[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Stamp

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Por André Toral
Postado em 01 de março de 2000

Em seu início de carreira, o Judas Priest mesclava, soberbamente, heavy e rock. Vários anos se passaram e a banda seguia destilando seus poderosos riffs, até início dos anos 80. Após este tempo, seguiram-se álbuns fracos em conteúdo musical, que vieram a diminuir a reputação conseguida após os lançamentos de Sin After Sin, Sad Wings of Destiny, Briths Steel etc; alguns desses são Point of Entry, Turbo e Ram it Down. Porém, logo após esta baixa, o Judas Priest volta para ficar de vez impresso na alma de todo e qualquer headbanger fanático por peso e melodia; o lançamento de Painkiller, em 1990, foi o grande responsável por esta façanha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Podemos começar citando a arte fenomenal da capa do álbum, já a banda, surpreende a partir da majestosa introdução com a faixa-título, onde a bateria de Scott Travis começa a ditar o tom da destruição metálica existente no álbum; cheia de melodias, fúria, peso e um vocal iradamente agressivo, Painkiller, de cara, é um dos clássicos da banda. Destacam-se, também, as guitarras com seus solos inesquecíveis, compondo a estrutura desta faixa. Hell Patrol é outra música que mescla melodia vocal com peso nas guitarras, de forma genuína, com Gleen Tipton e K.K Dowing no melhor de suas formas. All Guns Blazing e Leather Rebel seguem a dinastia. Outra das faixas que traz um heavy incontrolável, é justamente Metal Meltdown. Um outro grande clássico do álbum, fica por conta da inconfundível Night Crawler, seguida da não menos clássica, mas também dramática, A Touch of Evil; destaca-se pela dramaticidade existente na voz de Rob Halford, junto ao seu altíssimo alcance já antes comprovado, bem como o riff que compõe a base da música e seu solo maravilhoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Além de todos estes fatores, Painkiller faz parte de uma lembrança muito forte, pois foi com o lançamento deste álbum que o Judas Priest pôde vir a se apresentar no Rock in Rio II, destilando toda a sua fúria e peso para os brasileiros, que, neste oportunidade, puderam presenciar várias fases da banda, de forma ao vivo, como Green Manalishi, Beyond the Realms of Death, Living After Midnight, Breaking the Law, Hell Bent for Leather, além das músicas de Painkiller. Com uma apresentação ultra maravilhosa, a banda se despediu de nosso país; atualmente estando com seu novo vocalista, Ripper Owens, fica a esperança de que o Judas Priest volte e destile seu peso em forma bruta sobre nós, brasileiros amantes do heavy metal genuíno.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Outras resenhas de Painkiller - Judas Priest

Judas Priest: "Painkiller", marcando os anos noventa

Judas Priest: 24 anos de uma obra prima do Heavy Metal mundial

Judas Priest: em 1990, a banda atingia seu ápice com Painkiller

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Summer Breeze 2024

Perc3ption: a arte levada ao extremo

Resenha do Álbum do Insânia ao vivo no Underground Nativa III

Sentença de Morte: Death Metal para quem curte Death Metal bem executado

Triumph Of Death, projeto de Tom Warrior, resgata ao vivo parte do passado do Hellhammer

Spiritual Cramp acerta a fórmula, mas álbum satura em 26 minutos

Estreia do Superbloom traz de volta o grunge protagonista dos anos 1990

Stratosphere Project: O eco estrondoso da Via-Láctea fundindo-se nas dimensões ocultas

Osbourne: pesado, mas antes de tudo moderno

Resenha - Dark Side of The Moon - Pink Floyd

Resenha - Vovin - Therion

Resenha - P.U.L.S.E. - Pink Floyd


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.
Mais matérias de André Toral.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS