Resenha - Nothing To Remember - 40 Grit

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Um álbum como "Nothing To Remember" é capaz de enlouquecer qualquer crítico de metal. É o tipo do disco que contém muitas características e se enquadra no nu-metal, mas ao mesmo tempo explicita alguns pontos que as bandas do estilo possuem, porém só os ouvidos mais atentos são capazes de ouvir. Boas melodias nos vocais, passagens semi-acústicas de alta qualidade, climas bem criados, e harmonias simples, contudo diferenciadas.

Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuaisRock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Começa a mídia, a partir de tais dados, num movimento que constitui uma autêntica palhaçada, a nomear o 40 Grit de metal moderno, rock comercial, melódico, alternativo e daí vamos. Tudo para fugir do rótulo nu-metal unicamente por este se tratar de algo abominável para seus leitores. Faça diferente e raciocine que neste estilo também surge muita coisa boa.

Scratches, DJs, vocais de rap e coisas do tipo, não entram neste lançamento da Metal Blade. Há alguns toques de Stone Temple Pilots (mais pesado), Machine Head e similares. A produção é excelente assim como geralmente o que ouvimos proveniente dos grupos citados.

Os músicos tocam de maneira coesa e com eficiência. Guitarras bem pesadas, com afinações típicas da vertente que fazem parte também aparecem. O baixo se destaca bastante e Kevin Young participa amplamente da constituição harmônica.

O único problema está nos vocais de James Santiago, que não têm muita pegada. Ele tenta por vezes ir a pontos mais extremos, porém não consegue dar a levada, por exemplo, e fazendo uma referência razoavelmente próxima, àquilo alcançado pelo Anthrax em "Taking The Music Back" com John Bush no recente "We've Come For You All" (2003).

Antes de ouvir, você precisaria se desvencilhar das barreiras certeiras. Faça isso, ao invés de tentar o contrário, negando e tentando desvencilhá-los de um estilo ao qual pertencem e ostentam muito bem.

Site Oficial: http://www.40grit.com

Line-Up:
James Santiago (Vocal - Guitarra)
Chris Anderson (Guitarra - Vocais)
Kevin Young (Baixo)
Andy Green (Bateria)

Material cedido por:
Metal Blade Records Inc. USA - http://www.metalblade.com
2828 Cochran St. Suite 302 Simi Valley, CA 93065
Hotline: +1 805-522-7548
Email: metalblade@metalblade.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "40 Grit"


Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuaisMetal/Hard
Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Rock In Rio: Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985Rock In Rio
Freddie Mercury desdenhou dos artistas brasileiros em 1985


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336