreleased)
02. You’re my Family (Live)
03. My Majesty (Live)
04. Above the Ashes (Live)
05. Für Immer (Live)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

438 acessosWarlock: Doro se reune a Tommy Bolan para tocar Triumph And Agony0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Doro Pesch"

Doro PeschDoro Pesch
Valorizando a vida por ter morrido na cadeia

KissKiss
As dez mais pesadas releituras de músicas da banda

Corey TaylorCorey Taylor
Sonhando com sexo grupal com Lita Ford e Doro Pesch

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Doro Pesch"

Iron MaidenIron Maiden
Nado sincronizado ao som de "The Trooper"

Angra e DetonatorAngra e Detonator
"Sem nenhuma dúvida, esse cara comprou a mídia!"

GuitarristasGuitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?

5000 acessosLuxúria: uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história5000 acessosMetal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo5000 acessosLars Ulrich: "Eu era o maior fã do Iron Maiden"5000 acessosMelissa Reese: sua função no Guns N' Roses e reações dos fãs a ela5000 acessosFortuna: quem são os músicos mais ricos do Reino Unido?4221 acessosSteve Harris: o Avenged Sevenfold é uma das poucas bandas relevantes atualmente

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online