Resenha - Train Of Thought - Dream Theater

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6

Sei exatamente o tamanho do problema que estou comprando ao comentar este álbum. É bronca, na certa, falar algo negativo de uma banda com grande número de fãs, fiéis, e pior de tudo, músicos ou metidos a. Em outras palavras, com argumentos pseudocientíficos para explicar qualquer ruído dos instrumentos de seus ídolos. Fazer o quê? Piuí piuí, lá vem o trenzinho do Dream Theater e lá vamos nós descendo a lenha.

Dream Theater: 30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da bandaChester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Diante das esperanças de quem ouviu "Awake", "A Change Of Seasons" ou "Scenes From A Memory", este "Train Of Thought" é a total frustração. Quisera eu fosse apenas por causa de um excesso de expectativa, mas não, o álbum é ruim mesmo!

Novamente, eles tocam muito, são músicos extraordinários, e disso ninguém duvida. Porém, a inspiração foi-se. Na execução, é óbvio, cem por cento. Já nas composições, ih! Haja paciência para riff em cima de riff, nada dinâmicos, sem razão para existirem.

"Opa, acabaram-se as idéias, vamos mudar". É assim que funciona. Músicas como "This Dying Soul", "Honor Thy Father" e "Stream Of Consciousness" soam maçantes e mecânicas. Nas guitarras, que decepção, será John Petrucci ou Michael Angelo? Sem pegada, escalas de conservatório para adequarem-se ao "irado" dos temas. E não alcançam o objetivo.

Se o mecanicismo é extremo no instrumental, nos vocais LaBrie não fica no meio termo, infelizmente, e vai para um lado totalmente oposto. Ele é a falha mecânica. Foram-se os tempos de "Images & Words", e o canadense não é boa escolha para acompanhar um disco com pretensão de agressividade.

Apesar de tudo o que foi falado, eles ainda conseguem certo sucesso, como em "As I Am", mais curta e direta, como todas as outras faixas deveriam ser. "Vacant" passa, e "Endless Sacrifice" e "In The Name Of God" justificam a categoria do Dream Theater.

Existem momentos muito bons, mas desconexos e inexpressivos perante aquilo que os norte-americanos se tornaram, a grande banda de metal progressivo do planeta. Eles têm méritos e fizeram por onde ter tamanha expressão, com excelentes produções e discos inesquecíveis. Nem por isso são intocáveis e deixam a maior mancha de suas carreiras com "Train Of Thought".

Site Oficial: http://www.dreamtheater.net

Formação:
James LaBrie (Vocais)
John Petrucci (Guitarras)
Jordan Rudess (Teclados)
John Myung (Baixo)
Mike Portnoy (Bateria)


Outras resenhas de Train Of Thought - Dream Theater

Dream Theater: Train Of Thought é jornada longa, pesada e sombriaDream Theater
Train Of Thought é jornada longa, pesada e sombria

Resenha - Train Of Thought - Dream TheaterResenha - Train Of Thought - Dream TheaterDream Theater: Train of Thought é rico e repleto de qualidades




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dream Theater"


Dream Theater: 30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da bandaDream Theater
30 anos depois, Charlie Dominici publica video raro da banda

Mike Portnoy: compartilhando imagens com a mãe, falecida tragicamenteMike Portnoy
Compartilhando imagens com a mãe, falecida tragicamente

Dream Theater: Mike Portnoy diz que precisava de um tempo da bandaDream Theater
Mike Portnoy diz que "precisava de um tempo" da banda

Dream Theater: fãs queriam Pull Me Under fora dos shows, crê James LaBrieDream Theater
Fãs queriam Pull Me Under fora dos shows, crê James LaBrie

Sons of Apollo: novo álbum MMXX será lançado em janeiro de 2020; veja teaserSons of Apollo
Novo álbum MMXX será lançado em janeiro de 2020; veja teaser

Mike Portnoy: no colo do Papai Noel e reclamando de horários de shows no BrasilMike Portnoy
No colo do Papai Noel e reclamando de horários de shows no Brasil

Mike Portnoy: como estão sendo os shows com Noturnall e Edu Falaschi no BrasilMike Portnoy
Como estão sendo os shows com Noturnall e Edu Falaschi no Brasil

Em 04/11/1956: nascia o tecladista Jordan Rudess

Mike Portnoy: assistindo a jogo do Atlético-MG com músicos brasileirosMike Portnoy
Assistindo a jogo do Atlético-MG com músicos brasileiros

Em 26/10/1999: Dream Theater lançava Metropolis Pt. 2 Scenes from a Memory

Dream Theater: Petrucci revela sua maior influência na guitarraDream Theater
Petrucci revela sua maior influência na guitarra

Solos de guitarra estendidos: os melhores feitos em shows ao vivoSolos de guitarra estendidos
Os melhores feitos em shows ao vivo


Chester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellChester Bennington
A tocante carta que ele escreveu para Chris Cornell

Chris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morteChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adGooILQ