Matérias Mais Lidas

Raimundos: Canisso reforça que Digão surtou pois chama até João Gordo de pela sacoRaimundos
Canisso reforça que Digão surtou pois "chama até João Gordo de pela saco"

Loudwire: o pior álbum de 25 grandes bandas de rock e heavy metal, por Joe DivitaLoudwire
O pior álbum de 25 grandes bandas de rock e heavy metal, por Joe Divita

Iron Maiden: por que Paul Di'Anno adotava visual tão diferente de outros do metalIron Maiden
Por que Paul Di'Anno adotava visual tão diferente de outros do metal

Alter Bridge: a postura de Eddie Van Halen ao ir a show da banda, segundo MylesAlter Bridge
A postura de Eddie Van Halen ao ir a show da banda, segundo Myles

Nightwish: Tuomas admite que pensou em acabar com a banda após Marko Hietala sairNightwish
Tuomas admite que pensou em acabar com a banda após Marko Hietala sair

Kiss: as cirurgias às quais Paul Stanley precisou ser submetido devido às turnêsKiss
As cirurgias às quais Paul Stanley precisou ser submetido devido às turnês

Black Sabbath: Bill Ward deveria ter feito show final com eles? Tommy Clufetos respondeBlack Sabbath
Bill Ward deveria ter feito show final com eles? Tommy Clufetos responde

Motörhead: Mikkey Dee pensa em Lemmy de uma forma totalmente positivaMotörhead
Mikkey Dee pensa em Lemmy de "uma forma totalmente positiva"

Anthrax: Scott Ian diz que ficou louco de ciúmes quando ouviu Metallica a primeira vezAnthrax
Scott Ian diz que ficou "louco de ciúmes" quando ouviu Metallica a primeira vez

Black Sabbath: as músicas com as melhores atuações do lendário Bill Ward, pela KerrangBlack Sabbath
As músicas com as melhores atuações do lendário Bill Ward, pela Kerrang

Bruce Dickinson: novo filme sobre o show de 1994 durante a guerra em SarajevoBruce Dickinson
Novo filme sobre o show de 1994 durante a guerra em Sarajevo

Eduardo Costa: ele diz que se inspirou em Cazuza e Renato Russo para sertanejo políticoEduardo Costa
Ele diz que se inspirou em Cazuza e Renato Russo para sertanejo político

Cannibal Corpse: Corpsegrinder diz que ninguém bate cabeça melhor que ele no mundoCannibal Corpse
Corpsegrinder diz que ninguém "bate cabeça" melhor que ele no mundo

Alice In Chains: para Nancy Wilson era óbvio que Layne perderia a luta contra as drogasAlice In Chains
Para Nancy Wilson era óbvio que Layne perderia a luta contra as drogas

Capital Inicial: comercial com Dinho Ouro Preto na final do BBB 21 é criticado na webCapital Inicial
Comercial com Dinho Ouro Preto na final do BBB 21 é criticado na web


Pentral
MOPD
Arte Musical

Resenha - Lemuria - Therion

Por Carlos Eduardo Corrales
Em 19/09/04

Matéria originalmente publicada no site
DELFOS – Diversão e Cultura
http://www.delfos.art.br

Desde que comecei a gostar mesmo de música, sempre torcia para que alguma das bandas das quais gosto lançassem um CD de estúdio duplo. Finalmente isso aconteceu, com o último lançamento do Therion, Lemuria/Sirius B. Contudo, apesar de na Europa ele ter saído em uma versão especial limitada com os dois CDs em um só pacote e tudo como deveria ser, no Brasil a gravadora optou por arrancar alguns trocados a mais dos pobres amantes da música lançando os dois álbuns em separado, com o exorbitante preço de 30 reais (na Galeria do Rock de São Paulo).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A desculpa dos vendedores para esse preço é que o CD é em Digipack. Sabe o que eu penso disso? DANE-SE! Em nenhum lugar do mundo CDs em Digipack são mais caros do que os normais. Eles normalmente são apenas uma edição especial para recompensar os fãs que comprem o CD na primeira prensagem. Ora, entre pagar 20 reais em um CD normal e 30 reais em um CD Digipack (que nem faixa bônus tem), sou muito mais gastar apenas 20. Até porque se as caixinhas em Digipack quebrarem ou amassarem, você simplesmente não tem como trocá-las. O problema é que essa opção não foi dada para os consumidores, talvez até porque a própria gravadora sabia que sairia perdendo em lançar duas versões com preços diferentes, sendo que a versão em Digipack não traz nenhuma faixa bônus, como é costumeiro na Europa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em todas as resenhas que li sobre os álbuns, apenas um texto foi publicado, abrangendo os dois trabalhos. Mas como são dois álbuns diferentes e cada um deles merece uma resenha própria, aqui você vai ler duas análises distintas. É claro que, como os dois foram gravados e compostos juntos e utilizando a mesma estrutura, muitas das qualidades e defeitos foram compartilhadas. Então vamos falar sobre isso antes de entrar nas músicas em si.

Em primeiro lugar, devo destacar a orquestra que toca nos álbuns. Nada mais, nada menos que a famosa Orquestra Filarmônica da Cidade de Praga. Curiosamente, apesar de contar com a maior e melhor orquestra que já teve em seus álbuns, tanto Lemuria quanto Sirius B são álbuns muito menos orquestrados do que os anteriores. Isso se deve ao direcionamento mais Metal que a banda optou seguir dessa vez, deixando um pouco de lado aquelas músicas normalmente tristes e complicadas para fazer um som mais alegre e empolgante. Aí vai de gosto, mas acho bem provável que o Therion perca alguns fãs que gostavam da banda justamente por ela ser uma banda de Metal completamente diferente de todas as outras (a diferença continua, mas muito menos acentuada).

Para coroar esse direcionamento mais Metal, a banda chamou Mats Levén (At Vance, ex-Malmsteen) para cantar alguns momentos onde uma voz mais agressiva era necessária. No passado, os álbuns da banda sempre contavam com um vocalista do estilo que mostrava seus dotes em uma música mais pesada, mas nestes álbuns, Mats canta em diversas faixas, aproximando a banda de vez do Metal tradicional.

Uma certa volta ao passado também se faz presente aqui, com a volta de Christofer Johnsson aos vocais guturais em duas faixas. Outro que está de volta é o baterista que fazia as vozes limpas na época do Theli (1996), Piotr Wawrzeniuk. Eu, particularmente, não gosto muito do timbre de sua voz, mas ele canta alguns dos melhores momentos dos álbuns, como o refrão de Lemuria, por exemplo.

Aliás, em timbres vocais, o Therion parece ter perdido um pouco nos novos lançamentos. Além de Piotr e de Mats (anteriormente a banda trabalhou com vocalistas do nível de Hansi Kursch e Ralf Scheepers), a soprano que mais faz solos, chamado Anna-Maria Krawe tem a voz um pouco aguda demais e não tão agradável quanto as vocalistas que cantaram anteriormente com a banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E já que estamos falando de defeitos, temos que reconhecer que a qualidade da gravação dos álbuns realmente não é das melhores. Muitas vezes o som (principalmente o vocal) fica completamente abafado, deixando difícil até mesmo entender as letras. O melhor exemplo disso é Typhon, uma espetacular composição cuja gravação tira boa parte de seu brilho.

Falando nas letras, justiça seja feita. O Therion manteve a altíssima qualidade que sempre teve neste quesito, continuando a falar de assuntos místicos e lendas através de pequenas obras de arte que, infelizmente, são ininteligíveis para grande parte das pessoas que escuta seu som.

Um último defeito que quero comentar é em relação ao encarte nesta versão nacional. Tanto Lemuria quanto Sirius B trazem encartes lindíssimos. É sério, são possivelmente os encartes mais bonitos que já vi na vida, coisa para se admirar página por página mesmo. Infelizmente, por algum motivo bizarro, a gravadora resolveu colá-lo na caixa. Sim, é isso mesmo que você leu, o encarte é colado dentro do Digipack. Isso não só impede que você possa manuseá-lo e admirá-lo à vontade, como obriga você a segurar a caixa junto enquanto acompanha as letras e olha as figuras. O negócio é realmente desconfortável de segurar e acompanhar e foi uma verdadeira bola fora da gravadora. Confesso que não sei se a versão européia também é assim, mas isso é irrelevante, pois é ruim de qualquer jeito.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Qualidades e defeitos gerais comentados, vamos falar agora exclusivamente do álbum Lemuria, que considero o mais legal entre os dois. A abertura com a ótima Typhon assusta um pouco para aqueles que esperavam um álbum na linha de Deggial e Vovin, pois é pesada, empolgante e alegre. Lembra bastante o som que a banda fazia no álbum Theli, quando começou a fazer experimentações com orquestras, até mesmo pela presença vocal de Christofer Johnsson no refrão, que é muito legal, mas mal pode ser ouvido direito, graças ao problema na gravação citado anteriormente.

A música seguinte, Uthark Runa tem um dos arranjos corais mais fortes do álbum. Contudo, o refrão cantado pelo vocalista Mats Levén deixa um pouco a dever, não pela sua performance, mas pela própria melodia que não é tão agradável, ainda mais se compararmos com a parte do coral. Ainda assim, Uthark Runa é um dos grandes destaques.

A seguir vem a maravilha chamada Three Ships Of Berik. Na minha opinião, a melhor música entre os dois álbuns, é talvez a música mais alegre já composta pelo Therion. Chega a lembrar até o estilo do Rhapsody, o que pode gerar alguns descontentamentos por parte dos fãs do lado mais gótico do Therion. Desnecessariamente, a música foi dividida em duas partes, sendo a parte 1 chamada de Calling To Arms And Fighting The Battle e a parte 2 (que é instrumental) chamada simplesmente de Victory. O desnecessariamente de algumas linhas atrás se deve à pequena duração de ambas as partes. A primeira dura mais ou menos 3 minutos e meio, enquanto que a segunda dura apenas 40 segundos. Ou seja, as duas partes somadas não são nem ao menos a música mais longa do álbum. A impressão que dá é que a banda optou por dividi-la em duas partes para criar a ilusão de que Lemuria não é um disco tão curto (tem apenas 42 minutos, conheço EPs maiores que isso). Apesar disso, Three Ships Of Berik é fantástica e ainda estou tentando me conformar com o fato de que ela não foi tocada ao vivo no Brasil (leia uma resenha detalhadíssima do show de São Paulo aqui).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A faixa-título é a quinta música (que na verdade é a quarta) e apenas agora chegamos à primeira balada do disco (o que é estranho, já que o Therion sempre investiu forte nas baladas). Essa é, possivelmente, a música dos dois álbuns mais próxima ao Therion que conhecemos e amamos e é outra das minhas preferidas. Seu refrão é simplesmente fantástico, daqueles que ficam marcados na cabeça na primeira ouvida.

Depois de um início tão forte, a segunda metade do álbum não mantém o mesmo pique e uma esfriada é inevitável. O que não significa que a outra metade é ruim, pois ainda traz outras músicas muito legais, como a pesada Abraxas, que conta com um grito especial de Mats Levén que é para lá de empolgante. Outro destaque é a última música Feuer Overture/Prometheus Entfesselt que, talvez por ser cantada em alemão, tem um quê de Rammstein que a deixa bem interessante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como já deu para perceber, Lemuria é um tremendo de um disco. Tem seus defeitos, é claro, mas as qualidades indubitavelmente os superam sem nenhuma dificuldade. Não deixe de conferir também minha resenha de Sirius B e uma conclusão final sobre os dois trabalhos.


Outras resenhas de Lemuria - Therion

Therion: Lemuria, um disco de mudanças

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

💬 Ler e postar comentários


Stamp
Korzus
Edu Falaschi - Vera Cruz
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


King Diamond, Therion, Hammerfall: músicos gravam cover de Heaven Is A Place On EarthKing Diamond, Therion, Hammerfall
Músicos gravam cover de "Heaven Is A Place On Earth"

Therion: Metal Mantra Podcast resenha "Leviathan"

Therion: confira "Leviathan, novo álbum que conta com participação de Marko Hietala

Therion: lançamento de Leviathan e clipe de TuonelaTherion
Lançamento de Leviathan e clipe de Tuonela

Therion: Leviathan será uma trilogiaTherion
Leviathan será uma trilogia

Snowy Shaw: ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no NightwishSnowy Shaw
Ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no Nightwish


Metal Sinfônico: dez álbuns essenciais do gêneroMetal Sinfônico
Dez álbuns essenciais do gênero

Metal sinfônico: os 10 melhores segundo o TeamRockMetal sinfônico
Os 10 melhores segundo o TeamRock

HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Guns N' Roses: Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?Guns N' Roses
Mauricio de Sousa, o criador da Turma da Mônica, odeia a banda?

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA


Sobre Carlos Eduardo Corrales

Carlos Eduardo Corrales é jornalista e fotógrafo há oito anos. É editor-chefe do Delfos - www.delfos.jor.br - o maior site nerd de jornalismo parcial reflexivo humorístico do mundo. Sua principal característica é não levar nada a sério, até mesmo quando fala sério. A única exceção, claro, são os ensinamentos do Deus Metal. Com esse ele não brinca, pois não quer que o Vento Preto venha tirar satisfação.

Mais matérias de Carlos Eduardo Corrales no Whiplash.Net.