Resenha - Rising Moangá - Glory Opera

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


Ao ouvir este CD, "Rising Moangá", nota-se perfeitamente o porquê de o Glory Opera ser considerado a revelação do metal nacional, segundo pesquisas populares nas duas maiores revistas do gênero no país. Lançado pela Megahard no segundo semestre de 2002, "Rising Moangá" une melodia, agressividade com diversos toques de música regional brasileira, mais precisamente, vinda de Manaus/AM.

Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethSgt. Peppers: O mais importante disco da história?

A formação da banda conta com Humberto Sobrinho (vocal) e Helmut Quacken (bateria), ambos chegaram a fazer testes para entrar no Angra em 2000, sendo que o vocalista chegou a gravar uma versão demo para "Acid Rain" (Angra). O line-up é completado por Jean Rothen e Stanley Wagner (guitarras), Emerson Dácio (baixo) e Paulo Rangel (teclado) - este não mais na banda. Obviamente que os destaques são Humberto e Helmut, este último, já podendo ser citado como um dos melhores bateristas do Brasil. Jean é um excelente guitarrista, e ainda, com grande criatividade, já que é responsável por muitas das composições.

Com a ótima produção e a bela arte gráfica, o álbum abre com a introdução "Boto", estourando qualidade quando começa a rodar "One Step Behind", terceira música do CD - dividida em duas partes: "Awakening" e "Final Revelation". "Half of Darkness" é a melhor música na minha opinião, esta, bem na linha do Angra - já que há algumas passagens de música brasileira. Uma ótima composição, com bastante melodia e pegada. Numa linha mais agressiva está "Holy Prophecies", que quando embala no peso, lembra muito o Symphony X dos primeiros CD's. "Rising Moangá" é uma música dividida em cinco partes: abre com a 'intro' "Sacred Ground", passando pela ótima e "quase balada" "Forest of Remains"; pela bonita cadenciada "Iara"; pela direta, pesada e tradicional "House of Flutes" e fechando com a instrumental "The Path of Waters". (Vale comentar que o guitarrista Pedro Esteves (Liar Symphony) participa em um solo de "Forest of Remains).

Um disco perfeito, lançado por uma banda que realmente investiu para que o resultado final posse ótimo. Músicos muitíssimos bem entrosados e de muito bons gostos, só pode dar no que deu! Se o segundo CD vier nesta linha...

Site oficial: www.gloryopera.mus.br.

E-mail: gloryopera@hotmail.com.

Track-list:
01. Boto (intro)
02. Endless Sin
03. One Step Behind
04. Half of Darkness
05. Holy Prophecies
06. When Falls the Winter
07. Sacred Ground (intro)
08. Forest of Remains
09. Iara
10. House of Flutes
11. The Path of Waters (instrumental)

Tempo total: 64:38

Line-up:
Humberto Sobrinho (vocal);
Jean Rothen (guitarra);
Stanley Wagner (guitarra);
Emerson Dácio (baixo);
Paulo Rangel (teclado);
Helmut Quacken (bateria).

Material cedido por:
Megahard Records
Caixa Postal 41698, São Paulo/SP, Cep:05422-970
Site: www.megahard.com.br, e-mail: megahard@progressive.com.br
Fax: (11) 3224.8297. Telefone: (11) 3224.0709.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Glory Opera"


Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth

Sgt. Peppers: O mais importante disco da história?Sgt. Peppers
O mais importante disco da história?

Metal Extremo: chocando os jurados em reality-showsMetal Extremo
Chocando os jurados em reality-shows

Dedo x Palheta: Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debateDedo x Palheta
Jason Newsted joga gasolina na fogueira do debate

Anitta: Eu era roqueira. Comecei no funk por destino.Anitta
"Eu era roqueira. Comecei no funk por destino."

Manowar: assista Regis Tadeu pegando pressão de fãs trueManowar
Assista Regis Tadeu pegando pressão de fãs true

AC/DC: Hells Bells tocado no carrilhão de uma igrejaAC/DC
"Hells Bells" tocado no carrilhão de uma igreja


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336