Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"


Airbourne 2022

Resenha - Seventh Star - Black Sabbath

Por Paulo Finatto Jr.
Em 28/07/03

Quando tudo parecia estar perdido após o lançamento de "Born Again", que contava com um Black Sabbath bastante modificado em relação à formação clássica (que contava com Ozzy, Iommi, Buttler e Ward), após a passagens de grandes vocalistas pela banda como Ronnie James Dio e Ian Gillan, em 1986 foi a vez de Tony Iommi reformar o Black Sabbath, e por isso, colocar como título do que seria o próximo álbum o nome da banda modificado para Black Sabbath – Featuring Tony Iommi.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mesmo tendo apenas o guitarrista como membro original, sem sombras de dúvidas "Seventh Star" é um disco do Sabbath. Glenn Hughes (vocal, já havia tocado no Deep Purple – também baixista), Dave "The Beast" Spitz (baixo), Geoff Nichols (teclado, já havia trabalhado com a banda em dois discos anteriores, "Heaven and Hell" e "Mob Rules"), Eric Singer (bateria, tocara com o Kiss), além de Tony Iommi (guitarra), formaram o Black Sabbath nesta época, formação que gravou junta somente neste disco.

Para a época pode-se dizer que a produção do disco ficou muito bem feita, mas o que chama mais a atenção é o fato de a banda fazer um tipo de rock bem diferente da época de discos como "Master of Reality" e "Vol. 4", diferente do hard/heavy da época de "Heaven and Hell", algo fortemente influenciado pelo progressivo (Deep Purple), e bandas como AC/DC e Led Zeppelin.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A escolha dos músicos por parte de Iommi foi muito bem feita. Hughes é um dos maiores vocalistas da história quando se fala de hard/rock. Eric Singer... bem... sobre esse basta vermos seu currículo ao lado de Alice Cooper e Kiss.

Abrindo com a rápida e pesada "In For the Kill", uma das melhores do álbum, o CD já vai para a balada "No Stranger to Love", que mais tarde viraria videoclipe. Para quebrar o tempo cadenciado, o disco segue com a certeira "Turn to Stone", com um show de Eric Singer, ao contrário da primeira, em que o destaque vai na sua quase totalidade para Glenn Hughes. Em uma linha mais rock 70’ está a faixa "Danger Zone", assim como "Heart Like a Wheel", uma faixa destinada exclusivamente à virtuose de Tony Iommi com uma invejável interpretação de Hughes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pena que em nove faixas (oito músicas – "Sphinx The Gardian" é apenas uma introdução) não há nem 35 minutos de música. O disco prometia, as músicas mais pesadas são realmente boas, mas o que acabou "estragando" foi a alta quantidade de músicas paradas, baladas ou não.

Line-up:
Glenn Hughes (vocal);
Tony Iommi (guitarra);
Dave "The Beast" Spitz (baixo);
Geoff Nichols (teclado);
Eric Singer (bateria).

Track-list:
01. In For the Kill
02. No Stranger to Love
03. Turn to Stone
04. Sphinx (The Guardian)
05. Seventh Star
06. Danger Zone
07. Heart Like a Wheel
08. Angry Heart
09. In Memory...


Outras resenhas de Seventh Star - Black Sabbath

Resenha - Seventh Star - Black Sabbath (Featuring Tony Iommi)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Black Sabbath: dez músicas obscuras porém fantásticas

Geezer Butler: cansado de engordar e ver TV após Sabbath se aposentar



Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre

Mais matérias de Paulo Finatto Jr..