Resenha - Back to the Past - Killjoy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando De Santis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 5


Formado em 1998, na Polônia, a banda Killjoy é conhecida por ter experimentado todos os tipos possíveis de metal. No início, chamada de Mystic Side, a banda fazia um thrash metal, porém após quatro anos, passou a ser chamada de Killjoy e também mudou seu estilo, tocando Hard Rock. Não contente, começaram a ficar mais "heavy" novamente e nesse EP intitulado "Back to the Past", gravado em 2004, o Killjoy volta a tocar thrash metal, como o nome do CD indica, uma "volta ao passado".

Occult Rock: dez novas ótimas bandas para você conhecerRolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 90

Formado por Wojciech Bujoczek (vocal), Adam Rogowicz (guitarra), Marek Ludwicki (guitarra solo), Wojciech Gajda (baixo) e Marcin Bruner (bateria), o Killjoy faz um som pesado, mas não tão "thrash" quanto eu esperava - e como o release da banda indicava. O vocal de Bujoczek é bem limpo e a primeira faixa do EP, intitulada "Back to the Past", é bem cadenciada, um heavy bem feito que tem como destaque o refrão inspirado e um ótimo trabalho na bateria de Bruner. "Sinner" começa com um riff ao estilo Pantera, que também mostra que a banda tem seu lado pesado. O vocal de Bujoczek em alguns momentos soa como o de James Hetfield. Aliás, no release fazem questão de destacar que todos os integrantes "amam" Metallica e Iron Maiden. A influência do Metallica está bem nítida.

Porém a coisa desanda... "Million Chwil" é aquela faixa desnecessária, que não empolga em nada. Talvez o único destaque seja mais uma vez o ótimo trampo da bateria. E ao escutar "God's Commando" e "Puppet Show", me senti meio que enganado. Voltei as músicas e tive a impressão de que as composições são muito semelhantes entre si, falta criatividade, são todas cadenciadas, com riffs parecidos, não existe um diferencial entre as músicas. Talvez a primeira se destaque das demais, mas mesmo assim, tem os mesmos cacoetes.

Esse EP da banda Killjoy apresenta cinco faixas, mas ao escutar, dá a impressão de que se trata de um "musicão" de 21 minutos e 41 segundos (tempo total do CD). Se o full-album a ser lançado pelos poloneses seguir essa linha, será um tédio completo, só que em tempo maior.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kill Joy"


Occult Rock: dez novas ótimas bandas para você conhecerOccult Rock
Dez novas ótimas bandas para você conhecer

Rolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 90Rolling Stone
Os 100 melhores álbuns dos anos 90

Iron Maiden: versões pesadas para clássicos do RockIron Maiden
Versões pesadas para clássicos do Rock

Bon Jovi: as fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985Bon Jovi
As fotos do vocalista com mulheres nuas em 1985

Mamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?Mamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?

Scott Weiland: Dave Mustaine deu conselhos para o falecido cantorScott Weiland
Dave Mustaine deu conselhos para o falecido cantor

Ozzy Osbourne: Born Again é o melhor disco do Sabbath após a formação originalOzzy Osbourne
"Born Again é o melhor disco do Sabbath após a formação original"


Sobre Fernando De Santis

Paulistano, nascido em 1979, Fernando De Santis passa grande parte do seu tempo viajando entre São Paulo, Santos e Curitiba. Nas horas de viagens dentro de ônibus ou aviões, costuma ouvir Hard Rock, Heavy Metal e demos de qualquer estilo. Atualmente trabalha como webdesigner para o Estado de São Paulo. Mantém o site "We Burn", dedicado ao Helloween desde 1998, que nunca lhe trouxe nenhum dinheiro, mas rendeu muito amigos.

Mais informações sobre Fernando De Santis

Mais matérias de Fernando De Santis no Whiplash.Net.