Resenha - I, Monarch - Hate Eternal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Formado na Flórida em 1999, o Hate Eternal passou por vários problemas pessoais e até relativos a finanças, mas com garra foi superando as dificuldades e, após três anos afastados dos estúdios, eis que retornam com seu terceiro registro "I, Monarch". Em sua formação estão músicos veteranos e respeitáveis no underground, como o mentor Erik Rutan (voz e guitarra - ex-Ripping Corpse, Alas, ex-Morbid Angel), Eric Hersemann (guitarra - Diabolic, Lord Blasphemer), Randy Piro (baixo) e o fenomenal baterista Derek Roddy.

Metallica: a capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Jack Bruce: "Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!"

"I Monarch" segue a linha dos trabalhos anteriores, ou seja, death metal técnico, rápido e brutal até o osso, com letras que seguem o padrão geral dentro do estilo, abordando paganismo, anti-cristianismo e a força interior do homem. O talento destes músicos é nítido ao despejar bons solos e explorando muito bem seus riffs, além de uma cozinha que é uma verdadeira muralha, sendo seu baterista impecável com seus "blastbeats" se intercalando com viradas alucinantes. A junção destes instrumentistas resulta numa massa sonora intrincada e rica, nada novo, mas é coisa que realmente dá prazer em escutar.

A gravação e mixagem estão ótimas e ficaram aos cuidados do próprio Erik Rutan, em seu Mana Studios. As faixas estão muito bem niveladas, mas "Behold Judas" e "The Victorious Reign" com um contrabaixo insano e furioso, comprovam o porquê todo death metal que se preze tem que ser uma verdadeira fábrica de riffs. Por fim, a espetacular "Faceless One", faixa instrumental onde Roddy mostra serviço, apresentando um clima bem diferente, algo próximo do ritmo tribal, imperial, uma grata surpresa para fechar o registro.

"I, Monarch" merece uma conferida por qualquer entusiasta do Death Metal, com a garantia de que o Hate Eternal é um dos grandes nomes do underground norte-americano em se tratando de velocidade e brutalidade. É há notícias de várias edições distintas deste registro colocadas no mercado agora em 2006, então fica a sugestão aos amantes da música extrema de dar uma boa pesquisada e analisar as particularidades de cada uma antes da aquisição.

Hate Eternal - I, Monarch
(2005 - Earache Records - importado)

01. Two Demons
02. Behold Judas
03. The Victorious Reign
04. To Know Our Enemies
05. I, Monarch
06. Path To The Eternal Gods
07. The Plague Of Humanity
08. It Is Our Will
09. Sons Of Darkness
10. Faceless One

Homepage: www.hateeternal.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metallica: a capa do Death Magnetic lembra uma vagina?Metallica
A capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Jack Bruce: Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!Jack Bruce
"Foda-se o Led Zeppelin, eles são um lixo!"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin