Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu explica porque Sandy não deve cantar músicas do Metallica

imagemO Metallica não tem mais o que provar, muito menos algo novo para oferecer

imagemOs curiosos dois significados da expressão "Eu quero ver o oco", segundo Digão

imagemNoel Gallagher revela o rockstar que ficou mais impressionado de conhecer pessoalmente

imagemA hilária crítica de Roberto Frejat contra fala cheia de "pretensão" do Bon Jovi

imagemO dia que Ivete Sangalo arrasou cantando Slayer com João Gordo na TV aberta

imagemO impagável apelido que Andre Matos deu a Luis Mariutti por sua pontualidade

imagemGuitarrista Brian Ray conta como é ter Paul McCartney como patrão

imagemOs Raimundos traíram os Titãs? Sérgio Britto comenta e conta a versão dele

imagemPaul Stanley, do Kiss, fala sobre os shows da reunião do Pantera

imagemAngra: Luis Mariutti conta sobre atritos entre Andre Matos e Rafael Bittencourt

imagemO surpreendente disco que Tom Morello considera um dos melhores de todos os tempos

imagemRobert Plant confessa de qual música o Led Zeppelin tirou "Gallows Pole"

imagemAndreas Kisser opina sobre a reunião do Pantera, que começou nesse sábado

imagemMetallica: o que Regis Tadeu achou de "Lux Aeterna", nova música da banda?


Summer Breeze
Samael Hypocrisy

Resenha - Yes - Magnification

Por Carlos Marques
Postado em 30 de setembro de 2005

A mania mercadológica de lançar um álbum de releituras orquestrado não foi páreo para a interminável criatividade dos gênios do Yes. Diferente de Mettallica, Deep Purple, Scorpions e outros, esse quarteto inglês lança o seu segundo trabalho orquestrado todo com músicas inéditas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Peraí, quarteto? Sim. Apenas Jon Anderson (Vocal), Chris Squire (Baixo), Steve Howe (Guitarra) e Alan White (Bateria) formavam a banda no momento da gravação do disco. A ausência de um tecladista é um dos maiores exemplos de ousadia do Yes uma vez que o posto já foi ocupado por ninguém menos que Rick Wakeman, Tony Kaye, Patrick Moraz, Geoff Downes e outros que sempre usufruiram de grande espaço nas composições da banda.

Magnification traz quase toda a influência recebida e transformada pelo Yes nos seus mais de 30 anos de estrada. Desde a influência original dos Beatles, passando pelo jazz, erudito, Rock e o Pop oitentista, tudo com o belo acompanhamento da orquestra conduzida e arranjada por Larry Groupè.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assim podemos sentir o gosto dos belos arranjos da década de 70 em músicas como "Magnification", "Dreamtime" e "In The Presence Of..."; o poderio rítmico dos 80 em "Spirit of Survival" e "Can you imagine" (esta cantada brilhantemente pelo baixista Chris Squire); e a Beatlemania sessentista em "Time is Time".

A ausência do teclado dá mais espaço à orquestra que se apresenta toda como um quinto componente, com direito a sessões que são quase como os solos que seriam efetuados por um tecladista. Mesmo assim a sonoridade da banda muda muito sem a presença das teclas, o que não chega a ser ruim. Afinal de contas, o mínimo que se espera de um álbum do Yes é que seja diferente. Em alguns momentos (curtos e poucos) o baterista Alan White toca alguns acordes ao piano, o que cria um bom efeito.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que se destaca com certeza é que a voz de Jon Anderson está perfeita nesse disco. As maravilhosas melodias e o timbre doce e cristalino do já sexagenário vocalista são de uma beleza tal que despertam as emoções mais prazeirosas, principalmente na canção "In the presence of...". Em outros momentos, como no calmo início da enérgica "Spirit of Survival", Anderson soa como um primeiro violino solando triunfante sobre uma reverente base orquestral.

Todos os arranjos são tão perfeitamente engendrados que a impressão que se tem é que o Yes sempre se apresentou com uma orquestra. Mesmo no final caótico da faixa-título sente-se a perfeita sincronia entre todos instrumentos que sabem exatamente o que fazer para desorganizar organizadamente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os destaques ficam por conta da faixa-título, "Give Love Each Day", "Dreamtime" e a emocionante "In the presence of...", uma das músicas mais sublimes da banda.

Talvez o único problema do disco não seja realmente musical. O problema está no encarte que não traz a duração de cada faixa e o nome da orquestra bem como dos instrumentistas que a compõem. Apesar disso, a arte visual é muito bela e bem diferente dos clássicos do desenhista Roger Dean que por anos coloriu os discos do grupo.

Concluindo: Magnification é a exaltação da capacidade e genialidade do Yes. Excelente para os novos fãs e para os saudosos órfãos de Close to the Edge.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Steve Howe conta que só agora o Yes toca "Close to the Edge" como ela foi escrita

Yes: as dez melhores performances de Chris Squire

1978: 70 discos de rock e metal lançados há 40 anos

Rolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos

Lynyrd Skynyrd: a história da espetacular "Simple Man"

David Gilmour largou vício maléfico após ouvir erro em disco do Pink Floyd