Resenha - Rocked, Wired & Bluesed - Greatest Hits - Cinderella

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

10


Saindo uma nova coletânea que agradará ao pessoal que curte o lado mais poser do rock´n´roll: Cinderella com "Rocked, Wired & Bluesed: The Greatest Hits" é uma seleção que acompanha em ordem cronológica os maiores sucessos de seus quatro discos de estúdio, dando uma boa geral na carreira desta banda norte-americana que foi um dos maiores nomes do hard rock nos anos 80.

Tom Keifer (voz e guitarra), Jeff LaBar (guitarra), Eric Brittingham (baixo) e Fred Coury (bateria) se apresentavam no início de sua carreira com seus cabelos gigantescos e tantos outros excessos como praticamente a grande maioria das bandas que estouraram nesta época. Mas o Cinderella teve uma formação estável, seus membros sempre foram bons músicos e suas apresentações eram realmente cheias de energia.

publicidade

"Rocked, Wired & Bluesed: The Greatest Hits" mostra do álbum "Night Songs" (86), que é a fase mais espalhafatosa e também a mais pesada da banda, a ótima e até mesmo obscura faixa-título, a balada nervosa "Nobody’s Fool" e as pegajosas "Shake Me" e "Somebody Save Me".

A partir daí, o Cinderella cresce musicalmente e se afasta do visual excessivamente glam, colocando no mercado o aclamado "Long Cold Winter" (88), com uma musicalidade que já não possuía tanto peso e nem era tão direta quanto seu antecessor. Como representantes temos "Bad Seamstress Blues / Fallin’ Apart At The Seams" e a balada "Long Cold Winter", que traziam uma forte veia do blues, ótimas guitarras e a voz de Tom Keifer mais resmungona que nunca. Clássicos que nunca faltaram em suas apresentações são a otimista "Gypsy Road" e uma das mais bonitas baladas feitas por uma banda de hard rock: "Don’t Know What You Got (‘Til It’s Gone)". O CD traz ainda "The Last Mile", "If You Don’t Like It" e outra faixa lenta de nome "Coming Home".

publicidade

"Heartbreak Station" (90) mostrava uma banda com grande preocupação com a música em si. Esta coletânea apresenta "The More Things Change", "Shelter Me" e mais baladas como a bela "Heartbreak Station" e "Winds of Change". São faixas mais trabalhadas, com passagens acústicas em vários momentos, apresentando o blues mais forte do que nunca em detrimento da velha distorção.

publicidade

Por fim, apenas duas faixas do ótimo e negligenciado "Still Climbimg" (94), já sem o baterista Fred Coury: "Blood From A Stone" e "Hot And Bothered", que mostram um Cinderella já não tão apegado ao blues, soando bem mais hard rock.

"Rocked, Wired & Bluesed: The Greatest Hits" é uma excelente retrospectiva, com toda a certeza. Bem que poderia sair no mercado nacional, pois por aqui foram lançados apenas seus três primeiros registros, ainda no ultrapassado formato vinil...

publicidade

CINDERELLA - Rocked, Wired & Bluesed: The Greatest Hits
(2005 / Universal Music – importado)

01. Night Songs
02. Shake Me
03. Nobody’s Fool
04. Somebody Save Me
05. Bad Seamstress Blues / Fallin’ Apart At The Seams
06. Gypsy Road
07. Don’t Know What You Got (‘Til It’s Gone)
08. The Last Mile
09. Long Cold Winter
10. If You Don’t Like It
11. Coming Home
12. The More Things Change
13. Shelter Me
14. Heartbreak Station
15. Winds of Change
16. Blood From A Stone
17. Hot and Bothered

publicidade

Site Oficial: www.cinderella.net




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


1988: 99 discos de rock e metal lançados há 30 anos1988
99 discos de rock e metal lançados há 30 anos

Rock Nation: rádio elege melhor do Hard Rock dos 80sRock Nation
Rádio elege "melhor do Hard Rock dos 80s"


Capas de disco: como seriam se fossem gifs animadosCapas de disco
Como seriam se fossem gifs animados

Metal contra o câncer: festival aceita cabelo como ingressoMetal contra o câncer
Festival aceita "cabelo" como ingresso


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin