Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana cuja letra fala sobre esperança de Renato em se curar da AIDS

imagemTom Morello explica por que o RATM se reúne, mas não lança novas músicas

imagemMax e Iggor convidam Jairo, detonam no Rio e alfinetam: "Verdadeiro Sepultura"

imagemA lenda do Rock que se arrepende de nunca ter dormido com Jimi Hendrix

imagemNando Reis e a enigmática música que ele queria usar para seduzir Marisa Monte

imagemMetallica e as duas músicas do "Black Album" que retratam traumas de James Hetfield

imagem"Babá de Artista" do Rock in Rio diz que Iron Maiden não dá trabalho e são "gentleman"

imagemPodcast diz que prática comum no black metal hoje seria "coisa de esquerdomacho"

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemPink Floyd: Roger Waters relembra a última vez que viu Syd Barrett

imagemDinho lembra quando entrevistou Robert Plant sem poder falar sobre Led Zeppelin

imagemO hit dos Engenheiros do Hawaii com citação de canção soviética sobre defender a pátria

imagemO hit dos Engenheiros do Hawaii que faz uma dura crítica à panelinha do rock nacional

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemDiscos do Sepultura serviram de inspiração para novo álbum do Soulfly? Max responde


Stamp

Judas Priest: 24 anos de uma obra prima do Heavy Metal mundial

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Por David Torres
Em 08/09/14

Chega ser engraçado, mas hoje é o aniversário de dois importantíssimos trabalhos da história do Heavy Metal mundial: "Powerslave", do Iron Maiden e "Painkiller", do Judas Priest. Ambos são trabalhos totalmente irrepreensíveis e que entregam aos fãs exatamente aquilo que desejam ouvir, apresentando composições completamente inspiradas e muito bem construídas. Após ter escrito um texto falando sobre "Poweslave", decidi fazer outro sobre esse que é sem sombra de dúvida um petardo à altura do álbum gravado por Steve Harris e Cia. Lançado em 3 de setembro de 1990 através do selo da gravadora Columbia Records, "Painkiller" é o décimo álbum de estúdio da carreira da eterna lenda do Heavy Metal britânico Judas Priest. O que dizer sobre "Painkiller"?! Dizer que é um grande disco de uma grande banda chega a ser "chover no molhado". É uma legítima obra que exala Heavy Metal desde a sua arte de capa até o último acorde gravado para o disco. Completando hoje o seu aniversário de 24 anos, é uma obra que inspira incontáveis bandas e músicos até os dias de hoje.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Judas Priest já havia lançado verdadeiras obras primas para a música pesada até o momento, entretanto, logo na faixa de abertura desse lançamento se percebe que a banda realmente estava com um apetite exagerado por velocidade, algo até então ainda não explorado dessa forma pela banda, mais rumando inclusive para o "Speed Metal" em certos momentos. Uma ensandecida bateria abre o disco com aquele que é um dos maiores hinos do Metal, "Painkiller", a faixa título e um dos "singles" gravados para o álbum. Os vocais absurdamente potentes e agudos do eterno "Metal God" Rob Halford rasgam os autofalantes rapidamente e abre caminho para um virtuoso trabalho da dupla de guitarristas Glenn Tipton e K. K. Downing, além de contar também com uma "cozinha" fantástica, composta pelo baixista Ian Hill e pelo baterista Scott Travis (esse é o primeiro trabalho de estúdio realizado pelo músico na banda, que antes integrava o Racer-X). Contando com um pouco mais de seis minutos de duração, um instrumental perfeitamente devastador e letra e refrão poderosíssimos, não existem palavras que possam descrever a verdadeira explosão metálica que esse som transmite. Halford e Cia entregam aos fãs um trabalho repleto de energia e "feeling" do início ao fim. Sem deixar o clima esfriar, é a vez de "Hell Patrol" implodir as caixas de som. Novamente somos presenteados com levadas fenomenais de bateria, "riffs" e solos magníficos, além de vocais sempre impressionantes e poderosos de Rob Halford, que transita sua voz de forma sempre exímia. Uma tremenda forma de continuar um álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A voz de Halford ecoa pelos autofalantes e rapidamente abre caminho para "All Guns Blazing", a terceira e novamente empolgante faixa desse brilhante disco. Novamente o que temos aqui é uma sucessão de "riffs" vorazes e solos recheados de um interminável "feeling", tudo muito bem acompanhado por um vistoso trabalho da "cozinha" de bateria e baixo e por vocais extraordinários. Sem perder tempo, é a vez de "Leather Rebel" dar as caras. Halford não se utiliza de falsetes nessa faixa e em momento algum isso é um ponto negativo. Muito pelo contrário, pois seus vocais se encaixam perfeitamente nos riffs de Tipton e Downing. Mais um grande destaque do álbum! Um solo hipnótico de guitarra introduz os ouvintes a quarta e igualmente esmagadora faixa do álbum, "Metal Meltdown". O nome da canção já diz tudo! Apresentando um ritmo matador e frenético, é uma canção perfeita para "banguear" sem dó, contando com mais uma enxurrada de "riffs" e solos de guitarra fantásticos, vocais agudíssimos e um competente e poderoso trabalho de baixo e bateria. "Night Crawler" dá sequência ao trabalho, apresentando um andamento mais cadenciado e contido, porém que jamais deixa de empolgar por isso. Halford volta a cantar de forma mais contida aqui, transitando um pouco a sua voz para partes mais agudas em alguns momentos. É também mais um dos "singles" lançados para o disco e igualmente mais uma ótima música!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A maravilhosa "Between the Hammer & the Anvil" vem logo em seguida e é novamente um grande destaque do disco, com seus "riffs" e solos sempre tocantes, onde mais uma vez Halford tem caminho livre para transitar seus vocais de forma competente. Após tantas faixas mais velozes do que uma bala, a banda decidi apertar os freios e entrega aos ouvintes a bela balada "A Touch of Evil", mais um "single" e um grande clássico do álbum. Apresentando melodias tocantes de guitarra, um vistoso trabalho de baixo e bateria, além de um deslumbrante desempenho vocal de Halford, é sem dúvidas um grande destaque não apenas desse trabalho como da carreira da banda como um todo. A breve instrumental de pouco menos de um minuto de duração "Battle Hymn" vem em seguida e abre espaço para a grandiosa "One Shot at Glory" encerrar o álbum de forma coesa, novamente trazendo arranjos belíssimos e um habilidoso trabalho de cada integrante. Na edição de relançamento de 2001 há também uma ótima faixa título, a balada "Living Bad Dreams", gravada durante as sessões do álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Após o lançamento do disco, a banda chegou a ser indicada para o Grammy Awards de 1991 na categoria "Melhor Performance de Metal" e chegou a tocar na segunda edição do Rock In Rio no mesmo ano, ao lado do Megadeth, Guns N’ Roses, Queensryche e Sepultura. Infelizmente, pouco depois, o vocalista Rob Halford deixaria a banda, retornando apenas em 2005 no álbum "Angel of Retribution". "Painkiller" é aquele típico álbum que já nasceu um clássico. Não há uma faixa fraca sequer no disco. Todas cumprem o seu propósito e atingem o ouvinte de forma eficaz e fazem desse trabalho uma legítima obra prima da música pesada mundial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

01. Painkiller
02. Hell Patrol
03. All Guns Blazing
04. Leather Rebel
05. Metal Meltdown
06. Night Crawler
07. Between the Hammer & the Anvil
08. A Touch of Evil
09. Battle Hymn" (Instrumental)
10. One Shot at Glory"

Faixas bônus da Edição de Relançamento de 2001:
11. Living Bad Dreams (Gravada durante as sessões de "Painkiller")
12. Leather Rebel (Ao vivo no Foundation's Forum, Los Angeles, Califórnia, em 13 de setembro de 1990)

Rob Halford (Vocal)
K. K. Downing (Guitarra)
Glenn Tipton (Guitarra)
Ian Hill (Baixo)
Scott Travis (Bateria)
Don Airey (Teclado em "A Touch of Evil")


Outras resenhas de Painkiller - Judas Priest

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Resenha - Painkiller - Judas Priest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Metralhadora, celebridade algemada: a louca turnê de "British Steel", do Judas Priest

Dez clássicos do rock e do heavy metal que não têm bateria

Max Cavalera diz que deseja trabalhar com Bruce Dickinson e outros dois ícones do metal

Judas Priest: Rob Halford comenta a influência de Led Zeppelin e Queen

Regis Tadeu analisa "Screaming For Vengeance", um dos maiores clássicos do heavy metal

Judas Priest: Produtor relembra rivalidade positiva entre Glenn Tipton e K. K. Downing

Halford ficou jururu ao saber que Judas vai receber "prêmio de consolação" do Rock Hall

Rob Halford relembra as loucuras do passado; "Nós estávamos dançando com a morte"

Rob Halford mostra a imagem mais pesada que você vai ver nesta semana

Metal FC: confira como seria um time de futebol formado por onze ícones do heavy metal

Judas, Megadeth e Van Halen aparecem em lista de "50 piores músicas" de grandes artistas

"O Iced Earth era tão grande quanto o Judas Priest", diz Tim Ripper Owens

Dez hits do heavy metal que podem ser ouvidos por quem não gosta do estilo

Tim Ripper fala sobre a relação com Rob Halford e diz que há respeito mútuo entre eles

Tim Ripper diz que é "chocante" ver que sua história no Judas foi apagada

Heavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

Dio: "a voz dele seguirá conosco e será lembrada para sempre", diz Halford

Vocalistas: os menos conhecidos de bandas famosas

Gibson: os 50 melhores covers da história do rock

Nirvana: Dave Grohl comenta sobre o funeral de Kurt Cobain


Sobre David Torres

Formado em Propaganda & Marketing, se autodenomina "Fanfarrão" graças ao seu senso de humor e modo de enxergar o mundo à sua volta. Apaixonado por filmes de terror, quadrinhos e bandas como D.R.I., Faith No More e Napalm Death, escreve também para o blog Blasting Noise Fanzine. Possui muitos sonhos, dentre eles dar início a um projeto de grindcore.

Mais matérias de David Torres.